Helicobacter pylori: Bactéria espiral e patógeno gástrico ativo em humanos. É curva ou ligeiramente espiralada, Gram-negativa, positiva para a presença de urease, inicialmente isolada (1982) de pacientes com lesões de gastrite ou úlceras pépticas na Austrália ocidental. Helicobacter pylori foi originalmente classificada no gênero CAMPYLOBACTER, mas a sequência de RNA, o perfil de ácidos graxos celulares, os padrões de crescimento e outras características taxonômicas indicam que o micro-organismo deveria ser incluído no gênero HELICOBACTER. Foi oficialmente transferido para o gênero Helicobacter gen. nov. (v. Int J Syst Bacteriol 1989 Oct; 39(4): 297-405).Infecções por Helicobacter: As infecções por organismos do gênero HELICOBACTER, particularmente em humanos do HELICOBACTER PYLORI. As manisfestaçoes clínicas estão concentradas no estômago, normalmente na mucosa gástrica e antro e no duodeno superior. Essa infecção tem um papel importante na etiopatogenia da gastrite do tipo B e da úlcera péptica.Gastrite: Inflamação da MUCOSA GÁSTRICA, uma lesão observada em vários transtornos não relacionados.Mucosa Gástrica: Revestimento do ESTÔMAGO formado por um EPITÉLIO interno, uma LÂMINA PRÓPRIA média e a MUSCULARIS MUCOSAE externa. As células superficiais produzem o MUCO que protege o estômago do ataque de ácidos e enzimas digestivos. Quando o epitélio se invagina para a LÂMINA PRÓPRIA em várias regiões do estômago (CÁRDIA, FUNDO GÁSTRICO e PILORO), há formação de diferentes glândulas tubulares gástricas. Estas glândulas são constituídas por células que secretam muco, enzimas, ÁCIDO CLORÍDRICO, ou hormônios.Urease: Enzima que catalisa a conversão da ureia e água a dióxido de carbono e amônia. EC 3.5.1.5.Piloro: Região do ESTÔMAGO (na junção com o DUODENO) caracterizada pelo espessamento das camadas musculares circulares do esfíncter pilórico, que controla a abertura e fechamento do lúmen.Úlcera Péptica: Úlcera que ocorre nas porções do TRATO GASTROINTESTINAL que entram em contato com o SUCO GÁSTRICO contendo PEPSINA e ÁCIDO GÁSTRICO. Ocorre quando há defeitos na barreira da MUCOSA. As formas comuns de úlcera péptica estão associadas com HELICOBACTER PYLORI e o consumo de drogas anti-inflamatórias não esteroides (NSAIDs).Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.Claritromicina: Antibiótico macrolídeo semissintético derivado da ERITROMICINA, que é ativa contra uma variedade de microrganismos. Pode inibir a sintase proteica nas bactérias pela ligação reversível às sub-unidades ribossômicas 50S, inibindo a translocação do RNA de transferência aminoacilado e prevenindo a elongação da cadeia peptídica.Amoxicilina: Antibiótico semissintético de amplo espectro semelhante à AMPICILINA, exceto por sua resistência ao ácido gástrico que permite níveis séricos mais altos quando administrado oralmente.Metronidazol: Nitroimidazol utilizado para tratar a AMEBÍASE, VAGINITE, TRICOMONÍASE, GIARDÍASE, BACTÉRIAS ANAERÓBICAS e tricomonas INFECÇÕES POR TREPONEMAS. Foi também indicado como sensibilizador de radiação em células em hipóxia. De acordo com o Quarto Relatório Anual em Carcinógenos (NTP 85-002, 1985, p133), esta substância pode ser razoavelmente considerada um carcinógeno. (Tradução livre do original: Merck, 11th ed).Dispepsia: Digestão prejudicada, especialmente após alimentação.Úlcera Duodenal: ÚLCERA PÉPTICA situada no DUODENO.Antiulcerosos: Vários agentes com mecanismos de ação diferentes, usados para tratar ou melhorar [o estado de pacientes com] ÚLCERA PÉPTICA ou irritação no trato gastrintestinal. Entre eles estão os ANTIBIÓTICOS (para tratar [pacientes com] INFECÇÕES POR HELICOBACTER), ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES HISTAMÍNICOS H2 (para reduzir a secreção de ÁCIDO GÁSTRICO) e ANTIÁCIDOS (para aliviar os sintomas).Omeprazol: Derivado de 4-metoxi-3,5-dimetilpiridil, 5-metoxibenzimidazol do timoprazol usado na terapia de ÚLCERA GÁSTRICA e SÍNDROME DE ZOLLINGER-ELLISON. A droga inibe a ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO encontrada em CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS.Proteínas de Bactérias: Proteínas encontradas em qualquer espécie de bactéria.Neoplasias Gástricas: Tumores ou câncer do ESTÔMAGO.Antro Pilórico: Região entre a curvatura acentuada no terço inferior do ESTÔMAGO (incisão angular) e a junção do PILORO com o DUODENO. As glândulas do antro pilórico contêm células que secretam muco e células endócrinas secretoras de gastrina (CÉLULAS G).Gastropatias: Processos patológicos envolvendo o ESTÔMAGO.Gastrite Atrófica: GASTRITE com atrofia da MUCOSA GÁSTRICA, CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS e glândulas mucosas levando a ACLORIDRIA. A gastrite atrófica geralmente se desenvolve da gastrite crônica.Testes Respiratórios: Quaisquer testes feitos com o ar expirado.Úlcera Gástrica: Ulceração da MUCOSA GÁSTRICA devido contato com SUCO GÁSTRICO. Frequentemente está associada com infecção por HELICOBACTER PYLORI ou consumo de drogas anti-inflamatórias não esteroides (AGENTES ANTI-INFLAMATORIOS NÃO ESTEROIDES).Bismuto: Elemento metálico com símbolo atômico Bi, numero atômico 83 e peso atômico 208,98.Antibacterianos: Substâncias que reduzem a proliferação ou a reprodução de BACTÉRIAS.Anticorpos Antibacterianos: Imunoglobulinas produzidas em resposta a ANTÍGENOS DE BACTÉRIAS.Gastroscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do interior do estômago.Lansoprazol: Derivado 2,2,2-trifluoroetoxipiridil do timoprazol usado na terapia de ÚLCERAS GÁSTRICAS e SÍNDROME DE ZOLLINGER-ELLISON. A droga inibe a ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO que é encontrada nas CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS. Lansoprazol é uma mistura racêmica dos isômeros (R)- e (S)-.Quimioterapia Combinada: Terapia administrada simultaneamente com duas ou mais preparações diferentes para obter um efeito combinado.Pepsinogênio A: Este é um dos 2 sistemas pepsinogênicos relacionados em humanos, também conhecido como pepsinogênio. (O outro é o PEPSINOGÊNIO C). Inclui os isozimogênios Pg1-Pg5 (pepsinogênios 1-5, grupo I ou produtos dos genes PGA1-PGA5). Este é o principal pepsinogênio encontrado