Ablação por Cateter: Remoção de tecido com corrente elétrica alimentada via eletrodos posicionados na terminação distal do cateter. As fontes de energia são geralmente corrente contínua (choque DC) ou corrente alternada a radiofrequências (geralmente 750 kHz). A técnica é utilizada mais frequentemente para remover a junção atrioventricular e/ou as vias acessórias para interromper a condução atrioventricular e produzir um bloqueio atrioventricular no tratamento de várias taquiarritmias.Cateteres de Demora: Cateteres desenvolvidos para serem deixados dentro de um órgão ou orifício por um extenso período de tempo.Fibrilação Atrial: Ritmo cardíaco anormal caracterizado por descargas de impulsos elétricos descoordenados e rápidos, nas câmaras superiores do coração (ÁTRIOS DO CORAÇÃO). Em tal caso, o sangue não pode ser eficazmente bombeado nas câmaras inferiores do coração (VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO). É causado por geração de impulso anormal.Técnicas Eletrofisiológicas Cardíacas: Métodos para induzir e medir atividades elétricas em sítios específicos no coração a fim de diagnosticar e tratar problemas relacionados com o sistema elétrico do coração.Taquicardia Supraventricular: Expressão genérica para qualquer taquicardia que se origina acima do nó de His.Cateteres: Dispositivo flexível e tubular usado para transportar líquidos para dentro ou para fora de um vaso sanguíneo, órgão oco ou cavidade corpórea.Síndrome de Wolff-Parkinson-White: Forma de pré-excitação ventricular caracterizada por um intervalo PR curto e um intervalo QRS longo, com uma onda delta. Nesta síndrome, os impulsos atriais são anormalmente conduzidos para os VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO por meio de um FEIXE ACESSÓRIO ATRIOVENTRICULAR localizado entre a parede do átrio direito ou esquerdo e os ventrículos, também conhecido como FEIXE DE KENT. A forma hereditária pode ser causada por mutação do gene PRKAG2 que codifica uma subunidade reguladora gama-2 da proteína quinase ativada por AMP.Veias Pulmonares: Veias que retornam sangue oxigenado dos pulmões para o átrio esquerdo do coração.Taquicardia por Reentrada no Nó Atrioventricular: Batimentos cardíacos anormalmente rápidos causados por reentrada do impulso atrial nas duas (rápido e lento) vias do NÓ ATRIOVENTRICULAR. O tipo comum envolve um bloqueio do impulso atrial na via lenta que reentra a via rápida em direção retrógrada e simultaneamente transmite aos átrios e ventrículos elevando rapidamente a FREQUÊNCIA CARDÍACA a 150-250 batidas por minuto.Taquicardia Atrial Ectópica: Batimentos cardíacos anormalmente rápidos originando um ou mais focos automáticos (marca-passos não sinusais) nos ÁTRIOS DO CORAÇÃO, mas fora do NÓ SINOATRIAL. Diferentemente do mecanismo de reentrada, a taquicardia automática acelera e gradualmente diminui a velocidade. O episódio é caracterizado por uma FREQUÊNCIA CARDÍACA entre 135 e menos que 200 batidas por minuto e durando 30 segundos ou mais.Mapeamento Potencial de Superfície Corporal: Registro de informação eletrofisiológica regional pela análise do potencial de superfície para dar uma visão geral dos efeitos da corrente cardíaca sobre a superfície corporal. Tem sido aplicado no diagnóstico tardio de infarto do miocárdio inferior, na localização do desvio da via na síndrome de Wolff-Parkinson-White, no reconhecimento de hipertrofia ventricular, na estimativa do tamanho de um infarto do miocárdio e nos efeitos de diferentes intervenções feitas para reduzir o tamanho do infarto. O fator limitante neste momento é a complexidade de registro e análise, que requer 100 ou mais eletrodos, equipamentos sofisticados e pessoal dedicado.Flutter Atrial: Contrações atriais irregulares e rápidas causadas por bloqueio na condução do impulso elétrico no átrio direito e uma nova frente de onda que sobe pelo septo interatrial e desce pela parede livre do átrio direito, ou vice-versa. Diferentemente da FIBRILAÇÃO ATRIAL causada por geração anormal do impulso, o flutter atrial típico é causado por condução anormal