Neovascularização Retiniana: Formação de novos vasos sanguíneos, se originando nas veias retinianas e se estendendo ao longo da superfície interna (vítrea) da retina.Neovascularização da Córnea: Novos vasos sanguíneos originados das veias corneanas que se estendem desde o limbo até o ESTROMA CORNEAL adjacente. A neovascularização no estroma corneano superficial e/ou profundo é uma sequela de numerosas doenças inflamatórias do segmento ocular anterior, incluindo TRACOMA, CERATITE intersticial viral, CERATOCONJUNTIVITE microbiana e uma resposta imune desencadeada por TRANSPLANTE DE CÓRNEA.Neovascularização de Coroide: Processo patológico que consiste da formação de novos vasos sanguíneos na COROIDE.Neovascularização Patológica: Processo patológico constituído por proliferação de vasos sanguíneos em tecidos ou posições anormais.Neovascularização Fisiológica: Desenvolvimento de novos VASOS SANGUÍNEOS durante a restauração da CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA durante os processos curativos.Fator A de Crescimento do Endotélio Vascular: Membro original da família dos fatores de crescimento da célula endotelial denominados FATORES DE CRESCIMENTO DO ENDOTÉLIO VASCULAR. O fator A de crescimento do endotélio vascular foi originalmente isolado de células tumorais e foi denominado "fator de angiogênese tumoral" e "fator de permeabilidade vascular". Embora seja expresso em concentrações elevadas em algumas células derivadas de tumores, é produzido por uma ampla variedade de tipos celulares. Além de estimular o crescimento e a permeabilidade vascular, pode ter um papel na estimulação da VASODILATAÇÃO através de vias dependentes do ÓXIDO NÍTRICO. O processamento alternativo do RNAm do fator A de crescimento do endotélio vascular resulta em várias isoformas da proteína que está sendo produzida.Angiofluoresceinografia: Visualização do sistema vascular após injeção intravenosa de uma solução de fluoresceína. As imagens podem ser fotografas ou televisionadas em uma tela. É utilizada especialmente para estudar a vascularização retinal e uveal.Vasos Retinianos: Vasos sanguíneos que nutrem e drenam a retina.Isquemia: Hipoperfusão do SANGUE através de um órgão (ou tecido) causado por uma CONSTRIÇÃO PATOLÓGICA, obstrução de seus VASOS SANGUÍNEOS ou ainda ausência de CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA.Corioide: Membrana delgada e altamente vascularizada que reveste a maior parte da região posterior do olho localizada entre a RETINA e a ESCLERA.Inibidores da Angiogênese: Agentes e substâncias endógenas que antagonizam ou inibem o desenvovlvimento de novos vasos sanguíneos.Retinopatia da Prematuridade: Retinopatia bilateral que tipicamente ocorre em lactentes prematuros tratados com altas concentrações de oxigênio, caracterizada por dilatação vascular, proliferação e tortuosidade, edema e descolamento de retina e, por último, conversão da retina em uma massa fibrosa que pode ser vista sob a forma de uma membrana retrolental densa. Geralmente, o crescimento do olho é interrompido e pode resultar em microftalmia, e cegueira pode ocorrer. (Dorland, 28a ed)Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Fotocoagulação a Laser: Uso de LASERS que produzem luz verde para parar o sangramento. A luz verde é absorvida seletivamente pela HEMOGLOBINA, e assim é possível provocar a COAGULAÇÃO SANGUÍNEA.Córnea: Porção anterior (transparente) da túnica fibrosa que reveste o olho, composta por cinco camadas: EPITÉLIO DA CÓRNEA (estratificado escamoso) LÂMINA LIMITANTE ANTERIOR, ESTROMA CORNEAL, LÂMINA LIMITANTE POSTERIOR e ENDOTÉLIO DA CÓRNEA (mesenquimal). Serve como primeiro meio de refração do olho. Estruturalmente, continua-se com a ESCLERA, é avascular, e recebe os nutrientes por permeação através de espaços entre as lamelas. É inervada pela divisão oftálmica do NERVO TRIGÊMEO (via nervos ciliares) e pelos da conjuntiva ao redor que, juntos, formam plexos. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed)Vasa Vasorum: Vasos sanguíneos nutridores que irrigam as paredes de grandes artérias e veias.Camundongos Endogâmicos C57BLCélulas Endoteliais: CÉLULAS EPITELIAIS altamente especializadas que revestem o CORAÇÃO, VASOS SANGUÍNEOS e linfáticos, formando o ENDOTÉLIO. Têm forma poligonal e são unidas por JUNÇÕES ÍNTIMAS que apresentam permeabilidade variável a macromoléculas específicas (transportadas através da camada endotelial).Injeções Intravítreas: Administração de substâncias no CORPO VÍTREO do olho com uma seringa hipodérmica.Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular: Família de proteínas angiogênicas estreitamente relacionadas com o FATOR A DE CRESCIMENTO DO ENDOTÉLIO VASCULAR. Desempenham um importante papel no crescimento e diferenciação das células endoteliais dos vasos sanguíneos e linfáticos.Queimaduras Oculares: Lesões em qualquer parte do olho por calor extremo, agentes químicos ou radiação ultravioleta.Membro Posterior: Cada uma das duas extremidades traseiras de animais terrestres não primatas, que apresentam quatro membros. Geralmente é constituído por FÊMUR, TÍBIA, FÍBULA, OSSOS DO TARSO, OSSOS DO METATARSO e DEDOS DO PÉ. (Tradução livre do original: Storer et al., General Zoology, 6th ed, p 73)Fatores de Crescimento Endotelial: Estes fatores de crescimento são mitógenos solúveis secretados por vários órgãos. São a mistura de duas cadeias polipeptídicas simples, que possuem afinidade com a heparina. Seu peso molecular é dependente do órgão e da espécie. Eles possuem efeitos mitogênicos e quimiotáticos, podendo estimular o crescimento de células endoteliais e sintetizar DNA. Os fatores estão relacionados tanto aos FATORES DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS básicos e ácidos, mas possuem diferentes sequências de aminoácidos.Degeneração Macular: Alterações degenerativas na RETINA, geralmente em adultos idosos, que resultam em perda da visão no centro do campo visual (MACULA LUTEA) devido à lesão na retina. Ocorre sob as formas seca e exsudativa (úmida).Injeções Intraoculares: Administração de substâncias dentro do olho com uma seringa hipodérmica.Corpo Vítreo: Substância transparente, semigelatinosa, que preenche a cavidade existente atrás do CRISTALINO do OLHO e à frente da RETINA. Está contido em uma membrana hialoide fina, formando cerca de 4/5 do globo ocular.Linfocinas: Fatores proteicos solúveis gerados por linfócitos ativados que afetam outras células, basicamente as envolvidas na imunidade celular.Queimaduras QuímicasRetina: Membrana de tecido nervoso (composta por dez camadas e encontrada no olho) que se continua no NERVO ÓPTICO. Recebe imagens de objetos externos e transmite [essas informações] ao cérebro [em forma de] impulsos visuais [nervosos]. Sua superfície externa está em contato com a COROIDE e a interna, com o CORPO VÍTREO. A camada mais externa é pigmentada e as outras (9), transparentes.Endotélio Vascular: Camada única de células que se alinham na superfície luminal em todo o sistema vascular e regulam o transporte de macromoléculas e componentes do sangue.Doenças RetinianasReceptor 2 de Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular: Receptor da tirosina quinase de 200 a 230 kDa para os fatores de crescimento do endotélio vascular encontrado principalmente em células endotelial e