na urina.Metaplasia: Situação em que há uma alteração de um tipo de célula adulta para outro tipo de célula adulta semelhante.Inibidores da Bomba de Prótons: Compostos que inibem ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO. São utilizados como ANTIULCEROSOS e, às vezes, no lugar de ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES H2 DE HISTAMINA para REFLUXO GASTROESOFÁGICO.Tinidazol: Antitricomona nitroimidazol eficaz contra infecções por Trichomonas vaginalis, Entamoeba histolytica e Giardia lamblia.Biópsia: Remoção e avaliação patológica de amostras, na forma de pequenos fragmentos de tecido do corpo vivo.Sistema do Grupo Sanguíneo de Lewis: Grupo de antígenos (herdados de modo dominante e independente) associado com os fatores sanguíneos ABO. Estes antígenos são glicolipídeos presentes no plasma e nas secreções, que podem aderir às hemácias. O fenótipo Le(b) é o resultado da interação do gene Le(a) com os genes para os grupos sanguíneos ABO.Duodenite: Inflamação do INTESTINO DELGADO na porção denominada DUODENO. A duodenite erosiva pode causar sangramento no TRATO GASTROINTESTINAL SUPERIOR e ÚLCERA PÉPTICA.Endoscopia Gastrointestinal: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do trato gastrointestinal.Gerbillinae: Subfamília de Muridae que compreende diversos gêneros, incluindo Gerbillus, Rhombomys, Tatera, Meriones e Psammomys.Ureia: Composto gerado no fígado a partir da amônia produzida pela desaminação dos aminoácidos. É o principal produto final do catabolismo das proteínas e constitui aproximadamente metade do total de sólidos urinários.Furazolidona: Derivado do nitrofurano e com atividade antiprotozoária e antibacteriana. A furazolidona atua por inibição gradual de monoamino oxidase. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p514)Ranitidina: Bloqueador não imidazólico daqueles receptores de histamina que fazem a mediação da secreção gástrica (receptores H2). É usado para tratar úlceras gastrointestinais.Helicobacter: Gênero de bactérias Gram-negativas, forma espiralada, patogênicas que têm sido isoladas do trato intestinal de mamíferos, incluindo os humanos. Tem sido associado com ÚLCERA PÉPTICA.Campylobacter: Gênero de bactérias encontradas em órgãos reprodutivos, trato intestinal e cavidade oral de animais e do homem. Algumas espécies são patogênicas.Gastrinas: Família de hormônios peptídicos gastrintestinais que estimula a secreção de SUCO GÁSTRICO. Também podem ocorrer no sistema nervoso central, onde são considerados neurotransmissores.Pepsinogênios: Proenzimas secretadas pelas células principais, células mucosas do pescoço (da glândula) e das glândulas pilóricas, que são convertidas em pepsina na presença de ácido gástrico ou da própria pepsina. (Dorland, 28a ed) Em humanos há dois sistemas de pepsinogênio relacionados: PEPSINOGÊNIO A (antigamente, pepsinogênio I ou pepsinogênio) e PEPSINOGÊNIO C (antigamente pepsinogênio II ou progastricsina). O pepsinogênio B é a denominação de um pepsinogênio de suínos.Ácido Gástrico: Ácido clorídrico presente no SUCO GÁSTRICO.DNA Bacteriano: Ácido desoxirribonucléico que forma o material genético de bactérias.Pepsinogênio C: Este é um dos 2 sistemas pepsinogênicos relacionados em humanos. É encontrado na próstata e líquido seminal, ao passo que o PEPSINOGÊNIO A, não.Antiácidos: Substâncias que atuam contra ou neutralizam a acidez do TRATO GASTROINTESTINAL.Reação em Cadeia da Polimerase: Método in vitro para produção de grandes quantidades de DNA específico ou fragmentos de RNA de comprimento definido de pequenas quantidades de oligonucleotídeos curtos de sequências flanqueantes (iniciadores ou "primers"). O passo essencial inclui desnaturação térmica de moléculas alvo da dupla fita, reassociação dos primers a suas sequências complementares e extensão do iniciador reassociado pela síntese enzimática com DNA polimerase. A reação é eficiente, específica e extremamente sensível. A utilização da reação inclui diagnóstico de doenças, detecção de patógenos difíceis de se isolar, análise de mutações, teste genético, sequenciamento de DNA e análise das relações evolutivas.Tetraciclina: Antibiótico naftaceno que inibe a ligação da aminoacil RNAt durante a síntese proteica.Citotoxinas: Substâncias tóxicas para as células: podem estar envolvidas na imunidade ou podem estar contidas em venenos. São diferentes dos CITOSTÁTICOS por causa da intensidade do efeito. Algumas delas são usadas como ANTIBIÓTICOS CITOTÓXICOS. O mecanismo de ação de muitas delas são os ALQUILANTES ou os MODULADORES DE MITOSE.Suco Gástrico: Secreção líquida da mucosa estomacal composta por ácido clorídrico (ÁCIDO GÁSTRICO), PEPSINOGÊNIOS, FATOR INTRÍNSECO, GASTRINA, MUCO e íon bicarbonato (BICARBONATOS). (tradução livre do original: Best & Taylor's Physiological Basis of Medical Practice, 12th ed, p651).Imunoglobulina G: Principal classe de isotipos da imunoglobulina no soro normal humano. Há várias subclasses de isotipos de IgG, por exemplo, IgG1, IgG2A e IgG2B.Antitricômonas: Agentes usados para tratar infecções por tricômonas.Linfoma de Zona Marginal Tipo Células B: Linfoma extranodal de tecido linfoide associado com mucosa em contato com antígenos exógenos. Muitos dos locais destes linfomas, como estômago, glândula salivar e tireoide, normalmente são destituídos de tecido linfoide. Adquirem tipo de tecido linfoide associado com mucosa (MALT) como um resultado de um transtorno mediado imunologicamente.Aderência Bacteriana: Propriedade físico-química de bactérias fimbriadas (FÍMBRIAS BACTERIANAS) e não fimbriadas de se ligar a células, tecidos e superfícies não biológicas. É um fator em colonização e patogenicidade bacteriana.Compostos Organometálicos: Classe de compostos do tipo R-M, em que o átomo C está ligado diretamente a qualquer outro elemento que não o H, C, N, O, F, Cl, Br, I ou At.