Helicobacter pylori: Bactéria espiral ativa como um patógeno gástrico humano. É curva ou ligeiramente espiralada, Gram-negativa, positiva para a presença de urease, inicialmente isolada (1982) de pacientes com lesões de gastrite ou úlceras pépticas na Austrália ocidental. Helicobacter pylori foi originalmente classificada no gênero CAMPYLOBACTER, mas a sequência de RNA, o perfil de ácidos graxos celulares, os padrões de crescimento e outras características taxonômicas indicam que o micro-organismo deveria ser incluído no gênero HELICOBACTER. Foi oficialmente transferido para o gênero Helicobacter gen. nov. (v. Int J Syst Bacteriol 1989 Oct; 39(4): 297-405).Infecções por Helicobacter: As infecções por organismos do gênero HELICOBACTER, particularmente em humanos do HELICOBACTER PYLORI. As manifestações clínicas estão concentradas no estômago, normalmente na mucosa gástrica e antro e no duodeno superior. Essa infecção tem um papel importante na etiopatogenia da gastrite do tipo B e da úlcera péptica.Gastrite: Inflamação da MUCOSA GÁSTRICA, uma lesão observada em vários transtornos não relacionados.Mucosa Gástrica: Revestimento do ESTÔMAGO formado por um EPITÉLIO interno, uma LÂMINA PRÓPRIA média e a MUSCULARIS MUCOSAE externa. As células superficiais produzem o MUCO que protege o estômago do ataque de ácidos e enzimas digestivos. Quando o epitélio se invagina para a LÂMINA PRÓPRIA em várias regiões do estômago (CÁRDIA, FUNDO GÁSTRICO e PILORO), há formação de diferentes glândulas tubulares gástricas. Estas glândulas são constituídas por células que secretam muco, enzimas, ÁCIDO CLORÍDRICO, ou hormônios.Urease: Enzima que catalisa a conversão da ureia e água a dióxido de carbono e amônia. EC 3.5.1.5.Piloro: Região do ESTÔMAGO (na junção com o DUODENO) caracterizada pelo espessamento das camadas musculares circulares do esfíncter pilórico, que controla a abertura e fechamento do lúmen.Úlcera Péptica: Úlcera que ocorre nas porções do TRATO GASTROINTESTINAL que entram em contato com o SUCO GÁSTRICO contendo PEPSINA e ÁCIDO GÁSTRICO. Ocorre quando há defeitos na barreira da MUCOSA. As formas comuns de úlcera péptica estão associadas com HELICOBACTER PYLORI e o consumo de drogas anti-inflamatórias não esteroides (NSAIDs).Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.Claritromicina: Antibiótico macrolídeo semissintético derivado da ERITROMICINA, que é ativa contra uma variedade de microrganismos. Pode inibir a SÍNTESE PROTEICA nas BACTÉRIAS pela ligação reversível às subunidades ribossômicas 50S, inibindo a translocação do RNA de transferência aminoacilado e impedindo a elongação da cadeia peptídica.Amoxicilina: Antibiótico semissintético de amplo espectro semelhante à AMPICILINA, exceto por sua resistência ao ácido gástrico que permite níveis séricos mais altos quando administrado oralmente.Metronidazol: Nitroimidazol utilizado para tratar a AMEBÍASE, VAGINITE, TRICOMONÍASE, GIARDÍASE, BACTÉRIAS ANAERÓBICAS e tricomonas INFECÇÕES POR TREPONEMAS. Foi também indicado como sensibilizador de radiação em células em hipóxia. De acordo com o Quarto Relatório Anual em Carcinógenos (NTP 85-002, 1985, p133), esta substância pode ser razoavelmente considerada um carcinógeno. (Tradução livre do original: Merck, 11th ed).Dispepsia: Digestão prejudicada, especialmente após alimentação.