hematopoiética e suas precursoras. O VEGFR-2 é importante para o desenvolvimento vascular e hematopoiético e medeia quase todas as respostas da célula endotelial ao VEGF.Fundo de Olho: Região côncava interior do olho, consistindo da retina, da coroide, da esclera, do disco óptico e dos vasos sanguíneos, observada através do oftalmoscópio.Indutores da Angiogênese: Substâncias que induzem ou estimulam a NEOVASCULARIZAÇÃO FISIOLÓGICA ou a NEOVASCULARIZAÇÃO PATOLÓGICA.Antígenos CD31: Moléculas de adesão celular presentes em virtualmente todos os monócitos, plaquetas e granulócitos. O CD31 é altamente expresso em células endoteliais e concentrado nas junções entre elas.Capilares: Minusculos vasos que conectam as arteríolas e vênulas.Hidróxido de Sódio: Substância altamente corrosiva utilizada para neutralizar ácidos e para fazer sais de sódio.Lâmina Basilar da Corioide: Camada interna da CORIOIDE (também chamada de lamina basalis choroideae e membrana de Bruch), adjacente ao EPITÉLIO PIGMENTADO RETINIANO (EPR) do OLHO. É composta das membranas basais do ENDOTÉLIO coriocapilar e do EPR. Assim como o EPR, esta membrana termina no NERVO ÓPTICO.Epitélio Pigmentado da Retina: Monocamada de células epiteliais na RETINA contendo pigmento, situada próximo às extremidades (segmentos externos) das CÉLULAS FOTORRECEPTORAS DA RETINA. Estas células epiteliais são macroglia que executam funções essenciais para as células fotorreceptoras, como no transporte de nutrientes, fagocitose das membranas de fotorreceptores liberadas e na garantia da adesão retiniana.Ratos Endogâmicos BNMovimento Celular: Movimento de células de um lugar para outro. Diferencia-se da CITOCINESE, que é o processo de divisão do CITOPLASMA de uma célula.Injeções: Introdução de uma substância no corpo usando-se uma agulha e uma seringa.Proteínas Angiogênicas: Peptídeos e proteínas de sinalização intercelular que regulam a proliferação de novos vasos sanguíneos em condições fisiológicas normais (NEOVASCULARIZAÇÃO FISIOLÓGICA). A expressão aberrante de proteínas angiogênicas durante situações de doença, como a formação de tumores, também pode resultar em NEOVASCULARIZAÇÃO PATOLÓGICA.Serpinas: Família de inibidores de serino proteinase que são similares na sequência de aminoácidos e mecanismo de inibição, mas diferem na sua especificidade às enzimas proteolíticas. Essa família inclui a alfa 1-antitripsina, angiotensinogênio, ovalbumina, antiplasmina, alfa 1-antiquimotripsina, proteína de ligação de tiroxina, inativadores do complemento 1, antitrombina III, cofator II da heparina, inativadores de plasminogênio, proteína do gene Y, inibidor do ativador de plasminogênio placentário e proteína barley Z. Alguns membros da família das serpinas podem ser mais substratos do que inibidores de SERINA ENDOPEPTIDASES, e algumas serpinas aparecem em plantas, onde suas funções não são conhecidas.Hiperóxia: Aumento anormal na quantidade de oxigênio nos tecidos e órgãos.Lasers: Fonte óptica que emite fótons por um feixe coerente. A Amplificação da luz por Emissão de Radiação Estimulada (LASER) trouxe o uso de dispositivos que transformam a luz de várias frequências em uma única intensa, próxima do feixe não divergente de radiação monocromática. Os lasers operam nas regiões do espectro [dos comprimentos de onda] visível, infravermelho, ultravioleta ou de raios X.Receptor 1 de Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular: Receptor de VEGF de 180 kDa encontrado principalmente em células endoteliais, essencial para a vasculogênese e manutenção dos vasos. Também é conhecido como Flt-1 (receptor 1 da tirosina quinase do tipo fms). Uma isoforma do receptor solúvel e obtida pelo processamento alternativo pode atuar como uma proteína ligante que regula a disponibilidade de vários ligantes do receptor VEGF e da transdução de sinal.Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Estrias Angioides: Pequenas fendas no tecido da retina preenchido com elastina.Fotocoagulação: Coagulação de tecido por um intenso feixe de luz, incluindo o laser (COAGULAÇÃO A LASER). No olho, é utilizada no tratamento de descolamento retinal, abertura retinal, aneurismas, hemorragias e neoplasias malignas e benignas.Técnica Indireta de Fluorescência para Anticorpo: Técnica de fluorescência para anticorpo, geralmente utilizada para detectar anticorpos e complexos imunológicos em tecidos e micro-organismos em pacientes com doenças infecciosas. A técnica envolve a formação de um complexo antígeno-anticorpo que é ligado a uma fluoresceína conjugada a um anticorpo anti-imunoglobina.Fator 2 de Crescimento de Fibroblastos: Fator de crescimento composto por um polipeptídeo de cadeia simples que desempenha um importante papel no processo de CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS e um potente indutor da ANGIOGÊNESE FISIOLÓGICA. Há várias formas distintas da proteína humana variando de 18 a 24 kDa devido à utilização de locais iniciadores alternativos no gene fgf-2. Tem 55 por cento de aminoácidos similares ao FATOR 1 DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS e possui potente atividade ligada à heparina. Em vários tipos de células das linhagens do mesoderma e neuroectoderma. Foi originalmente denominado fator de crescimento básico de fibroblastos em virtude de suas propriedades químicas e para diferenciá-lo do fator de crescimento ácido de fibroblastos (FATOR 1 DE CRESCIMENTO DE FIBROBLASTOS).Epitélio Pigmentado Ocular: Camada de células epiteliais que contêm pigmento na RETINA, no CORPO CILIAR e na ÍRIS do olho.Células-Tronco: Células relativamente indiferenciadas que conservam a habilidade de dividir-se e proliferar durante toda a vida pós-natal, a fim de fornecer células progenitoras que possam diferenciar-se em células especializadas.Álcalis: Geralmente um hidróxido de lítio, sódio, potássio, rubídio ou césio, incluindo também os carbonatos destes metais, amônia e aminas.Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.Pericitos: Células delgadas únicas com vários processos estendendo-se ao longo do eixo do vaso capilar e circundando a parede vascular, também denominadas células murais. Os pericitos estão imersos na MEMBRANA BASAL e compartilhados com as CÉLULAS ENDOTELIAIS do vaso. Os pericitos são importantes na manutenção da integridade do vaso, angiogênese e na remodelagem vascular.Reação em Cadeia da Polimerase Via Transcriptase Reversa: Variação da técnica de PCR na qual o cDNA é construído do RNA através de uma transcrição reversa. O cDNA resultante é então amplificado utililizando protocolos padrões de PCR.Fotoquimioterapia: Terapia que utiliza agentes fotossensibilizantes orais ou tópicos, com subsequente exposição à luz.Camundongos Knockout: Linhagens de camundongos nos quais certos GENES dos GENOMAS foram desabilitados (knocked-out). Para produzir "knockouts", usando a tecnologia do DNA RECOMBINANTE, a sequência do DNA normal no gene em estudo é alterada para impedir a síntese de um produto gênico normal. Células clonadas, nas quais esta alteração no DNA foi bem sucedida, são então injetadas em embriões (EMBRIÃO) de camundongo, produzindo camundongos quiméricos. Em seguida, estes camundongos são criados para gerar uma linhagem em que todas as células do camundongo contêm o gene desabilitado. Camundongos knock-out são