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Penicilinas: Grupo de antibióticos que contêm o ácido 6-aminopenicilânico, tendo uma cadeia lateral ligada ao grupo 6-amino. O nucleo da molécula de penicilina é o principal requisito estrutural para sua atividade biológica. A estrutura de suas cadeias laterais determina muitas das características antibacterianas e farmacológicas. (Tradução livre do original: Goodman and Gilman's The Pharmacological Basis of Therapeutics, 8th ed, p1065)Estudos Soroepidemiológicos: ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS baseados na detecção, por meio de testes sorológicos, de alterações típicas no nível sérico de ANTICORPOS específicos. Além de casos clinicamente manifestos, infecções subclínicas latentes e condições de portadores podem ser detectados.Virulência: Grau de patogenicidade dentro de um grupo ou espécies de micro-organismos ou vírus, conforme indicado pela taxa de fatalidade dos casos e/ou pela capacidade do organismo invadir os tecidos do hospedeiro. A capacidade patogênica de um organismo é determinada por seus FATORES DE VIRULÊNCIA.Ensaio de Imunoadsorção Enzimática: Imunoensaio utilizando um anticorpo ligado a uma enzima marcada, tal como peroxidase de raiz-forte (ou rábano silvestre). Enquanto a enzima ou o anticorpo estiverem ligados a um substrato imunoadsorvente, ambos retêm sua atividade biológica; a mudança na atividade enzimática como resultado da reação enzima-anticorpo-antígeno é proporcional à concentração do antígeno e pode ser medida por espectrofotometria ou a olho nu. Muitas variações do método têm sido desenvolvidas.Prevalência: Numero total de casos de uma dada doença em uma população especificada num tempo designado. É diferenciada de INCIDÊNCIA, que se refere ao numero de casos novos em uma população em um dado tempo.Fatores de Virulência: Componentes de um organismo que determinam sua capacidade para provocar doença, mas não são necessários para sua viabilidade. Tem sido caracterizadas duas classes: TOXINAS BIOLÓGICAS e moléculas de adesão de superfície que executam a capacidade do micro-organismo invadir e colonizar um hospedeiro. (Tradução livre do original: From Davis et al., Microbiology, 4th ed. p486)Genes Bacterianos: Unidades hereditárias funcionais das BACTERIAS.Endoscopia do Sistema Digestório: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do trato digestório.Corantes Azur: FENOTIAZINAS com um grupo amina na posição 3 que são cristais ou pó verde utilizados como corantes biológicos.Mucinas Gástricas: Mucinas que são encontradas na superfície do epitélio gástrico. Desempenham papel na proteção da camada epitelial de danos mecânicos e químicos.Nitrorredutases: Enzimas que reduzem grupos nitro (NITROCOMPOSTOS) e outros compostos nitrogenados.Acloridria: A falta de ÁCIDO CLORÍDRICO no SUCO GÁSTRICO apesar da estimulação de secreção gástrica.Gastroenteropatias: Doenças em qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL desde o ESÔFAGO ao RETO.Refluxo Gastroesofágico: Fluxo retrógrado de suco gástrico (ÁCIDO GÁSTRICO) e/ou conteúdos duodenais (ÁCIDOS E SAIS BILIARES, SUCO PANCREÁTICO) para dentro do ESÔFAGO distal, frequentemente devido à incompetência do ESFÍNCTER ESOFÁGICO INFERIOR.Duodeno: É a menor porção (e a mais larga) do INTESTINO DELGADO, adjacente ao PILORO do ESTÔMAGO. Seu nome é devido ao fato de seu comprimento ser igual à largura aproximada de 12 dedos.Antígenos CD15: Antígeno trissacarídeo expresso em glicolipídeos e em muitas glicoproteínas de superfície celular. No sangue, o antígeno é encontrado na superfície de NEUTRÓFILOS, EOSINÓFILOS e MONÓCITOS. Além disto, o antígeno CD15 é um antígeno embrionário estágio-específico.Adesinas Bacterianas: Componentes de superfície celular ou apêndices de bactérias que facilitam a adesão (ADESÃO BACTERIANA) a outras células ou superfícies inanimadas. A maioria das fimbrias (FÍMBRIAS BACTERIANAS) de bactérias Gram-negativas funciona como adesina; entretanto, em muitos casos é uma subunidade proteica menor (na extremidade da fimbria) que é a verdadeira adesina. Em bactérias Gram-positivas, uma camada superficial (proteica ou polissacarídica) serve como adesina específica. O que às vezes é denominado adesina polimérica (BIOFILMES) é diferente de adesina proteica.Células Parietais Gástricas: Células arredondadas ou piramidais das GLÂNDULAS GÁSTRICAS. Secretam ÁCIDO CLORÍDRICO e produzem o fator intrínseco gástrico, uma glicoproteína que se liga à VITAMINA B12.Células Epiteliais: Células que revestem as superfícies interna e externa do corpo, formando camadas celulares (EPITÉLIO) ou massas. As células epiteliais que revestem a PELE, a BOCA, o NARIZ e o CANAL ANAL derivam da ectoderme; as que revestem o APARELHO RESPIRATÓRIO e o APARELHO DIGESTIVO derivam da endoderme; outras ( SISTEMA CARDIOVASCULAR e SISTEMA LINFÁTICO), da mesoderme.Endoscopia: Procedimentos em que se empregam ENDOSCÓPIOS para diagnóstico e tratamento de doenças. A endoscopia envolve a passagem de um instrumento óptico através de pequena incisão na pele, isto é, percutânea; ou através de orifícios naturais e ao longo de vias naturais do corpo, como o trato digestório; e/ou através de incisão na parede de órgão ou estrutura tubular, isto é, transluminal, para examinar ou realizar cirurgia em partes interiores do corpo.Sensibilidade e Especificidade: Medidas de classificação binária para avaliar resultados de exames. Sensibilidade ou taxa de recall é a proporção de verdadeiros positivos. Especificidade é a probabilidade do teste determinar corretamente a ausência de uma afecção. (Tradução livre do original: Last, Dictionary of Epidemiology, 2d ed)Sulfóxidos: Compostos orgânicos que possuem a fórmula geral R-SO-R. São obtidos pela oxidação de mercaptanos (análogos às cetonas).Interleucina-8: Membro da família quimiocina CXC que desempenha um papel no controle da resposta inflamatória aguda. É secreta por vários tipos de células e induz a QUIMIOTAXIA de NEUTRÓFILOS e de outras células inflamatórias.