Úlcera Duodenal: ÚLCERA PÉPTICA situada no DUODENO.Antiulcerosos: Vários agentes com mecanismos de ação diferentes, usados para tratar ou melhorar [o estado de pacientes com] ÚLCERA PÉPTICA ou irritação no trato gastrintestinal. Entre eles estão os ANTIBIÓTICOS (para tratar [pacientes com] INFECÇÕES POR HELICOBACTER), ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES HISTAMÍNICOS H2 (para reduzir a secreção de ÁCIDO GÁSTRICO) e ANTIÁCIDOS (para aliviar os sintomas).Omeprazol: Derivado de 4-metoxi-3,5-dimetilpiridil, 5-metoxibenzimidazol do timoprazol usado na terapia de ÚLCERA GÁSTRICA e SÍNDROME DE ZOLLINGER-ELLISON. A droga inibe a ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO encontrada em CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS.Proteínas de Bactérias: Proteínas encontradas em qualquer espécie de bactéria.Neoplasias Gástricas: Tumores ou câncer do ESTÔMAGO.Antro Pilórico: Região entre a curvatura acentuada no terço inferior do ESTÔMAGO (incisão angular) e a junção do PILORO com o DUODENO. As glândulas do antro pilórico contêm células que secretam muco e células endócrinas secretoras de gastrina (CÉLULAS G).Gastropatias: Processos patológicos envolvendo o ESTÔMAGO.Gastrite Atrófica: GASTRITE com atrofia da MUCOSA GÁSTRICA, CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS e glândulas mucosas levando a ACLORIDRIA. A gastrite atrófica geralmente se desenvolve da gastrite crônica.Testes Respiratórios: Quaisquer testes feitos com o ar expirado.Úlcera Gástrica: Ulceração da MUCOSA GÁSTRICA devido contato com SUCO GÁSTRICO. Frequentemente está associada com infecção por HELICOBACTER PYLORI ou consumo de drogas anti-inflamatórias não esteroides (AGENTES ANTI-INFLAMATORIOS NÃO ESTEROIDES).Bismuto: Elemento metálico com símbolo atômico Bi, número atômico 83 e peso atômico 208,98.Antibacterianos: Substâncias que reduzem a proliferação ou a reprodução de BACTÉRIAS.Anticorpos Antibacterianos: Imunoglobulinas produzidas em resposta a ANTÍGENOS DE BACTÉRIAS.Gastroscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do interior do estômago.Lansoprazol: Derivado 2,2,2-trifluoroetoxipiridil do timoprazol usado na terapia de ÚLCERAS GÁSTRICAS e SÍNDROME DE ZOLLINGER-ELLISON. A droga inibe a ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO que é encontrada nas CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS. Lansoprazol é uma mistura racêmica dos isômeros (R)- e (S)-.Quimioterapia Combinada: Terapia administrada simultaneamente com duas ou mais preparações diferentes para obter um efeito combinado.Pepsinogênio A: Este é um dos 2 sistemas pepsinogênicos relacionados em humanos, também conhecido como pepsinogênio. (O outro é o PEPSINOGÊNIO C). Inclui os isozimogênios Pg1-Pg5 (pepsinogênios 1-5, grupo I ou produtos dos genes PGA1-PGA5). Este é o principal pepsinogênio encontrado na urina.Metaplasia: Situação em que há uma alteração de um tipo de célula adulta para outro tipo de célula adulta semelhante.Inibidores da Bomba de Prótons: Compostos que inibem ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO. São utilizados como ANTIULCEROSOS e, às vezes, no lugar de ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES H2 DE HISTAMINA para REFLUXO GASTROESOFÁGICO.Tinidazol: Antitricomona nitroimidazol eficaz contra infecções por Trichomonas vaginalis, Entamoeba histolytica e Giardia lamblia.Biópsia: Remoção e avaliação patológica de amostras, na forma de pequenos fragmentos de tecido do corpo vivo.Sistema do Grupo Sanguíneo de Lewis: Grupo de antígenos (herdados de modo dominante e independente) associado com os fatores sanguíneos ABO. Estes antígenos são glicolipídeos presentes no plasma e nas secreções, que podem aderir às hemácias. O fenótipo Le(b) é o resultado da interação do gene Le(a) com os genes para os grupos sanguíneos ABO.Duodenite: Inflamação do INTESTINO DELGADO na porção denominada DUODENO. A duodenite erosiva pode causar sangramento no TRATO GASTROINTESTINAL SUPERIOR e ÚLCERA PÉPTICA.Endoscopia Gastrointestinal: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do trato gastrointestinal.Gerbillinae: Subfamília de Muridae que compreende diversos gêneros, incluindo Gerbillus, Rhombomys, Tatera, Meriones e Psammomys.Ureia: Composto gerado no fígado a partir da amônia produzida pela desaminação dos aminoácidos. É o principal produto final do catabolismo das proteínas e constitui aproximadamente metade do total de sólidos urinários.Furazolidona: Derivado do nitrofurano e com atividade antiprotozoária e antibacteriana. A furazolidona atua por inibição gradual de monoamino oxidase. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p514)Ranitidina: Bloqueador não imidazólico daqueles receptores de histamina que fazem a mediação da secreção gástrica (receptores H2). É usado para tratar úlceras gastrointestinais.Helicobacter: Gênero de bactérias Gram-negativas, forma espiralada, patogênicas que têm sido isoladas do trato intestinal de mamíferos, incluindo os humanos. Tem sido associado com ÚLCERA PÉPTICA.Campylobacter: Gênero de bactérias encontradas em órgãos reprodutivos, trato intestinal e cavidade oral de animais e do homem. Algumas espécies são patogênicas.Gastrinas: Família de hormônios peptídicos gastrintestinais que estimula a secreção de SUCO GÁSTRICO. Também podem ocorrer no sistema nervoso central, onde são considerados neurotransmissores.Pepsinogênios: Proenzimas secretadas pelas células principais, células mucosas do pescoço (da glândula) e das glândulas pilóricas, que são convertidas em pepsina na presença de ácido gástrico ou da própria pepsina. (Dorland, 28a ed) Em humanos há dois sistemas de pepsinogênio relacionados: PEPSINOGÊNIO A (antigamente, pepsinogênio I ou pepsinogênio) e PEPSINOGÊNIO C (antigamente pepsinogênio II ou progastricsina). O pepsinogênio B é a denominação de um pepsinogênio de suínos.Ácido Gástrico: Ácido clorídrico presente no SUCO GÁSTRICO.DNA Bacteriano: Ácido desoxirribonucléico que forma o material genético de bactérias.Pepsinogênio C: Este é um dos 2 sistemas pepsinogênicos relacionados em humanos. É encontrado na próstata e líquido seminal, ao passo que o PEPSINOGÊNIO A, não.Antiácidos: Substâncias que atuam contra ou neutralizam a acidez do TRATO GASTROINTESTINAL.Reação em Cadeia da Polimerase: Método in vitro para produção de grandes quantidades de DNA específico ou fragmentos de RNA de comprimento definido de pequenas quantidades de oligonucleotídeos curtos de sequências flanqueantes (iniciadores ou "primers"). O passo essencial inclui desnaturação térmica de moléculas alvo da dupla fita, reassociação dos primers a suas sequências complementares e extensão do iniciador reassociado pela síntese enzimática com DNA polimerase. A reação é eficiente, específica e extremamente sensível. A utilização da reação inclui diagnóstico de doenças, detecção de patógenos difíceis de se isolar, análise de mutações, teste genético, sequenciamento de DNA e análise das relações evolutivas.Tetraciclina: Antibiótico naftaceno que inibe a ligação da aminoacil RNAt durante a síntese proteica.Citotoxinas: Substâncias tóxicas para as células: podem estar envolvidas na imunidade ou podem estar contidas em venenos. São diferentes dos CITOSTÁTICOS por causa da intensidade do efeito. Algumas delas são usadas como ANTIBIÓTICOS CITOTÓXICOS. O mecanismo de ação de muitas delas são os ALQUILANTES ou os MODULADORES DE MITOSE.Suco Gástrico: Secreção líquida da mucosa estomacal composta por ácido clorídrico (ÁCIDO GÁSTRICO), PEPSINOGÊNIOS, FATOR INTRÍNSECO, GASTRINA, MUCO e íon bicarbonato (BICARBONATOS). (tradução livre do original: Best & Taylor's Physiological Basis of Medical Practice, 12th ed, p651).Imunoglobulina G: Principal classe de isotipos da imunoglobulina no soro normal humano. Há várias subclasses de isotipos de IgG, por exemplo, IgG1, IgG2A e IgG2B.Antitricômonas: Agentes usados para tratar infecções por tricômonas.Linfoma de Zona Marginal Tipo Células B: Linfoma extranodal de tecido linfoide