do impulso. Como na fibrilação atrial, os pacientes com flutter atrial não conseguem bombear sangue de modo eficaz nas câmaras inferiores do coração (VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO).Taquicardia Ventricular: Ritmo ventricular anormalmente rápido, normalmente acima de 150 batidas por minuto. É gerado dentro do ventrículo, abaixo do FASCÍCULO ATRIOVENTRICULAR, ou como formação de impulso autônomo ou condução de impulso reentrante. Dependendo da etiologia, o início da taquicardia ventricular pode ser paroxísmica (repentino) ou não paroxísmica, seus complexos de QRS amplos podem ser uniformes ou polimórficos, e o batimento ventricular pode ser independente do batimento atrial (dissociação AV).Eletrocardiografia: Registro do momento-a-momento das forças eletromotrizes do CORAÇÃO enquanto projetadas a vários locais da superfície corporal delineadas como uma função escalar do tempo. O registro é monitorado por um traçado sobre papel carta em movimento lento ou por observação em um cardioscópio que é um MONITOR DE TUBO DE RAIOS CATÓDICOS.Sistema de Condução Cardíaco: Sistema que conduz impulso composto por músculo cardíaco modificado apresentando poder de ritmicidade espontânea e uma condução mais altamente desenvolvida que o resto do coração.Nó Atrioventricular: Pequena massa nodular formada por fibras musculares especializadas que estão localizadas no septo interatrial próximo ao óstio do seio coronário. Dá origem ao feixe atriventricular do sistema de condução do coração.Átrios do Coração: Câmaras do coração às quais o SANGUE circulante retorna.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Fluoroscopia: Produção de uma imagem quando os raios X encontram uma tela fluorescente.Cateteres Cardíacos: Cateteres inseridos em várias localizações do coração para fins terapêuticos ou diagnósticos.Complexos Ventriculares Prematuros: Tipo de arritmia cardíaca com contrações prematuras dos VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO. É caracterizado pelo complexo QRS prematuro no ECG, que é de forma anormal e de grande duração (geralmente maior que 129 milissegundos (ms)). É a forma mais comum de todas as arritmias cardíacas. Os complexos ventriculares prematuros não têm nenhum significado clínico, exceto em colaboração com cardiopatias.Recidiva: Retorno de um sinal, sintoma ou doença após uma remissão.Técnicas de Ablação: Remoção do tecido por vaporização, abrasão ou destruição. Os métodos usados incluem o aquecimento do tecido por líquidos quentes ou aquecimento por micro-ondas, congelamento (CRIOABLAÇÃO), ablação química e fotoablação com LASERS.Taquicardia Paroxística: Batimentos cardíacos anormalmente rápidos com início e cessação súbitos.Feixe Acessório Atrioventricular: Tecido extra condutor de impulso no coração que cria conexões para condução do impulso entre os ÁTRIOS DO CORAÇÃO e os VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO.Taquicardia por Reentrada no Nó Sinoatrial: Batimentos cardíacos anormalmente rápidos causados por circuito de reentrada no (ou em torno do) NÓ SINOATRIAL. Caracteriza-se por episódios súbitos de início e término da taquicardia com FREQUÊNCIA CARDÍACA de 100-150 batimentos por minuto. A onda P é idêntica à onda P do seio, mas com um intervalo PR mais longo.Taquicardia: Batimentos cardíacos anormalmente rápidos, geralmente com FREQUÊNCIA CARDÍACA acima de 100 batimentos por minuto para adultos. A taquicardia acompanhada por distúrbio na despolarização cardíaca (arritmia cardíaca) é chamada taquiarritmia.Eletrocoagulação: Procedimentos que utilizam fio ou bisturi aquecido eletricamente para tratar hemorragias (por exemplo, sangramento de úlceras) e remover tumores, lesões de mucosas e arritmias refratárias. É diferente de ELETROCIRURGIA, que é usada mais para cortar tecido do que para destruí-lo e em que o paciente faz parte do circuito elétrico.Seguimentos: Estudos nos quais indivíduos ou populações são seguidos para avaliar o resultado de exposições, procedimentos ou efeitos de uma característica, por exemplo, ocorrência