Úlcera Péptica Hemorrágica: Sangramento proveniente de ÚLCERA PÉPTICA que pode estar localizada em qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL.Esofagite: INFLAMAÇÃO aguda ou crônica do ESÔFAGO, causada por BACTÉRIAS, químicos ou TRAUMA.Testes Sorológicos: Procedimentos diagnósticos envolvendo reações de imunoglobulina.Testes de Sensibilidade Microbiana: Qualquer teste que demonstre a eficácia relativa de diferentes agentes quimioterápicos contra micro-organismos específicos (isto é, bactérias, fungos, vírus).Contagem de Colônia Microbiana: Enumeração por contagem direta de CÉLULAS ou ESPOROS viáveis isolados de bactérias, archaea ou fungos capazes de crescerem em MEIOS DE CULTURA sólidos. O método é usado rotineiramente por microbiologistas ambientais para quantificar organismos no AR, ALIMENTOS E ÁGUA; por clínicos, para medir a resistência microbiana dos pacientes e no teste de medicamentos antimicrobianos.Esofagite Péptica: INFLAMAÇÃO do ESÔFAGO causada por refluxo do SUCO GÁSTRICO com conteúdos do ESTÔMAGO e DUODENO.Ilhas Genômicas: Unidades distintas de alguns GENOMAS de bactérias, bacteriófagos ou plasmídeos que são tipos de ELEMENTOS GENÉTICOS MÓVEIS. Neles se codificam diversos genes que facilitam a adaptação como os FATORES DE VIRULÊNCIA (em "ilhas ou ilhotes de patogenicidade"), genes de RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICO ou genes necessários para a SIMBIOSE (em "ilhas ou ilhotes de simbiose". Seu tamanho oscila entre 10 e 500 kilobases, e seu conteúdo GC e uso de CÓDON diferem do resto do genoma. Contêm caracteristicamente um gene INTEGRASE, ainda que em alguns casos este gene tenha sido eliminado, resultando em "ilhas genômicas ancoradas".Doença Crônica: Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por alteração patológica não reversível, requerem treinamento especial do paciente para reabilitação, pode-se esperar requerer um longo período de supervisão, observação ou cuidado.Regulação Bacteriana da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais os fatores citoplasmáticos ou intercelulares influem no controle diferencial da ação gênica nas bactérias.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Helicobacter felis: Espécie de HELICOBACTER que coloniza o ESTÔMAGO de CAMUNDONGOS, GATOS e CÃES de laboratório. Está associada com hiperplasia folicular linfoide e GASTRITE moderada em GATOS.Genótipo: Constituição genética do indivíduo que abrange os ALELOS presentes em cada um dos LOCI GÊNICOS.Helicobacter heilmannii: Espécie de bactérias Gram-negativas, em espiral, encontradas na mucosa gástrica, que são associadas com gastrite antral crônica. Esta bactéria foi inicialmente descoberta em amostras obtidas por endoscopia de pacientes investigados quanto a colonização por HELICOBACTER PYLORI.Estudos de Casos e Controles: Estudos epidemiológicos observacionais nos quais grupos de indivíduos com determinada doença ou agravo (casos) são comparados com grupos de indivíduos sadios (controles) em relação ao histórico de exposição a um possível fator causal ou de risco. (Tradução livre do original: Last, 2001)Determinação da Acidez Gástrica: Análise gástrica para determinação de ácidos livres ou totais.Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Genoma Bacteriano: Complemento genético de uma BACTÉRIA como representado em seu DNA.Fezes: Excrementos oriundos do INTESTINO que contêm sólidos não absorvidos, resíduos, secreções e BACTÉRIAS do SISTEMA DIGESTÓRIO.Vacinas Bacterianas: Suspensão de bactérias atenuadas ou mortas administrada para prevenção ou tratamento de doença infecciosa bacteriana.Antagonistas dos Receptores Histamínicos H2: Fármacos que se ligam seletivamente aos receptores H2 da histamina, porém sem ativá-los, bloqueando assim a ação da histamina. Sua ação clínica mais importante é a inibição da secreção de ácido no tratamento das úlceras gastrintestinais. O músculo liso também pode ser afetado. Alguns fármacos desta classe apresentam um forte efeito no sistema nervoso central, mas estas ações [ainda] não são bem compreendidas.Lesões Pré-Cancerosas: Relativo a um processo patológico que tende a tornar-se maligno. (Dorland, 28a ed)RNA Ribossômico 23S: Constituinte da subunidade 50S dos ribossomos procarióticos contendo cerca de 3200 nucleotídeos. O rRNA 23S encontra-se envolvido no início da síntese polipeptídica.Infecções por Campylobacter: As infecções por bactérias do gênero CAMPYLOBACTER.Concentração de Íons de Hidrogênio: Normalidade de uma solução com relação a íons de HIDROGÊNIO, H+. Está relacionada com medições de acidez na maioria dos casos por pH = log 1/2[1/(H+)], onde (H+) é a concentração do íon hidrogênio em equivalentes-grama por litro de solução. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)Anti-Infecciosos: Substâncias que impedem a disseminação de agentes ou organismos infecciosos ou que matam agentes infecciosos para impedir a disseminação da infecção.Benzimidazóis: Compostos com um BENZENO ligado aos IMIDAZÓIS.Resistência Microbiana a Medicamentos: Capacidade de micro-organismos (especialmente bactérias) em resistir ou tornar-se tolerante a agentes quimioterápicos, antimicrobianos ou a antibióticos. Essa resistência pode ser adquirida através de mutação gênica ou plasmídeos transmissíveis com DNA estranho (FATORES R).Cárdia: Parte do ESTÔMAGO próximo à desembocadura do ESÔFAGO no estômago (óstio cárdico), a JUNÇÃO ESOFAGOGÁSTRICA. O cárdia é assim chamado devido a sua proximidade com o CORAÇÃO. O cárdia é caracterizado pela ausência de células produtoras de ácido (CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS).Fundo Gástrico: Porção superior do corpo do estômago acima do nível da região cárdica.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade etc. dessas intervenções.Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteinas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Placa Dentária: Filme que se adere aos dentes, frequentemente causando a CÁRIE DENTÁRIA e GENGIVITE. É composta por MUCINAS (secretadas pelas glândulas salivares) e micro-organismos.Anti-Inflamatórios não Esteroides: Anti-inflamatórios não esteroidais. Além das ações anti-inflamatórias eles têm ações analgésicas, antipiréticas, e inibidoras de plaquetas. Eles bloqueiam a síntese de prostaglandinas inibindo a ciclo-oxigenase, que converte o ácido araquidônico em endoperóxidos cíclicos, precursores de prostaglandinas. A inibição da síntese de prostaglandinas explica as ações analgésicas, antipiréticas, e inibidoras de plaquetas; outros mecanismos podem contribuir para seus efeitos anti-inflamatórios.Duodenoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia da superfície luminal do duodeno.

