2-Acetolactato Mutase: Enzima envolvida na biossíntese de isoleucina e valina. Converte 2-acetolactato a 3-hidroxi-2-oxo-isovalerato. Também age sobre 2-hidroxi-2-acetobutirato para formar 2-hidroxi-2-oxo-3-metilvalerato. EC 5.4.99.3.Acetolactato Sintase: Flavoproteína que catalisa a formação de acetolactato, a partir de 2 moles de ÁCIDO PIRÚVICO, na biossíntese de VALINA e a formação de acetoidroxibutirato, a partir de piruvato e alfa-cetobutirato, na biossíntese de ISOLEUCINA. Esta enzima foi anteriormente classificada como EC 4.1.3.18.Metilmalonil-CoA Mutase: Enzima que catalisa a conversão de metilmalonil-CoA a succinil-CoA pela transferência de um grupo carbonila. Requer uma coenzima com cobalto. Um bloqueio nesta conversão enzimática leva à doença metabólica, acidúria metilmalônica. EC 5.4.99.2.Fosfoglicerato Mutase: Enzima que catalisa a conversão de 2-fosfo-D-glicerato a 3-fosfo-D-glicerato. EC 5.4.2.1.Oxo-Ácido-Liases: Qualquer membro de uma subsubclasse de enzimas da classe das liases que catalisam a clivagem de uma ligação C-C de um 3-hidroxi ácido. (Dorland, 28a ed). EC 4.1.3.Bisfosfoglicerato Mutase: Enzima que catalisa a transferência de fosfato do C-3 do 1,3-difosfoglicerato para o C-2 do 3-fosfoglicerato, formando 2,3-difosfoglicerato. EC 5.4.2.4.Herbicidas: Pesticidas usados para destruir a vegetação indesejada, especialmente vários tipos de ervas daninhas, gramas (POACEAE) e plantas lenhosas. Algumas plantas desenvolvem RESISTÊNCIA A HERBICIDA.Compostos de SulfonilureiaIsoleucina: Aminoácido essencial de cadeia alifática ramificada encontrado em muitas proteínas. É um isômero da LEUCINA. É importante na síntese de hemoglobina, regulação de açúcar no sangue e níveis de energia.Acetoína: Produto da fermentação. É um componente do ciclo do butanediol em microrganismos. Em mamíferos é oxidado a dióxido de carbono.Valina: Aminoácido essencial de cadeia ramificada que possui atividade estimulante. Promove o crescimento de músculos e reparo de tecidos. É uma precursora da via biossintética da penicilina.Pontederiaceae: Família de plantas (ordem Liliales, subclasse Liliidae, classe Liliopsida) monocotiledôneas. A maioria das espécies é perene, nativa principalmente da América tropical. Possuem rizomas rastejantes, raizes fibrosas e folhas agrupadas na base da planta ou nas ramificações do caule. O fruto é uma cápsula contendo várias sementes ou única semente alada.Aminoácidos de Cadeia Ramificada: Aminoácidos que contêm uma cadeia de cadeia ramificada.Resistência a Herbicidas: Falta ou diminuição de respostas das PLANTAS a HERBICIDAS.Tiamina Pirofosfato: Forma da coenzima da vitamina B1 presente em muitos tecidos animais. É um intermediário necessário no COMPLEXO PIRUVATO DESIDROGENASE e no COMPLEXO CETOGLUTARATO DESIDROGENASE.Hidroxibutiratos: Ésteres e sais do ácido hidroxibutírico.Transferases Intramoleculares: Enzimas da classe das isomerases que catalisam a transferência de acil-, fosfo-, amino- ou outros grupos de uma posição para outra dentro de uma molécula. EC 5.4.Lactatos: Sais ou ésteres do ÁCIDO LÁTICO que contêm a fórmula geral CH3CHOHCOOR.CobamidasEscherichia coli: Espécie de bactérias Gram-negativas, facultativamente anaeróbicas, em forma de bastão (BACILOS GRAM-NEGATIVOS ANAERÓBIOS FACULTATIVOS) comumente encontrada na parte mais baixa do intestino de animais de sangue quente. Geralmente não é patogênica, embora algumas linhagens sejam conhecidas por produzir DIARREIA e infecções piogênicas. As linhagens patogênicas (virotipos) são classificadas pelos seus mecanismos patogênicos específicos como toxinas (ESCHERICHIA COLI ENTEROTOXIGÊNICA), etc.Ácido Pirúvico: Composto intermediário no metabolismo dos carboidratos. Na deficiência de tiamina, sua oxidação é retardada e ela se acumula nos tecidos, especialmente nas estruturas nervosas. (Stedman, 25a ed)Butiratos: Derivados do ÁCIDO BUTÍRICO. Está incluída sob este descritor uma ampla variedade de formas de ácidos, sais, ésteres e amidas que contêm a estrutura carboxipropano.