usados como modelos de animal experimental para [estudar] doenças (MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS) e para elucidar as funções dos genes.Receptores de Fatores de Crescimento do Endotélio Vascular: Família de RECEPTORES PROTEÍNA TIROSINA QUINASES intimamente relacionados que se ligam aos fatores de crescimento do endotélio vascular. Eles compartilham um grupo de sete domínios extracelulares do tipo Ig importantes para a ligação do ligante. São amplamente expressos no endotélio vascular e críticos para o crescimento fisiológico e patológico, desenvolvimento e manutenção de sangue e vasos linfáticos.Degeneração Macular Exsudativa: Forma de DEGENERAÇÃO RETINIANA em que a NEOVASCULARIZAÇÃO DE COROIDE ocorre abaixo da RETINA e da MACULA LUTEA, o que causa sangramento e extravasamento de líquido. Isto leva ao abaulamento ou elevação da macula e à distorção ou destruição da visão central.Animais Recém-Nascidos: Refere-se a animais no período logo após o nascimento.Receptor de TIE-2: Receptor de TIE tirosina quinase que é encontrado quase exclusivamente nas CÉLULAS ENDOTELIAIS. É necessário para o desenvolvimento vascular embrionário (NEOVASCULARIZAÇÃO FISIOLÓGICA) e para a angiogênese tumoral (NEOVASCULARIZAÇÃO PATOLÓGICA).Retinopatia Diabética: Doença da RETINA resultante de uma complicação de DIABETES MELLITUS. Caracteriza-se por complicações microvasculares progressivas, como ANEURISMA, EDEMA inter-retiniano e NEOVASCULARIZAÇÃO PATOLÓGICA intraocular.Angiopoietina-1: Primeiro membro descoberto da família das angiopoetinas. Pode desempenhar um papel no aumento de germinação e ramificação dos VASOS SANGUÍNEOS. A angiopoetina-1 se liga especificamente e estimula o RECEPTOR DE TIE-2. Há várias isoformas de angiopoetina-1 que ocorrem devido ao PROCESSAMENTO ALTERNATIVO de seus RNAm.Membrana Corioalantoide: Membrana extraembrionária altamente vascularizada, formada pela fusão do CÓRION com o ALANTOIDE (encontrada principalmente em AVES e RÉPTEIS). Usada no estudo na biologia tumoral ou celular, como modelo de angiogênese e TRANSPLANTE DE TECIDOS.Cicatrização: Restauração da integridade a tecido traumatizado.Administração Tópica: Aplicação de preparações de droga às superfícies do corpo, especialmente na pele (ADMINISTRAÇÃO CUTÂNEA) ou nas mucosas. Este método de tratamento é usado para evitar efeitos colaterais sistêmicos quando doses altas são necessárias a uma área localizada ou como uma via alternativa de administração sistêmica, por exemplo, para evitar o processo hepático.Opacidade da Córnea: Transtorno que ocorre na área central ou periférica da córnea. O grau normal de transparência torna-se relativamente opaco.Oxigênio: Elemento com símbolo atômico O, número atômico 8 e peso atômico [15.99903; 15.99977]. É o elemento mais abundante da Terra e essencial à respiração.Ceratite: Inflamação da córnea.Cauterização: Aplicação de uma substância cáustica, um instrumento quente, uma corrente elétrica ou outro agente para controlar o sangramento durante a remoção ou destruição de um tecido.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Fármacos Fotossensibilizantes: Fármacos farmacologicamente inativos, porém, quando expostos à radiação ultravioleta ou à luz solar, são convertidos em seus metabólitos ativos; isso produz uma reação que beneficia o tecido doente. Esses compostos podem ser administrados tópica ou sistemicamente, sendo usados no tratamento da psoríase e de vários tipos de neoplasias.Angiopoietina-2: Angiopoetina intimamente relacionada com a ANGIOPOETINA-1. Liga-se ao RECEPTOR DE TIE-2 sem estimulação do receptor e antagoniza o efeito da ANGIOPOETINA-1. Contudo, este