associado com mucosa em contato com antígenos exógenos. Muitos dos locais destes linfomas, como estômago, glândula salivar e tireoide, normalmente são destituídos de tecido linfoide. Adquirem tipo de tecido linfoide associado com mucosa (MALT) como um resultado de um transtorno mediado imunologicamente.Aderência Bacteriana: Propriedade físico-química de bactérias fimbriadas (FÍMBRIAS BACTERIANAS) e não fimbriadas de se ligar a células, tecidos e superfícies não biológicas. É um fator em colonização e patogenicidade bacteriana.Compostos Organometálicos: Classe de compostos do tipo R-M, em que o átomo C está ligado diretamente a qualquer outro elemento que não o H, C, N, O, F, Cl, Br, I ou At.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Penicilinas: Grupo de antibióticos que contêm o ácido 6-aminopenicilânico, tendo uma cadeia lateral ligada ao grupo 6-amino. O núcleo da molécula de penicilina é o principal requisito estrutural para sua atividade biológica. A estrutura de suas cadeias laterais determina muitas das características antibacterianas e farmacológicas. (Tradução livre do original: Goodman and Gilman's The Pharmacological Basis of Therapeutics, 8th ed, p1065)Estudos Soroepidemiológicos: ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS baseados na detecção, por meio de testes sorológicos, de alterações típicas no nível sérico de ANTICORPOS específicos. Além de casos clinicamente manifestos, infecções subclínicas latentes e condições de portadores podem ser detectadas.Virulência: Grau de patogenicidade dentro de um grupo ou espécies de micro-organismos ou vírus, conforme indicado pela taxa de fatalidade dos casos e/ou pela capacidade do organismo invadir os tecidos do hospedeiro. A capacidade patogênica de um organismo é determinada por seus FATORES DE VIRULÊNCIA.Ensaio de Imunoadsorção Enzimática: Imunoensaio utilizando um anticorpo ligado a uma enzima marcada, tal como peroxidase de raiz-forte (ou rábano silvestre). Enquanto a enzima ou o anticorpo estiverem ligados a um substrato imunoadsorvente, ambos retêm sua atividade biológica; a mudança na atividade enzimática como resultado da reação enzima-anticorpo-antígeno é proporcional à concentração do antígeno e pode ser medida por espectrofotometria ou a olho nu. Muitas variações do método têm sido desenvolvidas.Prevalência: Número total de casos de uma dada doença em uma população especificada num tempo designado. É diferenciada de INCIDÊNCIA, que se refere ao número de casos novos em uma população em um dado tempo.Fatores de Virulência: Componentes de um organismo que determinam sua capacidade para provocar doença, mas não são necessários para sua viabilidade. Tem sido caracterizadas duas classes: TOXINAS BIOLÓGICAS e moléculas de adesão de superfície que executam a capacidade do micro-organismo invadir e colonizar um hospedeiro. (Tradução livre do original: From Davis et al., Microbiology, 4th ed. p486)Genes Bacterianos: Unidades hereditárias funcionais das BACTERIAS.Endoscopia do Sistema Digestório: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do trato digestório.Corantes Azur: FENOTIAZINAS com um grupo amina na posição 3 que são cristais ou pó verde utilizados como corantes biológicos.Mucinas Gástricas: Mucinas que são encontradas na superfície do epitélio gástrico. Desempenham papel na proteção da camada epitelial de danos mecânicos e químicos.Nitrorredutases: Enzimas que reduzem grupos nitro (NITROCOMPOSTOS) e outros compostos nitrogenados.Acloridria: A falta de ÁCIDO CLORÍDRICO no SUCO GÁSTRICO apesar da estimulação de secreção gástrica.Gastroenteropatias: Doenças em qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL desde o ESÔFAGO ao RETO.Refluxo Gastroesofágico: Fluxo retrógrado de suco gástrico (ÁCIDO GÁSTRICO) e/ou conteúdos