de doença.Cirurgia Assistida por Computador: Procedimentos cirúrgicos conduzidos com o auxílio de computadores. Isto é mais frequente em cirurgias ortopédica e laparoscópica para colocação de implantes e orientação dos instrumentos. A cirugia dirigida por imagem interativamente combina com a tomografia computadorizada prévia ou imagens por ressonância magnética (MRI) com vídeo de tempo real.Cateterismo: Utilização ou inserção de um dispositivo tubular em um ducto, vaso sanguíneo, cavidade de um órgão ou cavidade corporal pela injeção ou retirada de fluidos para fins diagnósticos ou terapêuticos. Difere de ENTUBAÇÃO, em que um tubo é utilizado para restaurar ou manter a patência em obstruções.Criocirurgia: Uso do congelamento como uma técnica cirúrgica especial para destruir ou cortar tecidos.Antiarrítmicos: Agentes usados para tratamento ou prevenção das arritmias cardíacas. Estes agentes podem afetar a fase de polarização-repolarização do potencial de ação, sua excitabilidade ou refratariedade, ou condução do impulso, ou ainda a responsividade da membrana dentro das fibras cardíacas. Os agentes antiarrítmicos são frequentemente classificados em quatro grupos principais de acordo com seu mecanismo de ação: bloqueio do canal de sódio, bloqueio beta-adrenérgico, prolongamento da repolarização, ou bloqueio do canal de cálcio.Mapeamento Epicárdico: Registro das localizações e medidas da atividade elétrica no EPICÁRDIO por meio de eletrodos colocados na superfície do coração para analisar os padrões da ativação e para localizar sítios arritmogênicos.Estimulação Cardíaca Artificial: Regulação da frequência de contração dos músculos cardíacos por um marca-passo artificial.Fascículo Atrioventricular: Pequeno feixe de fibras especializadas do MÚSCULO CARDÍACO que se origina no NÓ ATRIOVENTRICULAR e penetra na parte membranosa do septo interventricular. O fascículo atrioventricular consiste nos ramos dos feixes esquerdo e direito e transmite os impulsos elétricos aos VENTRÍCULOS CARDÍACOS gerando a CONTRAÇÃO MIOCÁRDICA.Pré-Excitação Tipo Mahaim: Forma de pré-excitação ventricular caracterizada por um intervalo PR normal e um intervalo QRS longo, com uma deflexão inicial lenta (onda delta). Nesta síndrome, o impulso atrial percorre pelo ventrículo através das fibras de Mahaim (ver FEIXE ACESSÓRIO ATRIOVENTRICULAR) que conectam o NÓ ATRIOVENTRICULAR diretamente à parede do ventrículo direito (via acessória do nó ventricular; ver FEIXE ACESSÓRIO ATRIOVENTRICULAR) ou ao ramo direito do FASCÍCULO ATRIOVENTRICULAR (via acessória do nó fascicular).Valva Tricúspide: Válvula formada por três cúspides localizada entre o átrio direito e o ventrículo direito do coração.Cateterismo Venoso Central: Colocação de um CATETER intravenoso na veia subclávia, jugular ou outra veia central.Arritmias Cardíacas: Quaisquer distúrbios da pulsação rítmica normal do coração ou CONTRAÇÃO MIOCÁRDICA. As arritmias cardíacas podem ser classificadas pelas anormalidades da FREQUÊNCIA CARDÍACA, transtornos de geração de impulsos elétricos, ou condução de impulso.Taquicardia Ectópica de Junção: Forma rara de TAQUICARDIA SUPRAVENTRICULAR causada por condução automática, não reentrante, iniciada nos locais da junção atrioventricular, mas não no NÓ ATRIOVENTRICULAR. Geralmente acontece durante o infarto do miocárdio, após cirurgia cardíaca, ou em intoxicação por digitális, com uma FREQUÊNCIA CARDÍACA variando de 140 a 250 batimentos por minuto.Pericárdio: Saco fibrosseroso cônico envolvendo o CORAÇÃO e as raizes dos grandes vasos (AORTA, VEIA CAVA, ARTÉRIA PULMONAR). O pericárdio consiste em dois sacos: o pericárdio fibroso externo e o pericárdio seroso interno. O pericárdio seroso consiste em uma camada parietal externa de frente para o pericárdio fibroso, e uma visceral interna próxima ao coração (epicárdio), e uma cavidade pericárdica entre estas duas camadas.Ondas de Rádio: Ondas eletromagnéticas com frequências que variam entre 3 quilohertz (frequências muito baixas - VLF) e 300.000 mega-hertz (frequências extremamente altas - EHF). São usadas em difusão de televisão e rádio, sistemas de comunicação terrestres e via satélite, radionavegação, radiolocalização e DIATERMIA. As mais altas frequências de ondas de rádio são as MICRO-ONDAS.Pneumopatia Veno-Oclusiva: Processo patológico resultante da obstrução fibrosa das VEIAS PULMONARES de tamanho médio e pequeno e HIPERTENSÃO PULMONAR. A oclusão venosa pode surgir da proliferação fibrosa da ÍNTIMA VASCULAR e MÉDIA VASCULAR, TROMBOSE ou uma combinação de ambas.Endocárdio: Camada mais interna do coração. É formada de células endoteliais.