Gastrite: -K29.7Claritromicina: Claritromicina é um macrólido semi sintético que tem como objetivo tratar infecções bacterianas de acordo com seus espectro de ação (gram positivos e atípicos) de primeira escolha para pneumonia com score de Port até segundo grau, sem necessidade de associações.Cilostazol: Cilostazol é um fármaco utilizado pela medicina como antiagregante plaquetário, utilizado na prevenção de novos acidentes vasculares cerebrais, nas vasculopatias ateroscleróticas ou diabéticas e na claudicação intermitente.Gastrina: A gastrina é um hormônio peptídeo que estimula a secreção de ácido clorídrico (parte do suco gástrico) e estimular a motilidade do estômago. É secretado pela célula G no antro do estômago.Bismutato de sódioBacitracina: Bacitracina é um fármaco de utilização tópica com ação antibiótica.P.Lansoprazol: Lansoprazol é um fármaco utilizado no tratamento de úlcera péptica, refluxo gastroesofágico, síndrome de Zollinger-Ellison. Em associação com antibióticos é empregado na erradicação do Helicobacter pylori.Metaplasia: Metaplasia é uma alteração reversível quando uma célula adulta, seja epitelial ou mesenquimal, é substituída por outra de outro tipo celular.Inibidor da bomba de protões: Os Inibidores da bomba de protões/prótons são um grupo de fármacos, que são usados no tratamento de úlceras gastrointestinais. Substituiram largamente na última década os anti-histamínicos H2, com mais efeitos secundários, nessa função.Duodenite: Duodenite é uma inflamação no duodeno. Pode persistir de forma aguda ou crônica.Helicobacter cinaedi: Helicobacter cinaedi é uma bactéria gram negativa, espiral, flagelada, não produz esporas e ao contrário de alguns outros helicobacter não produz urease. Era conhecida como Campylobacter cinaedi até sua análise molecular em 1991, que levou a uma revisão do gênero Campylobacter.Antiácido: Os antiácidos são medicamentos que aumentam o pH gástrico, neutralizando o ácido clorídrico (HCl) liberado pelas células gástricas (células parietais). São amplamente empregados na medicina humana (automedicação).MetalocenoVirulência: Virulência é a capacidade infecciosa de um microrganismo, medida pela mortalidade que ele produz e/ou por seu poder de invadir tecidos do hospedeiro. Dependendo da vida hostilizada e enormemente lascerada no caminho da vida.Corante de Giemsa: Coloração ou corante de Giemsa (/ ɡiːmsə /), em homenagem ao químico alemão e bacteriologista Gustav Giemsa, é usado em citogenética e para o diagnóstico histopatológico de malária e outros parasitas.Giemsa G (1904 Eine Vereinfachung und Vervollkommnung meiner Methylenblau-Eosin-Färbemethode zur Erzielung der Romanowsky-Nocht’schen Chromatinfärbung.Adesina: Adesinas são complexos protéicos que reconhecem e se ligam a receptores também protéicos na superfície da célula do hospedeiro.Suco gástrico: O suco gástrico, produzido no estômago, é um líquido claro que atua sobre as proteínas, transformando-as em polipeptídios, para que depois, no intestino delgado, esses polipeptídios sejam transformados em aminoácidos e sejam absorvidos.Epitélio escamosoExame complementar de diagnóstico: Nas ciências da saúde, são denominados exames complementar de diagnóstico aqueles exames (laboratoriais, de imagem, etc.) que complementam aos dados da anamnese e do exame físico para a confirmação das hipóteses diagnósticas e tratamento.Pantoprazol: Pantoprazol é um fármaco indicado para reduzir a acidez estomacal e os sintomas em casos de gastrite, gastroduodenite, dispepsia não ulcerosa e doença por refluxo gastroesofágico.Esofagite: A esofagite consiste na inflamação da mucosa que recobre o interior do esôfago. Pode vir acompanhada de um estreitamento no interior do conduto (estenose esofágica).Doença não transmissível: Uma doença não-transmissível ou DNT; doenças não infecciosas; doenças crônicas não transmissíveis; doenças crônico degenerativas são terminologias usadas para definir grupos de patologias caracterizadas pela ausência de microrganismos, ou seja é uma doença não infecciosa, como também pelo longo curso clínico e irreversibilidade.Caso-controle: Em epidemiologia, caso-controle ou caso-controlo é definido como uma forma de pesquisa observacional, longitudinal, em geral retrospectivo e analítico em que se compara dois grupos expostos a um determinado fator, o primeiro de indivíduos com determinada condição (p.e.Long terminal repeat: Long Terminal Repeats (LTR) são grandes sequências repetitivas de nucleotídeos que medem centenas ou milhares de bases. As LTRs são encontradas nas extremidades de uma molécula de ácido nucléico, flanqueando genes funcionais, como em DNA retroviral e em retrotransposons.CampilobacterioseBenzimidazolEstrutura primária: A estrutura primária é dada pela sequência de aminoácidos ao longo da cadeia polipeptídica. É o nível estrutural mais simples e mais importante, pois dele deriva todo o arranjo espacial da molécula.Placa bacteriana: Em odontologia, a placa bacteriana, ou biofilme, também referida como placa dental, é o acúmulo de bactérias da flora/ microbiota bucal sobre a superfície dos dentes e que é o fator determinante para que ocorra a cárie e a doença periodontal.Celecoxib