duodenais (ÁCIDOS E SAIS BILIARES, SUCO PANCREÁTICO) para dentro do ESÔFAGO distal, frequentemente devido à incompetência do ESFÍNCTER ESOFÁGICO INFERIOR.Duodeno: É a menor porção (e a mais larga) do INTESTINO DELGADO, adjacente ao PILORO do ESTÔMAGO. Seu nome é devido ao fato de seu comprimento ser igual à largura aproximada de 12 dedos.Antígenos CD15: Antígeno trissacarídeo expresso em glicolipídeos e em muitas glicoproteínas de superfície celular. No sangue, o antígeno é encontrado na superfície de NEUTRÓFILOS, EOSINÓFILOS e MONÓCITOS. Além disto, o antígeno CD15 é um antígeno embrionário estágio-específico.Adesinas Bacterianas: Componentes de superfície celular ou apêndices de bactérias que facilitam a adesão (ADESÃO BACTERIANA) a outras células ou superfícies inanimadas. A maioria das fimbrias (FÍMBRIAS BACTERIANAS) de bactérias Gram-negativas funciona como adesina; entretanto, em muitos casos é uma subunidade proteica menor (na extremidade da fimbria) que é a verdadeira adesina. Em bactérias Gram-positivas, uma camada superficial (proteica ou polissacarídica) serve como adesina específica. O que às vezes é denominado adesina polimérica (BIOFILMES) é diferente de adesina proteica.Células Parietais Gástricas: Células arredondadas ou piramidais das GLÂNDULAS GÁSTRICAS. Secretam ÁCIDO CLORÍDRICO e produzem o fator intrínseco gástrico, uma glicoproteína que se liga à VITAMINA B12.Células Epiteliais: Células que revestem as superfícies interna e externa do corpo, formando camadas celulares (EPITÉLIO) ou massas. As células epiteliais que revestem a PELE, a BOCA, o NARIZ e o CANAL ANAL derivam da ectoderme; as que revestem o APARELHO RESPIRATÓRIO e o APARELHO DIGESTIVO derivam da endoderme; outras (SISTEMA CARDIOVASCULAR e SISTEMA LINFÁTICO), da mesoderme. As células epiteliais podem ser classificadas principalmente pelo formato das células e pela função em escamosas, glandulares e de transição.Endoscopia: Procedimentos em que se empregam ENDOSCÓPIOS para diagnóstico e tratamento de doenças. A endoscopia envolve a passagem de um instrumento óptico através de pequena incisão na pele, isto é, percutânea; ou através de orifícios naturais e ao longo de vias naturais do corpo, como o trato digestório; e/ou através de incisão na parede de órgão ou estrutura tubular, isto é, transluminal, para examinar ou realizar cirurgia em partes interiores do corpo.Sensibilidade e Especificidade: Medidas de classificação binária para avaliar resultados de exames. Sensibilidade ou taxa de recall é a proporção de verdadeiros positivos. Especificidade é a probabilidade do teste determinar corretamente a ausência de uma afecção. (Tradução livre do original: Last, Dictionary of Epidemiology, 2d ed)Sulfóxidos: Compostos orgânicos que possuem a fórmula geral R-SO-R. São obtidos pela oxidação de mercaptanos (análogos às cetonas).Interleucina-8: Membro da família quimiocina CXC que desempenha um papel no controle da resposta inflamatória aguda. É secreta por vários tipos de células e induz a QUIMIOTAXIA de NEUTRÓFILOS e de outras células inflamatórias.Úlcera Péptica Hemorrágica: Sangramento proveniente de ÚLCERA PÉPTICA que pode estar localizada em qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL.Esofagite: INFLAMAÇÃO aguda ou crônica do ESÔFAGO, causada por BACTÉRIAS, químicos ou TRAUMA.Testes Sorológicos: Procedimentos diagnósticos envolvendo reações de imunoglobulina.Testes de Sensibilidade Microbiana: Qualquer teste que demonstre a eficácia relativa de diferentes agentes quimioterápicos contra micro-organismos específicos (isto é, bactérias, fungos, vírus).Contagem de Colônia Microbiana: Enumeração por contagem direta de CÉLULAS ou ESPOROS viáveis isolados de bactérias, archaea ou fungos capazes de crescerem em MEIOS DE CULTURA