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Desenho de Equipamento: Métodos de criação de máquinas e dispositivos.Radiografia Intervencionista: Procedimentos diagnósticos e terapêuticos que são invasivos ou cirúrgicos, e requerem um radiologista especialmente treinado. Em geral, são mais invasivos do que uma imagem diagnóstica, mas menos invasivos do que a maioria das cirurgias. Geralmente envolvem cateterização, fluoroscopia ou tomografia computadorizada. Alguns exemplos incluem colangiografia percutânea trans-hepática, biópsia percutânea transtorácica, angioplastia de balão e embolização arterial.Seio Coronário: Veia pequena que coleta sangue venoso (cerca de dois terços) do MIOCÁRDIO e o drena para o ÁTRIO DIREITO. O seio coronário, normalmente localizado entre o ÁTRIO ESQUERDO e o VENTRÍCULO ESQUERDO na superfície posterior do coração, pode servir como referência anatômica para procedimentos cardíacos.Bloqueio Cardíaco: Condução prejudicada de impulso cardíaco que pode acontecer em qualquer lugar ao longo da via de condução, como entre NÓ SINOATRIAL e átrio direito (bloqueio SA) ou entre átrios e ventrículos (bloqueio AV). Os bloqueios cardíacos podem ser classificados pela duração, frequência, ou integralidade no bloqueio da condução. A reversibilidade depende do grau dos defeitos estruturais ou funcionais.Septos Cardíacos: Esta estrutura inclui o septo interatrial muscular delgado entre os dois ÁTRIOS DO CORAÇÃO, e o septo interventricular muscular espesso, entre os dois VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO.Eletrocardiografia Ambulatorial: Método no qual prolongados registros eletrocardiográficos são feitos em um gravador portátil (sistema do tipo Holter) ou em um dispositivo semicondutor (sistema de "tempo real") enquanto o paciente desempenha suas atividades diárias normais. É utilizado no diagnóstico e controle de arritmias cardíacas intermitentes e isquemia transiente do miocárdio.Cateterismo Cardíaco: Procedimento em que se colocam CATETERES CARDÍACOS para a realização de procedimentos terapêuticos ou diagnósticos.Estudos de Viabilidade: Estudos para determinar as vantagens ou desvantagens, praticabilidade ou capacidade de executar um plano projetado, um estudo ou um projeto.Função do Átrio Esquerdo: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ÁTRIO ESQUERDO.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Taquicardia Sinusal: Batimentos cardíacos rápidos simples causados por descarga rápida de impulsos do NÓ SINOATRIAL, geralmente entre 100 e 180 batidas/min em adultos. Caracteriza-se por um início e término gradual. A taquicardia sinusal é comum em lactentes, crianças, e adultos durante atividades físicas vigorosas.Função do Átrio Direito: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ÁTRIO DIREITO.Cateteres Venosos Centrais: Cateteres inseridos em uma veia central grande como a VEIA SUBCLÁVIA ou a VEIA FEMORAL.Eletrofisiologia: Estudo do comportamento e da geração de cargas elétricas nos organismos vivos, particularmente no sistema nervoso, e dos efeitos da eletricidade nos organismos vivos.Estudos Retrospectivos: Estudos nos quais os dados coletados se referem a eventos do passado.Complexos Atriais Prematuros: Tipo de arritmia cardíaca com contrações atriais prematuras ou batimentos causados por sinais que se originam dos lados atriais ectópicos. Os sinais ectópicos podem ou não conduzir a VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO. Os complexos atriais prematuros