*  Estenose_pilórica
da luz do piloro , que é a porção final do estômago. É ... para o intestino piloro , devido ao aumento hipertrofia do piloro. O diagnóstico é feito através do exame
https://pt.wikipedia.org/wiki/Estenose_pilórica

*  Piloro
piloro piloro info anatomia nome piloro latim ... o piloro é uma constrição musculosa na porção ... da luz do piloro é conhecido como estenose pilórica
https://pt.wikipedia.org/wiki/Piloro

*  Artéria_gastroduodenal
vasculariza piloro duodeno proximal meshname ... sangue para o piloro parte distal do estômago e a parte
https://pt.wikipedia.org/wiki/Artéria_gastroduodenal

*  Ducula
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ducula

*  Organoneuro Cerebral: Bula, Preço e Posologia | Consulta Remédios
ou obstrução piloro-duodenal, hipertrofia prostática ou
http://consultaremedios.com.br/organoneuro-cerebral/p

*  Artéria_hepática_comum
o fígado piloro uma parte do estômago duodeno
https://pt.wikipedia.org/wiki/Artéria_hepática_comum

*  Intestino_delgado
está separado pelo piloro até o intestino grosso do qual está
https://pt.wikipedia.org/wiki/Intestino_delgado

*  Daniel_Defoe
https://pt.wikipedia.org/wiki/Daniel_Defoe

*  Enteroglucagon
contraindo o piloro inibe a insulina aumentando assim a
https://pt.wikipedia.org/wiki/Enteroglucagon

*  Jejunostomia
tumor de antro ou piloro irressecável e para alimentação que
https://pt.wikipedia.org/wiki/Jejunostomia


  Fazer uma pergunta:


Esofagite Grau A e Pangastrite Erosiva Plana Moderada?


Boa noite! Fiz uma endoscopia hoje e gostaria de informações à respeito deste diagnóstico.
Detalhes do Laudo: Esôfago- presença de refluxo durante o exame.
Estômago: Hiperemia moderada além de algumas erosões planas ovalares, principalmente de antro. Piloro centrado, móvel e pérveo.
Duodeno: Curto, mucosa sem alterações.
Desde já, agradeço a colaboração.
----------

Colega, qualquer diagnóstico depende da história clínica e do médico, que vai juntar tudo e lhe falar o que você tem. Vou apenas comentar a carater informativo sobre os termos do laudo:

--> Esofagite: esofagite é uma inflamação da mucosa do esôfago, geralmente quando ocorrem episódios onde "o conteúdo do estômago volta", chamado isso de refluxo, entende? Quando a gente tem muitos refluxos, a mucosa do esôfago (a camada que cobre a parte de dentro do esôfago) fica inflamada. A inflamação pode ter outras causas; o refluxo é apenas a mais comum.