efeito antagonista pode estar limitado a receptores celulares que ocorrem na vasculatura. Portanto, a angiopoetina-2 pode desempenhar um papel inibidor na regulação das germinações e ramificações dos VASOS SANGUÍNEOS.Soluções Oftálmicas: Solução estéril para instilação no olho. Não incluem soluções para limpeza de óculos ou SOLUÇÕES PARA LENTES DE CONTATO.Proliferação de Células: Todos os processos envolvidos em aumentar o NÚMERO DE CÉLULAS. Estes processos incluem mais que a DIVISÃO CELULAR, parte do CICLO CELULAR.Miopia Degenerativa: Miopia axial excessiva associada com complicações (especialmente estafiloma posterior e NEOVASCULARIZAÇÃO COROIDAL) que podem levar a CEGUEIRA.Trombospondina 1: Glicoproteína de matriz extracelular de plaquetas e de várias células normais e transformadas de origem tanto mesenquimal quanto epitelial. A trombospondina 1 supostamente desempenha um papel na migração celular e proliferação, durante a embriogênese e reparo de lesão. Também tem sido estudado o seu potencial uso como um regulador de crescimento de tumor e metástase.Western Blotting: Identificação por transferência de mancha (em um gel) contendo proteínas ou peptídeos (separados eletroforeticamente) para tiras de uma membrana de nitrocelulose, seguida por marcação com sondas de anticorpos.Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intercelular: Proteínas e peptídeos regulatórios que são moléculas sinalizadoras envolvidas no processo de COMUNICAÇÃO PARÁCRINA. De modo geral, são fatores expressos em uma célula e cujos receptores alvos estão em outra célula vizinha. Diferem dos HORMÔNIOS pelo fato de suas ações serem locais e não à distância.Acuidade Visual: Clareza ou nitidez da VISÃO OCULAR ou a habilidade dos olhos de enxergar detalhes finos. A acuidade visual depende das funções da RETINA, da transmissão nervosa e da habilidade interpretativa do encéfalo. A acuidade visual normal (humana) é expressa como 20/20, que indica que uma pessoa pode enxergar a 20 pés (aproximadamente 6,1 m) o que normalmente deve ser visto a esta distância. A acuidade visual também pode ser influenciada por brilho, cor e contraste.Alantoide: Saco membranoso extraembrionário derivado do SACO VITELINO de RÉPTEIS, AVES e MAMÍFEROS. Fica entre duas outras membranas extraembrionárias, o ÂMNIO e o CÓRION. O alantoide serve para armazenar resíduos urinários e mediar trocas de gases e nutrientes para o embrião em desenvolvimento.Proteínas do OlhoCélulas Endoteliais da Veia Umbilical Humana: Células endoteliais que recobrem os vasos venosos do CORDÃO UMBILICAL.Endostatinas: Proteínas angiostáticas formadas por divisões proteolíticas do COLÁGENO TIPE XVIII.Hemorragia Retiniana: Sangramento [a partir] dos vasos da retina.Porfirinas: Grupo de compostos que contêm uma estrutura porfina, quatro anéis pirrólicos conectados por pontes de metino em uma configuração cíclica às quais uma variedade de cadeias laterais encontram-se ligadas. A natureza das cadeias laterais encontra-se indicada por um prefixo, como uroporfirina, hematoporfirina, etc. As porfirinas, em combinação com o ferro, formam o componente heme de compostos biologicamente significativos, tais como a hemoglobina e a mioglobina.Leucostasia: Agregação e aderência leucocitária intravascular anormal, em geral encontrada em pacientes com leucemia. O cérebro e os pulmões são os dois órgãos mais afetados. Esta síndrome aguda requer modalidades citorredutoras agressivas, incluindo quimioterapia e/ou leucoforese. É diferenciada da INFILTRAÇÃO LEUCÊMICA, que é um processo neoplástico no qual as células leucêmicas invadem os órgãos.Fatores de Crescimento Neural: Fatores que aumentam a potencialidade de crescimento de neurônios sensitivos e simpáticos.Permeabilidade Capilar: Propriedade dos capilares sanguíneos do ENDOTÉLIO que permite a troca seletiva de substâncias entre o sangue e os tecidos circunscritos e através de barreiras membranosas, como as BARREIRA SANGUE-AR, BARREIRA HEMATOAQUOSA, BARREIRA HEMATOENCEFÁLICA, BARREIRA HEMATONEURAL, BARREIRA HEMATO-RETINIANA e BARREIRA HEMATOTESTICULAR. Moléculas lipossolúveis pequenas, como o dióxido de carbono e oxigênio deslocam-se livremente por difusão. A água e as moléculas hidrossolúveis não podem passar através das paredes do endotélio e dependem de poros microscópicos. Estes poros mostram áreas estreitas (JUNÇÕES ESTREITAS) que podem limitar o movimento de moléculas grandes.Camundongos Transgênicos: Camundongos de laboratório que foram produzidos de um OVO ou EMBRIÃO DE MAMÍFEROS, manipulados geneticamente.Glaucoma Neovascular: Forma de glaucoma secundário que se desenvolve como consequência de outra doença ocular e é atribuída à formação de novos vasos no ângulo da câmara anterior.Camundongos Nus: Camundongos mutantes homozigotos para o gene recessivo de "nudez" que não desenvolvem um timo. São úteis em estudos de tumor e estudos sobre resposta imune.Fóvea Central: Área de aproximadamente 1,5 mm de diâmetro, localizada na mácula lútea, onde a retina se adelgaça bastante em virtude do deslocamento oblíquo de todas as camadas da retina com exceção da pigmentar. Inclui as paredes inclinadas da fóvea (clivo) e contém poucos bastonetes em sua periferia. Em seu centro (fovéola) estão os cones mais adaptados à alta acuidade visual, uma vez que cada cone está conectado com apenas uma única célula ganglionar. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed)Microvasos: Os menores vasos sanguíneos da vasculatura que possuem geralmente menos de 100 micra de diâmetro interno.Proteínas Angiostáticas: Proteínas que inibem especificamente o crescimento de novos vasos sanguíneos (ANGIOGÊNESE FISIOLÓGICA).Coelhos: Espécie Oryctolagus cuniculus (família Leporidae, ordem LAGOMORPHA) nascem nas tocas, sem pelos e com os olhos e orelhas fechados. Em contraste com as LEBRES, os coelhos têm 22 pares de cromossomos.Anóxia: Ausência relativamente total de oxigênio em um ou mais tecidos.Veias Umbilicais: Vasos venosos no cordão umbilical. Transportam sangue oxigenado, rico em nutrientes da mãe ao FETO (via PLACENTA). Em humanos, normalmente há uma veia umbilical.Anticorpos Monoclonais Humanizados: Anticorpos de espécies não humanas cujas sequências proteicas foram modificadas para torná-los quase idênticos aos anticorpos humanos. Se a região constante e parte da variável forem substituídas, são chamados anticorpos humanizados. Se somente a região constante for substituída, são chamados anticorpos quiméricos. Os nomes da Denominação Comum Internacional (DCI) para anticorpos humanizados terminam em -zumab.Traumatismos Oculares: Dano ou trauma causado no olho por instrumentos externos. O conceito inclui ambas as lesões de superfície e lesões intraoculares.Injeções Intraperitoneais: Administração forte e assertiva na cavidade peritoneal de medicação líquida, nutrientes ou outros fluidos através de uma agulha que perfura a parede abdominal.Fluxometria por Laser-Doppler: Método não invasivo de medida contínua da MICROCIRCULAÇÃO. A técnica é baseada nos valores do EFEITO DOPPLER de luz laser de baixa energia, randomicamicamente distribuída pelas estruturas estáticas e partículas que se movem no tecido.Ensaio de Imunoadsorção Enzimática: Imunoensaio utilizando um anticorpo ligado a uma enzima marcada, tal como peroxidase de