são caracterizados por ondas P prematuras no ECG que são diferentes na configuração das ondas P geradas pelo complexo marca-passo normal no NÓ SINOATRIAL.Fístula Esofágica: Passagem anormal comunicando com ESÔFAGO. O tipo mais comum é a FÍSTULA TRAQUEOESOFÁGICA entre esôfago e TRAQUEIA.Complexos Cardíacos Prematuros: Grupo de arritmias cardíacas em que as contrações cardíacas não são iniciadas no NÓ SINOATRIAL. Eles incluem os batimentos prematuros tanto atriais como ventriculares, e também são conhecidos como batimentos cardíacos extras ou ectópicos. Sua frequência é aumentada em cardiopatias.Veia Ázigos: Veia que nasce da veia lombar ascendente direita ou da veia cava, penetra no tórax através do orifício aórtico do diafragma e termina na veia cava superior.Eletrodos: Condutores elétricos pelos quais correntes elétricas entram ou saem de um meio, seja ele uma solução eletrolítica, um sólido, massa fundida, gás ou vácuo.Apêndice Atrial: O apêndice em forma de orelha de cada átrio do coração. (Dorland, 28a ed)Cateterismo Periférico: Inserção de um cateter numa artéria periférica, veia ou vias aéreas, com fins diagnósticos ou terapêuticos.Irrigação Terapêutica: Lavagem de uma cavidade ou superfície do corpo por meio do fluxo de água ou solução para terapia ou diagnóstico.Cateterismo Urinário: Passagem de um CATETER na BEXIGA URINÁRIA ou rim.Septo Interatrial: Estrutura muscular delgada (semelhante a uma membrana) que separa as câmaras superiores direita e esquerda do coração (ÁTRIOS DO CORAÇÃO).Traumatismos Cardíacos: Traumatismos gerais ou inespecíficos do coração.Cicatriz: Tecido fibroso que substitui o tecido normal durante o processo de CICATRIZAÇÃO de feridas.Ecocardiografia Transesofagiana: Registro ultrassônico do tamanho, movimentação e composição do coração e tecidos adjacentes utilizando um transdutor localizado no esôfago.Ventrículos do Coração: Câmeras inferiores direita e esquerda do coração. O ventrículo direito bombeia SANGUE venoso para os PULMÕES e o esquerdo bombeia sangue oxigenado para a circulação arterial sistêmica.Veia Cava Superior: Tronco venoso que retorna sangue da cabeça, pescoço, extremidades superiores e peito.Técnicas de Imagem Cardíaca: Visualização da estrutura do coração e do fluxo sanguíneo cardíaco para avaliação diagnóstica ou para guiar procedimentos realizados por meio de ENDOSCOPIA (endoscopia cardíaca, algumas vezes chamada de cardioscopia), CINTILOGRAFIA, IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA, TOMOGRAFIA ou ULTRASSONOGRAFIA.Eletrofisiologia Cardíaca: Estudo da atividade elétrica e características do CORAÇÃO, MIOCÁRDIO e CARDIOMIÓCITOS.Queimaduras por Corrente Elétrica: Queimaduras produzidas pelo contato com corrente elétrica ou de uma descarga súbita de eletricidade.Imagem Tridimensional: Processo de geração de imagens tridimensionais por métodos eletrônicos, fotográficos, ou outros. Por exemplo, imagens tridimensionais podem ser geradas por montagem de imagens tomográficas variadas, com o auxilio de um computador, enquanto as imagens fotográficas em 3-D (HOLOGRAFIA) podem ser feitas por exposição de filme ao padrão de interferência criado quando duas fontes de luzes a laser iluminam sobre um objeto.Anomalia de Ebstein: Defeito cardíaco congênito caracterizado por deslocamento descendente ou apical da VALVA TRICÚSPIDE, geralmente com os folhetos septal e posterior sendo fixados à parede do VENTRÍCULO DIREITO. Caracteriza-se por um ÁTRIO DIREITO enorme e um ventrículo direito pequeno e menos eficaz.Cateteres Urinários: Cateteres inseridos na BEXIGA URINÁRIA ou no rim com propósitos terapêuticos ou de diagnóstico.Complicações Pós-Operatórias: Processos patológicos que afetam pacientes após um procedimento cirúrgico. Podem ou não estar relacionados à doença pela qual a cirurgia foi realizada, podendo ser ou não resultado direto da cirurgia.Cardioversão Elétrica: Corrente elétrica aplicada ao CORAÇÃO para terminar um distúrbio de seu ritmo, ARRITMIAS CARDÍACAS (Tradução livre do original: Stedman, 25th ed).Falha de Equipamento: Falha do