--> Hiperemia: é um aumento da quantidade de sangue circulante num determinado local, ou seja: quando ocorre uma inflamação em algum lugar, logo vai ter o aumento de sangue ali, pois o corpo tenta direcionar fluxo sanguíneo para o local afim de que cheguem mais células de defesa no local para combater a infecção.

--> Pangastrite: veja bem, gastrite é inflamação da mucosa do estômago. Pangastrite é quando toda a mucosa do estomago se encontra inflamada. Essa "erosão" se refere a perda da camada mucosa, perda/destruição desse epitélio que recobre o estômago.

Diagnósticos somente com o médico (veja bem que isto é apenas o laudo; essas alterações podem não ser a doença em si, mas sim consequências de uma doença).
Consulte seu médico para informações específicas sobre seu caso e em caso de dúvidas, dê sempre preferência para tirá-las com seu médico. Abraços.  (+ info)

sou rh-,tive um bebê rh+,e meu marido rh+,não tomei a vacina o que posso fazer p/engravidar sem poblemas.?


eu perdi meu bebê, mais não foi por incompatibilidade não ele nasceu perfeito e depois de um mes desenvolveu hipertrofia de piloro e teve que operar mais adquiriu uma sepsemia e veio a falecer quero muito poder ter outro bebê, mais tenho medo porque não tomei a vacina.
----------

Não se preocupe, na tua segunda gravidez vc terá q tomar regularmente a vacina anti-Rh, do começo ao parto. Se só depender do Rh, tua futura gravidez não terá problema algum. Mesmo se por acaso vc se esquecer desse pequeno detalhe, o exame de sorotipagem é rotina no pré-natal, o teu obstetra não deixará isso passar despercebido e te indicará a melhor vacina e o local onde ela está disponível!

boa sorte!  (+ info)

Fiz uma endoscopia alta e o resultado foi que tinha a cardia e o piloro sempre abertos, quais as consequencia?


O que eu sei, isso pode provocar refluxo gástrico, onde o suco gastrico q está no estômago reflui para o esôfago provocando irritação. Deve ser tratado mais cedo possivel, e o tratamento, se não me engano , é cirurgico.  (+ info)

URGENTE (Endoscopia por imagens): Algum especialista que consiga decifrar esse resultado?


Desde já muito obrigado mesmo a quem poder ajudar.

LAUDO DESCRITIVO
Pré-med: Xylocaína spray + Midazolam 5mg.

Introdução e descida do aparelho sob visualização direta, com boa tolerância ao exame. Esôfago de calibre, dinâmica e distensibilidade sem alterações. A mucosa apresenta-se de coloração rósea. A transição esofagogástrica está 2 cm acima do pinçamento diafragmático, localizado a cerca de 37 cm da ADS. Com hérnia de hiato. Sem refluxo gastroesofágico.
Estômago facilmenti distensível, com pregueamento habitual da mucosa. Mucosa gástrica com enantema difuso e áreas de entremeio, secreção clara e límpida sem restos alimentares. O piloro e centrado e pérvio. Fundo observado a retro visão, sem alterações. Cárdia preservada.
Bulbo duodenal de conformações anatômicas, apresentando mucosa íntegra. Segunda porção sem alterações.

CONCLUSÃO

ESÔFAGO: HÉRNIA DE HIATO LEVE
ESTÔMAGO: PANGASTRITE ENANTEMATOSA
DUODENO: NORMAL
TESTE DA UREASE: POSITIVO
----------

Você está com uma hérnia de hiato e uma inflamação no estômago (gastrite). Se o teste de urease deu positivo é sinal que você tem o H. pilore (uma bactéria que provoca gastrite e inflamação estomacal).
Não se preocupe!!!! É tratável. Nada de grave!!!! Enquanto a hérnia de hiato for pequena, acredito que com medicamento e dietas alimentares o quadro possa ser reversível (sem precisar operar). Mas aguarde o pronunciamento do seu médico. Cada médico tem um procedimento. Talvez você precise tomar aquele coquitel para acabar com o H.Pilore.  (+ info)

fui a um medico gastro com o seguinte resultado de endoscopia: que esta abaixo?


EXAME VIDEONDOSCOPIA DIGESTIVA ALTA
ESOFAGO: permitindo a fácil progressão do aparelho em todo o seu trajeto, sem alterações endoscópicas em mucosa de toda a sua extensão. A transição esofagogástrica situa se ao nível do pinçamento diafragmatico, sem evidencia de hérnia hiatal.
ESTOMAGO: em boas condições para o exame, distensivel e com volume e pragueado mucoso conservado. Lago mucoso formado por liquido bilioso. A mucosa de revestimento apresenta enantema morbiliforme e de discreta intensidade em toda a extensão gástrica. Ausência de lesão ulcerada, elevada ou infiltrativa. Piloro centrico, de bom calibre e transponivel ao aparelho.
DUODENO: com bulbo de forma conservada e apresentando enantema leve em mucosa.
Segunda porção sem alterações.
ASPECTO ENDOSCOPICO:
-PANGASTRITE ENANTEMATICA LEVE
-BULBODUODENITE LEVE
Realizada biópsias em antro gástrico para pesquisa indireta de H. Pylori pelo teste da uréase a qual resultou NEGATIVA
O medico me receito ERRADIC UC E ZOLBEN. Sei que o erradic é para ulcera e bacterias. Não tem nenhum dos dois. Será que ele não exagerou? Há outra forma de tratamento? se eu desprezar esta medicação?
----------

Olha querida pelo resultado não indicava indícios de úlceras, mas se ele indicou é por que a provável índice de acordo com as bactérias encontradas em seu intestino, nada melhor que seguir as ordens do médico.  (+ info)

Por que o meu bebe tem crises de choro diárias, invulgares.?