sólidos. O método é usado rotineiramente por microbiologistas ambientais para quantificar organismos no AR, ALIMENTOS E ÁGUA; por clínicos, para medir a resistência microbiana dos pacientes e no teste de medicamentos antimicrobianos.Esofagite Péptica: INFLAMAÇÃO do ESÔFAGO causada por refluxo do SUCO GÁSTRICO com conteúdos do ESTÔMAGO e DUODENO.Ilhas Genômicas: Unidades distintas de alguns GENOMAS de bactérias, bacteriófagos ou plasmídeos que são tipos de ELEMENTOS GENÉTICOS MÓVEIS. Neles se codificam diversos genes que facilitam a adaptação como os FATORES DE VIRULÊNCIA (em "ilhas ou ilhotes de patogenicidade"), genes de RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICO ou genes necessários para a SIMBIOSE (em "ilhas ou ilhotes de simbiose". Seu tamanho oscila entre 10 e 500 kilobases, e seu conteúdo GC e uso de CÓDON diferem do resto do genoma. Contêm caracteristicamente um gene INTEGRASE, ainda que em alguns casos este gene tenha sido eliminado, resultando em "ilhas genômicas ancoradas".Doença Crônica: Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por alteração patológica não reversível, requerem treinamento especial do paciente para reabilitação, pode-se esperar requerer um longo período de supervisão, observação ou cuidado.Regulação Bacteriana da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais os fatores citoplasmáticos ou intercelulares influem no controle diferencial da ação gênica nas bactérias.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Helicobacter felis: Espécie de HELICOBACTER que coloniza o ESTÔMAGO de CAMUNDONGOS, GATOS e CÃES de laboratório. Está associada com hiperplasia folicular linfoide e GASTRITE moderada em GATOS.Genótipo: Constituição genética do indivíduo que abrange os ALELOS presentes em cada um dos LOCI GÊNICOS.Helicobacter heilmannii: Espécie de bactérias Gram-negativas, em espiral, encontradas na mucosa gástrica, que são associadas com gastrite antral crônica. Esta bactéria foi inicialmente descoberta em amostras obtidas por endoscopia de pacientes investigados quanto à colonização por HELICOBACTER PYLORI.Estudos de Casos e Controles: Estudos epidemiológicos observacionais nos quais grupos de indivíduos com determinada doença ou agravo (casos) são comparados com grupos de indivíduos sadios (controles) em relação ao histórico de exposição a um possível fator causal ou de risco. (Tradução livre do original: Last, 2001)Determinação da Acidez Gástrica: Análise gástrica para determinação de ácidos livres ou totais.Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Genoma Bacteriano: Complemento genético de uma BACTÉRIA como representado em seu DNA.Fezes: Excrementos oriundos do INTESTINO que contêm sólidos não absorvidos, resíduos, secreções e BACTÉRIAS do SISTEMA DIGESTÓRIO.Vacinas Bacterianas: Suspensão de bactérias atenuadas ou mortas administrada para prevenção ou tratamento de doença infecciosa bacteriana.Antagonistas dos Receptores Histamínicos H2: Fármacos que se ligam seletivamente aos receptores H2 da histamina, porém sem ativá-los, bloqueando assim a ação da histamina. Sua ação clínica mais importante é a inibição da secreção de ácido no tratamento das úlceras gastrintestinais. O músculo liso também pode ser afetado. Alguns fármacos desta classe apresentam um forte efeito no sistema nervoso central, mas estas ações [ainda] não são bem compreendidas.Lesões Pré-Cancerosas: Relativo a um processo patológico que tende a tornar-se maligno. (Dorland, 28a ed)RNA Ribossômico 23S: Constituinte da subunidade 50S dos ribossomos procarióticos contendo cerca de 3200 nucleotídeos. O RNAr 23S encontra-se envolvido no início da síntese polipeptídica.Infecções por Campylobacter: As infecções por bactérias do gênero CAMPYLOBACTER.Concentração de Íons de Hidrogênio: Normalidade de uma solução com relação a íons de HIDROGÊNIO, H+. Está relacionada com medições de acidez na maioria dos casos por pH = log 1/2[1/(H+)], onde (H+) é a concentração do íon hidrogênio em equivalentes-grama por litro de solução. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)Anti-Infecciosos: Substâncias que impedem a disseminação de agentes ou organismos infecciosos ou que matam agentes infecciosos para impedir a disseminação da infecção.Benzimidazóis: Compostos com um BENZENO ligado aos IMIDAZÓIS.Resistência Microbiana a Medicamentos: Capacidade de micro-organismos (especialmente bactérias) em resistir ou tornar-se tolerante a agentes quimioterápicos, antimicrobianos ou a antibióticos. Essa resistência pode ser adquirida através de mutação gênica ou plasmídeos transmissíveis com DNA estranho (FATORES R).Cárdia: Parte do ESTÔMAGO próximo à desembocadura do ESÔFAGO no estômago (óstio cárdico), a JUNÇÃO ESOFAGOGÁSTRICA. O cárdia é assim chamado devido a sua proximidade com o CORAÇÃO. O cárdia é caracterizado pela ausência de células produtoras de ácido (CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS).Fundo Gástrico: Porção superior do corpo do estômago acima do nível da região cárdica.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Placa Dentária: Filme que se adere aos dentes, frequentemente causando a CÁRIE DENTÁRIA e GENGIVITE. É composta por MUCINAS (secretadas pelas glândulas salivares) e micro-organismos.Anti-Inflamatórios não Esteroides: Anti-inflamatórios não esteroidais. Além das ações anti-inflamatórias eles têm ações analgésicas, antipiréticas, e inibidoras de plaquetas. Eles bloqueiam a síntese de prostaglandinas inibindo a ciclo-oxigenase, que converte o ácido araquidônico em endoperóxidos cíclicos, precursores de prostaglandinas. A inibição da síntese de prostaglandinas explica as ações analgésicas, antipiréticas, e inibidoras de plaquetas; outros mecanismos podem contribuir para seus efeitos anti-inflamatórios.Duodenoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia da superfície luminal do duodeno.

*  Pesquisa de informação médica (Piloro • FAQ)
hipertrofia de piloro e teve que operar mais adquiriu uma ... tinha a cardia e o piloro sempre abertos, quais as consequencia. ... Vou apenas comentar a carater informativo sobre os termos do laudo: --> Esofagite: esofagite é uma inflamação da mucosa do esôfago, geralmente quando ocorrem episódios onde "o conteúdo do estômago volta", chamado isso de refluxo, entende. Quando a gente tem muitos refluxos, a mucosa do esôfago a camada que cobre a parte de dentro do esôfago fica inflamada. eu perdi meu bebê, mais não foi por incompatibilidade não ele nasceu perfeito e depois de um mes desenvolveu hipertrofia de piloro e teve que operar mais adquiriu uma sepsemia e veio a falecer quero muito poder ter outro bebê, mais tenho medo porque não tomei a vacina. Fiz uma endoscopia alta e o resultado foi que tinha a cardia e o piloro sempre abertos, quais as consequencia. O que eu sei, isso pode provocar refluxo gástrico, onde o suco gastrico q está no estômago reflui para o esôfago provocando irritação. Você está com u...
https://lookformedical.com/faq.php?lang=3&q=Piloro&from=8
*  Oque é piloro , e pra que ele serve ?... - Brainly.com.brBuscaAnteriorSeguinte
Oque é piloro , e pra que ele serve ?. ... 18 pontos. Oque é piloro , e pra que ele serve. por Isabelandi ... para comentar. O piloro é uma constrição musculosa na porção...
http://brainly.com.br/tarefa/639835
*  Estenose hipertrófica de piloro - ABC da Saúde Infantil | Hospital Infantil Sabará 202
hipertrófica de piloro - ABC da Sa de Infantil. Hospital ... hipertrófica de piloro Estenose hipertrófica de piloro. a ... circular do piloro. Forma-se um verdadeiro tumor ao n vel...