equipamento em desempenhar o padronizado. A falha pode ser devida a defeitos ou uso indevido.Septo Interventricular: Estrutura muscular que separa as câmaras inferiores direita e esquerda (VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO) do coração. O septo interventricular consiste em uma porção membranosa muito pequena, bem abaixo da VÁLVULA AÓRTICA, e uma porção muscular, grande e espessa, consistindo em três seções, incluindo os septos de entrada, trabecular e de saída.Seio Aórtico: Dilatação da parede da aorta atrás de cada cúspide da válvula aórtica.Nó Sinoatrial: Pequena massa de fibras musculares cardíacas modificadas, localizada na junção da VEIA CAVA SUPERIOR com o átrio direito. Os impulsos da contração provavelmente começam neste nó, propagam-se pelo átrio (ÁTRIO CARDÍACO) sendo então transmitidos pelo feixe de His (FEIXE ATRIOVENTRICULAR) para o ventrículo (VENTRÍCULO CARDÍACO).Veia Cava Inferior: Tronco venoso que recebe sangue das extremidades inferiores dos órgãos abdominais e pélvicos.Ecocardiografia: Registro ultrassônico do tamanho, movimentação e composição do coração e estruturas adjacentes. O acesso padrão é transtorácico.Síndromes de Pré-Excitação: Grupo de afecções em que a ativação do VENTRÍCULO CARDÍACO pelo impulso atrial é mais rápida que a condução do impulso normal do NÓ SINOATRIAL. Nestas síndromes de pré-excitação, os impulsos atriais frequentemente se desviam do retardo do NÓ ATRIOVENTRICULAR e percorrem as vias do FEIXE ACESSÓRIO ATRIOVENTRICULAR, conectando o átrio diretamente ao FEIXE DE HIS.Fibrilação Ventricular: Arritmia cardíaca potencialmente letal, caracterizada por disparos de impulsos elétricos rápidos extremamente descoordenados (400-600/min) nos VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO. Tal assíncrono ventricular de agitação ou fibrilação previne qualquer produção cardíaca eficiente, e resulta em inconsciência (SÍNCOPE). É um dos importantes padrões eletrocardiográficos observados em PARADA CARDÍACA.Valor Preditivo dos Testes: O valor preditivo de um teste diagnóstico é a probabilidade de um resultado positivo (ou negativo) corresponder a um indivíduo doente (ou não doente). Depende da sensibilidade e especificidade do teste (adaptação e tradução livre do original: Last, 2001)Marca-Passo Artificial: Dispositivo desenhado para estimular, por impulsos elétricos, a contração dos músculos cardíacos. Pode ser temporário (externo) ou permanente (interno ou interno-externo).Ultrassonografia de Intervenção: Utilização da ultrassonografia para guiar procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos como BIÓPSIA POR PUNÇÃO, DRENAGEM, etc. Sua aplicação mais vasta é em ultrassom intravascular com imagem, mas é útil também em urologia e para detecção de afecções intra-abdominais.Anticoagulantes: Agentes que impedem a coagulação.Infecções Relacionadas a Cateter: Infecções resultantes do uso de cateteres. Técnicas de assepsia apropriadas, localização do cateter, composição do material e virulência do organismo são todos fatores que podem influenciar a possível infecção.Reoperação: Operação refeita para a mesma doença, no mesmo paciente, devido à evolução ou recidiva da doença, ou como acompanhamento de cirurgia anterior que não atingiu seu objetivo.Desfibriladores Implantáveis: Dispositivos implantáveis que monitoram continuamente a atividade elétrica do coração e automaticamente detectam e interrompem a TAQUICARDIA VENTRICULAR e a FIBRILAÇÃO VENTRICULAR. Consistem em um gerador de impulso, baterias e eletrodos.Bloqueio Atrioventricular: Bloqueio na condução do impulso dos ÁTRIOS DO CORAÇÃO para os VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO. O bloqueio AV pode significar retardo na condução do impulso ou bloqueio total.Cardiopatias: Afecções que envolvem o CORAÇÃO, inclusive anomalias estruturais e funcionais.Tamponamento Cardíaco: Compressão do coração por acúmulo de líquido (DERRAME PERICÁRDICO) ou sangue (HEMOPERICÁRDIO) no PERICÁRDIO envolvendo o coração. As funções cardíacas afetadas e o DÉBITO CARDÍACO podem