Receptores Opioides kappa: Classe de receptores opioides reconhecidos pelo seu perfil farmacológico. Os receptores opioides kappa ligam as dinorfinas com maior afinidade que as endorfinas as quais são preferidas às encefalinas.(trans)-Isômero de 3,4-Dicloro-N-metil-N-(2-(1-pirrolidinil)-ciclo-hexil)-benzenoacetamida: Agonista receptor, opioide kappa não peptídico, que também estimula a liberação do HORMÔNIO ADRENOCORTICOTROPINA via liberação de ARGININA VASOPRESSINA hipotalâmica e HORMÔNIO DE LIBERAÇÃO DA CORTICOTROPINA. (Tradução livre do original: J Pharmacol Exp Ther 1997;280(1):416-21)Isomerismo: Fenômeno através do qual determinados compostos químicos apresentam estruturas [espaciais] diferentes, embora possuam a mesma composição elementar.Diprenorfina: Antagonista narcótico com ação semelhante à NALOXONA. É utilizada para remobilizar animais após neuroleptanalgesia da ETORFINA. É considerada antagonista específico da etorfina.PirrolidinasD-Penicilina (2,5)-Encefalina: Pentapeptídeo opioide dissulfeto que se liga seletivamente ao receptor opioide delta. Possui atividade antinociceptiva.Estereoisomerismo: Fenômeno através do qual compostos cujas moléculas têm o mesmo número e tipo de átomos e o mesmo arranjo atômico, mas diferem nas relações espaciais.Analgésicos não Entorpecentes: Subclasse de agentes analgésicos que tipicamente não se ligam a RECEPTORES OPIOIDES e não são viciogênicos. Muitos analgésicos não narcóticos são oferecidos como MEDICAMENTOS SEM PRESCRIÇÃO.Receptores Opioides delta: Classe de receptores opioides reconhecidos pelas suas propriedades farmacológicas. Os receptores opioides delta se ligam a endorfinas e encefalinas com afinidade aproximadamente igual e possuem menor afinidade pelas dinorfinas.Antagonistas de Entorpecentes: Agentes que inibem o efeito dos narcóticos sobre o sistema nervoso central.Naltrexona: Derivado da noroximorfona que é o congênere N-ciclopropilmetilado da NALOXONA. É um antagonista de narcótico eficaz oralmente, dura mais e é mais potente que a naloxona, e tem sido proposto para o tratamento da dependência à heroína. O FDA aprovou a naltrexona para o tratamento da dependência ao álcool.Receptores Opioides: Proteínas de membrana celular que ligam opioides e desencadeiam alterações intracelulares que influenciam o comportamento celular. Os ligantes endógenos para receptores opioides em mamíferos incluem três famílias de peptídeos, as encefalinas, endorfinas e dinorfinas. As classes de receptores incluem os receptores mu, delta e kapa. Os receptores sigma ligam diversas substâncias psicoativas, incluindo certos opioides, mas seus ligantes endógenos não são conhecidos.Benzenoacetamidas: Compostos baseados em benzenoacetamida semelhantes estruturalmente à ACETANILIDAS.Receptores Opioides mu: Classe de receptores opioides reconhecidos pelo seu perfil farmacológico. Os receptores opioides mu se ligam, em ordem decrescente de afinidade, às endorfinas, dinorfinas, metaencefalinas e leuencefalina. Também foi demonstrado que são receptores moleculares para morfina.Ala(2)-MePhe(4)-Gly(5)-Encefalina: Análogo da encefalina que se liga seletivamente aos receptores opioides mu. É utilizada como modelo em experimentos de permeablidade às drogas.Analgésicos Opioides: Compostos com atividade semelhante as dos ALCALOIDES OPIÁCEOS, atuando como RECEPTORES OPIOIDES. Entre as propriedades estão ANALGESIA ou ESTUPOR.Diterpenos Clerodânicos: Grupo de DITERPENOS ciclizados em 2 anéis com uma cadeia lateral.Ácido alfa-Linolênico: Ácido gorduroso encontrado em plantas e envolvido na formação de prostaglandinas.Benzomorfanos: Derivados da morfina da família da metanobenzazocina, que agem como analgésicos potentes.Receptores da Fenciclidina: Sítios específicos ou estruturas moleculares sobre as membranas celulares ou em células nas quais a fenciclidina reage ou às quais ela liga-se para elicitar a resposta específica da célula. Estudos têm demonstrado que a presença de sítios receptores múltiplos para esses receptores (PCP). Eles são os sítios sigma, que liga PCP e opiáceos psicomiméticos, mas certamente não ligam antipsicóticos e o sítio PCP, que liga seletivamente análogos PCP.Cromatografia Gasosa: Fracionamento de uma amostra vaporizada como uma consequência da partição entre uma fase móvel gasosa e uma fase estacionária presa em uma coluna. São de dois tipos, cromatografia gas-sólido, em que a fase estacionária é um sólido e gás-líquido, em que a fase estacionária é um líquido não volátil apoiado em uma matriz sólida inerte.Espectroscopia de Ressonância Magnética: Método espectroscópico de medição do momento magnético de partículas elementares, como núcleos atômicos, prótons ou elétrons. É empregada em aplicações clínicas, como Tomografia por RMN (IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA).Ácidos Graxos Insaturados: ÁCIDOS GRAXOS em que a cadeia de carbono contém uma ou mais ligações duplas ou triplas carbono-carbono.