http://hospitalinfantilsabara.org.br/saude-da-crianca/informacoes-sobre-doencas/abc-saude-infantil/e/estenose-hipertrofica-de-piloro/
*  Estenose pilórica
da luz do piloro , que é a porção final do estômago. É ... para o intestino piloro , devido ao aumento hipertrofia do piloro. O diagnóstico é feito através do exame ... CID10 = {{ICD10|K|31|1|k|20}}, ICD10|Q|40|0|q|38. eMedicine mult = eMedicine2|radio|358. }} 'Estenose pilórica' é uma condição na qual há uma diminuição da luz do piloro, que é a porção final do estômago. É uma condição que causa vômito grave nas primeiras semanas ou meses de vida. Ocorre um estreitamento estenose da abertura do estômago para o intestino piloro, devido ao aumento hipertrofia do piloro. O diagnóstico é feito através do exame físico e exames de imagem ultra-som e radiografia de abdômen. 'Estenose pilórica hipertrófica do adulto', a forma adquirida da doença, é causada por um piloro estreitado devido à cicatriz ação de ulceração péptica crônica, ou por uma obstrução mecânica causada por neoplasia s. O diagnóstico pode ser feito através de uma história minuciosa e exame físico, freqüentemente complementados por estudos radiográf...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Estenose_pilórica
*  Enteroglucagon
contraindo o piloro inibe a insulina aumentando assim a ... enteroglucagon enteroglucagon enteroglucagon é um hormônio peptidico similar ao glucagon secretado pela mucosa do cólon e da parte final do íleo derivado do preproglucagon possui aminoácido s em sua cadeia é normalmente liberado após a ingestão de refeições ricas em carboidrato s e lipídeo s e retarda o esvaziamento gástrico contraindo o piloro inibe a insulina aumentando assim a glicose no sangue indiretamente em indivíduos não insulinodependentes http www ncbi nlm nih gov pubmed também estimula a renovação celular da mucosa intestinal é semelhante ao glucagon pancreático mas imunologicamente diferente pode ser sub dividido em glicentina e oxintomodulina mosby s medical dictionary th edition elsevier categoria hormônios peptídeos categoria hormônios dos intestinos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Enteroglucagon
*  Jejunostomia
tumor de antro ou piloro irressecável e para alimentação que ... jejunostomia jejunostomia jejunostomia é um procedimento cirúrgico que estabelece o acesso a luz do jejuno proximal através da parede abdominal está indicada para descompressão digestiva ressecção gástrica e íleo adinâmico fístulas digestivas gastrostomia total tumor de antro ou piloro irressecável e para alimentação que pode ser temporária ou definitiva nos casos de tumores irressécaveis a jejunostomia é uma operação que consiste em criar uma boca no jejuno para alimentar o paciente com retração do estômago através da jejunostomia se pratica uma abertura artificial através da parede abdominal no jejuno jejustomia é um procedimento cirúrgico que permite o acesso direto ao jejuno intestino este método pode ser usado quando é preciso evitar a passagem do alimento pelo estomago caractísticas sondas de silicone ou poliuretano paredes finas e flexíveis instaladas percutaneamente anestesia local fixadas na pele evita deslocamento durabilidade meses ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Jejunostomia
*  Artéria gastro-omental direita
exceto no piloro onde ela está em contato com o ... artéria gastro omental direita artéria gastro omental direita info artéria nome artéria gastro omental direita latim arteria gastro omentalis dextra arteria gastroepiploica dextra graysubject graypage imagem gray png legenda a artéria celíaca e seus ramos o fígado foi levantado e o omento menor e a camada anterior do omento maior foram removidos imagem illu lymph chain jpg legenda artérias gastro omentais direita e esquerda estão representadas pelo nº ramoda artéria gastroduodenal originaramos veia vasculariza meshname meshnumber dorlandspre a dorlandssuf a artéria gastro omental direita ou gastroepiplóica direita corre da direita para a esquerda ao longo da curvatura maior do estômago entre as camadas do omento maior se anastomosando com o ramo gastro omental esquerdo da artéria esplênica exceto no piloro onde ela está em contato com o ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Artéria_gastro-omental_direita
There was an error running the query [select url,title,summary,value1,8 from pages p, classification_medical c where title!='' and p.page_id = c.page_id and pos1,8=11396 order by value1,8 DESC limit 100 - You have an error in your SQL syntax; check the manual that corresponds to your MySQL server version for the right syntax to use near '8=11396 order by value1,8 DESC limit 100' at line 1]