variar desde o mínimo até o colapso hemodinâmico total.Procedimentos Cirúrgicos Cardíacos: Cirurgias feitas no coração.Ablação por Ultrassom Focalizado de Alta Intensidade: Uso de ondas sonoras de alta frequência direcionadas para destruir tecidos. Algumas vezes é usada em conjunto com a ULTRASSONOGRAFIA DE INTERVENÇÃO, sendo, porém, distinta desta.Punções: Incisão de tecidos para injeção de medicamentos ou para outros procedimentos diagnósticos ou terapêuticos. Punções da pele, por exemplo, podem ser utilizadas para drenagem diagnóstica; de vasos sanguíneos, para procedimentos diagnósticos por imagem.Robótica: Aplicação de sistemas computadorizados de controle eletrônico a dispositivos mecânicos projetados para realizar funções humanas. Anteriormente estava restrita à indústria, mas hoje em dia aplica-se a órgãos artificiais controlados por dispositivos biônicos (bioeletrônicos), como bombas de insulina automatizadas e outras próteses.Valva Mitral: Válvula localizada entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo do coração.Cardiomiopatias: Grupo de doenças na qual a característica dominante é o envolvimento do próprio músculo cardíaco. As cardiomiopatias são classificadas de acordo com suas características patofisiológicas predominantes (CARDIOMIOPATIA DILATADA, CARDIOMIOPATIA HIPERTRÓFICA, CARDIOMIOPATIA RESTRITIVA) ou seus fatores etiológicos/patológicos (CARDIOMIOPATIA ALCOÓLICA, FIBROELASTOSE ENDOCÁRDICA).Derrame Pericárdico: Acúmulo de líquido dentro do PERICÁRDIO. Os derrames serosos estão associados com doenças pericárdicas. O hemopericárdio está associado com trauma. O derrame contendo lipídeos (quilopericárdio) resulta de vazamento no DUCTO TORÁCICO. Casos graves podem levar a TAMPONAMENTO CARDÍACO.Função Atrial: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ÁTRIO DO CORAÇÃO.Monitorização Intraoperatória: Verificação constante do estado ou condição de um paciente durante o curso de uma cirurgia (por exemplo, verificação dos sinais vitais).Tromboembolia: Obstrução de um vaso sanguíneo (embolia) por um coágulo de sangue (TROMBO) na corrente sanguínea.Dextrocardia: Defeito congênito em que o coração está localizado no lado direito do TÓRAX em vez do lado esquerdo (levocardia, a posição normal). Quando a dextrocardia é acompanhada de ÁTRIOS CARDÍACOS invertidos, ESTÔMAGO do lado direito, e FÍGADO do lado esquerdo, a combinação é chamada dextrocardia com SITUS INVERSUS. A dextrocardia pode adversamente afetar outros órgãos torácicos.Tomografia Computadorizada por Raios X: Tomografia utilizando transmissão por raio x e um computador de algoritmo para reconstruir a imagem.Medição de Risco: Métodos e técnicas aplicadas para identificar os fatores de risco e medir a vulnerabilidade aos perigos potenciais causados por desastres e substâncias químicas.Metaproterenol: Agonista beta-2 adrenérgico utilizado no tratamento da ASMA e de ESPASMO BRÔNQUICO.Displasia Arritmogênica Ventricular Direita: Cardiomiopatia congênita caracterizada por infiltração de tecidos fibroso e adiposo na parede do VENTRÍCULO DIREITO e perda de células miocárdicas. As lesões primárias geralmente estão na parede livre ventricular direita e no átrio direito, resultando em arritmias ventricular e supraventricular.Distribuição de Qui-Quadrado: Distribuição na qual a variável está distribuída como a soma dos quadrados de qualquer variável dada independente e aleatória, tendo cada qual uma distribuição normal com média zero e desvio um. O teste de Qui-quadrado é um teste estatístico baseado na comparação de uma estatística e uma distribuição de Qui-quadrado. Os testes mais antigos se usam para detectar se duas ou mais distribuições da população diferem entre si.Dosimetria Termoluminescente: Uso de um dispositivo composto por material termoluminescente para medir a exposição à RADIAÇÃO IONIZANTE. O material termoluminescente emite luz quando aquecido. A quantidade de luz emitida é proporcional à quantidade de radiação ionizante à qual o material foi exposto.Processo Xifoide: A menor protrusão triangular e