Preciso de ajuda para entender as crises do meu bebe, perante esta sequência deste quadro clinico:Inicialmente as cólicas de latente, suposta intolerância há proteína de vaca, feses mto escuras associadas a fungo no intestino(candida abcansis medicado com miconstatim), após toma de vários leites(HA,AR,S/LACTOSE,HIDROLISADOS E SOJA) sem melhoras avançamos para ecografia abdominal tendo-se verificado a ocorrência de vários episódios de REFLUXO GASTRO-ESOFÁGICO permanecendo o CÁRDIA ABERTO durante alguns períodos de tempo com ligeiro atraso no esvaziamento gástrico derivado a este resultado iniciou-se o leite NUTRIBEN AR.Seguiu-se uma endoscopia alta tendo-se verificado o seguinte:MUCOSA E PERISTALTISMO COM CARATERISTICAS HABITUAIS.TRANSIÇÃO E-G AOS 15CM,POUCO EVIDENTE.CARDIA APARENTEMENTE COMPETENTE PARECENDO HAVER DISCRETO ESCORREGAMENTO DA MUCOSA QUE SE APRESENTA NORMAL(ESÓFAGO).CONTEÚDO MUCOSO ESCASSO PILORO CENTRADO ENTRE-ABERTO(ESTÔMAGO).DUODENO COM DUAS PAPILAS NA ENTRADA E SAÍDA.
Perante todo este imenso diagnóstico, continuamos sem respostas e as crises mantêm-se diáriamente.O MEU FILHO TEM 6 MESES.
----------

Eu não acredito que o médico não tenha explicado direito o que seu filho tem. Vcs não deveriam sair do consultório com tantas dúvidas.
Não sou formada em área de saúde, mas pelo que pude entender, seu filho tem refluxo, que é um problema muito comum em bbs, onde a válvula do esôfago não fecha direito e acarreta retorno da alimentação, causando crises de vômito e mais golfadas do que o normal.
Se for isso mesmo, está explicado o choro, pq o refluxo, especialmente em graus mais severos, dói muito. Dá queimação, agonia, enfim, é um tormento para o pequenino.
Seria interessante vocês procurarem outro pediatra para confirmar o diagnóstico ou até mesmo um gastro.
Não sei se o médico orientou, mas crianças que tem refluxo tem que ter certos cuidados especiais, pois ele pode se sufocar com vômito. Sendo assim, sempre que ele terminar de comer, deixe com a cabeça elevada (sentado ou recostado), por pelo menos meia hora. É prudente elevar a cabeceira do berço, pois ele não deve dormir com a cabeça baixa. Ponha livros ou tijolos debaixo dos pés da cabeceira do berço. Ele não deve encher o estômago demais, então deve ser dado o alimento em pequenas quantidades, com intervalos menores.
Existe medicação para controlar os sintomas do refluxo, inclusive essa azia e queimação.
Não sei se é isso que ele tem, então não deixe de procurar o médico e não saia do consultório sem ter todas as suas dúvidas respondidas.
Procure ler artigos sobre refluxo na internet. Vc vai encontrar muitos sites confiáveis que tratam sobre o tema.  (+ info)

Recebi um resultado de endoscopia e gostaria de saber se alguem sabe me ajuda a falar o que tenho...?


é que minha consulta com gastro só é daqui um mes...e ate la fico desesperada sem saber de nada...então
A passagem do parelho se faz com coloração do paciente e sem alterações neste nível.
Esôfago com calibre, distensibilidade e relevo mucoso íntegro em toda sua extensão. A TEG situa-se ao nivel do pinçamento diafragmatico. Com cárdia continente à endoscopia e sem refluxo durante o exame.
Estomago com câmara gastrica distensivel, volume conservado. Cardia a retroversão justa ao aparelho. Peritaltismo preservado, pregueado regular. Lago mucoso claro, sem residuo patologico. Notamos a presença de enantema moderado, distribuido em toda camara gastrica. Ausencia de erosoes, ulceras, vegetações e/ou infiltrações. Incisura angularis e piloro sem alteraçoes.
----------

Você está com uma simples gastrite. Não se preocupe muito.  (+ info)

urgente resultado de endoscopia.Um conhecido meu fez a endoscopia e saiu o resultado hj ke diz o seguinte: ?


ESÔFAGO : calibre luz e distensibilidade conservados. Mucosa integra em todo o trajeto .Transição esofagogástrica está a 1 cm acima do pinçamento diafragmático com prolápso gastroesofágico.
ESTÔMAGO: em boas coondições para exame, com forma, volume e distensibilidade conservados.Lago mucoso claro e em volume habitual.Na retrovisão, o hiato encontra-se ajustado e o fundo é livre de lesões.O pregueado mucoso é uniforme em todo o orgão."Incisura angulares" sem alteracões.No antro, a mucosa encotra-se com algumas estrias de hiperemia.Na pequena curvatura da região pré-pilórica observa-se a presença de úlcera ovalada de +/- 8mm , rasa. com a base recoberta por fibrina de pontos de hematina .Os bordos são regulares e nitidos.O piloro é cêntrico e facilmente permeado.
DUODENO: bulbo duodenal destensível e sem elterações na mucosa. A transposição para a segunda porção duodenal se faz sem dificuldades e encontar-se sem anormalidades.
CONCLUSÃO:
-Prolápso gastroesofágico.
-Gastrite enantematosa discreta do antro .
-Úlcera gástrica Ativa ( A1 Sakita ) com sinais de sangramento recente.
E entao pessoal kem entende do assunto qual sua avaliação ? é grave ?
----------

Cara isso é serio ninguem pode te ajudar soh o seu médico...minha irmã eh enfermeira...e ela disse que naum eh taum grave...mas q o melhor eh buscar o medico pedinte do exame...um abraço e melhoras para seu amigo  (+ info)