a mais inferior do ESTERNO que se estende ao centro da caixa torácica.Bloqueio de Ramo: Forma de bloqueio cardíaco em que a estimulação elétrica dos VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO é interrompida em qualquer um dos dois ramos do FASCÍCULO ATRIOVENTRICULAR, assim impedindo a despolarização simultânea dos ventrículos.Fatores de Risco: Aspecto do comportamento individual ou do estilo de vida, exposição ambiental ou características hereditárias ou congênitas que, segundo evidência epidemiológica, está sabidamente associado a uma condição relacionada com a saúde considerada importante de ser prevenida.Magnetismo: Estudo dos FENÔMENOS MAGNÉTICOS.Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Situs Inversus: Anormalidade congênita em que órgãos no TÓRAX e ABDOME estão opostos a suas posições normais (situs solitus) devido a transposição lateral. Normalmente o ESTÔMAGO e BAÇO estão na esquerda, FÍGADO na direita, pulmão direito de três lobos está à direita, e pulmão esquerdo de dois lobos na esquerda. O situs inversus tem um padrão familiar e foi associado com vários genes relacionados com proteínas associadas à microtúbulos.Segurança: Ausência de exposição a perigo e proteção contra a ocorrência ou risco de lesão ou perda. Sugere precauções ideais no ambiente de trabalho, na rua, no lar, etc., e inclui segurança pessoal assim como a segurança de propriedade.Vias Autônomas: Nervos e plexos do sistema nervoso autônomo. As estruturas do sistema nervoso central que regulam o sistema nervoso autônomo não estão incluídas.Frequência Cardíaca: Número de vezes que os VENTRÍCULOS CARDÍACOS se contraem por unidade de tempo, geralmente por minuto.Terapia a Laser: Uso dos efeitos fototérmicos de LASERS para coagular, cortar (ou incindir), vaporizar, extirpar (ou ressecar), dissecar ou reconstituir tecidos.Remodelamento Atrial: Mudanças de longo prazo nos parâmetros eletrofisiológicos e/ou estruturas anatômicas dos ÁTRIO DO CORAÇÃO que resulta de alterações prolongadas na taxa atrial, com frequência associados com FIBRILAÇÃO ATRIAL ou com longos períodos de EXERCÍCIO intenso.Falha de Tratamento: Medida da qualidade de atenção à saúde, pela avaliação dos resultados fracassados de administração e procedimentos utilizados no combate a doenças, em casos individuais ou em série.Flebografia: Visualização radiográfica ou por registro, de uma veia após a injeção de um meio de contraste.Varfarina: Anticoagulante que age inibindo a síntese de fatores de coagulação dependentes da vitamina K. Warfarina é indicado para a profilaxia e/ou tratamento da trombose venosa e sua extensão, da embolia pulmonar e da fibrilação atrial com embolia. Também é usado como adjunto na profilaxia da embolia sistêmica após infarto do miocárdio. Warfarina também é usado para matar roedores.Obstrução do Fluxo Ventricular Externo: Oclusão do fluxo no trato do VENTRÍCULO ESQUERDO como no do VENTRÍCULO DIREITO do coração. Isto pode ser o resultado de CARDIOPATIAS CONGÊNITAS, predispondo a doenças cardíacas, complicações de cirurgia, ou NEOPLASIAS CARDÍACAS.Estimativa de Kaplan-Meier: Método não paramétrico de compilação de TÁBUAS DE VIDA ou tábuas de sobrevivência. Combina as probabilidades calculadas de sobrevida e as estimativas para permitir que as observações ocorram além de um limiar, assumido randomicamente. Os intervalos de tempo são definidos como final de cada tempo de um evento, sendo portanto desigual. (Tradução livre do original: Last, A Dictionary of Epidemiology, 1995)Suínos: Qualquer animal da família Suidae, compreendendo mamíferos onívoros, robustos, de pernas curtas, pele espessa (geralmente coberta com cerdas grossas), focinho longo e móvel, e cauda pequena. Compreendem os gêneros Babyrousa, Phacochoerus (javalis africanos) e o Sus, que abrange o porco doméstico (ver SUS SCROFA)Constrição Patológica: Afecção em que uma estrutura anatômica é contraída além das dimensões normais.Migração de Corpo Estranho: Migração de um corpo estranho de sua localização original para alguma outra localização no corpo.