raiz-forte (ou rábano silvestre). Enquanto a enzima ou o anticorpo estiverem ligados a um substrato imunoadsorvente, ambos retêm sua atividade biológica; a mudança na atividade enzimática como resultado da reação enzima-anticorpo-antígeno é proporcional à concentração do antígeno e pode ser medida por espectrofotometria ou a olho nu. Muitas variações do método têm sido desenvolvidas.Epitélio Anterior: Epitélio escamoso, estratificado que recobre a superfície externa da CÓRNEA. É lisa e contém muitas terminações nervosas livres.Hemorragia Vítrea: Hemorragia para dentro do CORPO VÍTREO.Transplante de Células-Tronco: Transferência de CÉLULAS-TRONCO de um indivíduo para outro da mesma espécie (TRANSPLANTE HOMÓLOGO) ou entre espécies (XENOTRANSPLANTE), ou transferência num mesmo indivíduo (TRANSPLANTE AUTÓLOGO). A fonte e o local das células-tronco determina seu potencial ou pluripotência para diferenciar-se em vários tipos de células.Regulação para Cima: Efeito controlador positivo sobre os processos fisiológicos nos níveis molecular, celular ou sistêmico. No nível molecular, os principais sítios regulatórios incluem os receptores de membrana, genes (REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA), RNAm (RNA MENSAGEIRO) e as proteínas.Técnicas Imunoenzimáticas: Técnicas imunológicas baseadas no uso de: 1) conjugados enzima-anticorpo, 2) conjugados enzima-antígeno, 3) anticorpo antienzima seguido por suas enzimas homólogas ou 4) complexos enzima-antienzima. Essas técnicas são utilizadas histologicamente para visualizar ou marcar amostras de tecido.Verde de Indocianina: Corante tricarbocianina utilizado diagnosticamente para testes da função hepática e para determinar os rendimentos dos volumes sanguíneo e cardíaco.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Ceratoplastia Penetrante: Substituição parcial ou total de todas as camadas de uma porção central da córnea.Células da Medula Óssea: Células contidas na medula óssea, incluindo células adiposas (ver ADIPÓCITOS), CÉLULAS ESTROMAIS, MEGACARIÓCITOS e os precursores imediatos da maioria das células sanguíneas.Descolamento Retiniano: Separação das camadas internas da retina (retina neural) do epitélio pigmentar. (Dorland, 28a ed)Barreira Hematorretiniana: Barreira especializada (formada pelo EPITÉLIO pigmentar retinal e pelo ENDOTÉLIO dos VASOS SANGUÍNEOS da RETINA) que dificulta as trocas no OLHO. As JUNÇÕES ÍNTIMAS (entre células adjacentes) mantêm a barreira entre o contínuo das células.Oclusão da Veia Retiniana: Oclusão da VEIA RETINIANA. Pacientes com alto risco de desenvolver esta afecção incluem aqueles com HIPERTENSÃO, DIABETES MELLITUS, ATEROSCLEROSE e outras CARDIOPATIAS.Combinação de Medicamentos: Preparação única (com dois agentes ativos ou mais), para administração simultânea como uma mistura de dose fixa.Corioidite: Inflamação da corioide.Camundongos Endogâmicos BALB CTransplante de Córnea: Substituição parcial ou total da CÓRNEA de um humano ou animal, para outro.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.Divisão Celular: Fissão de uma CÉLULA. Inclui a CITOCINESE quando se divide o CITOPLASMA de uma célula e a DIVISÃO DO NÚCLEO CELULAR.Córion: Membrana extraembrionária mais externa que envolve o embrião em desenvolvimento. Nos RÉPTEIS e AVES, está aderida à casca e permite as trocas gasosas entre o ovo e seu ambiente. Nos MAMÍFEROS o córion evolui para a contribuição fetal da PLACENTA.Quimiocina CXCL12: Quimiocina CXC quimiotática para LINFÓCITOS T e MONÓCITOS. Possui especificidade para RECEPTORES CXCR4. Duas isoformas de CXCL12 são produzidas pelo processamento alternativo de RNAm.Terapia a Laser: Uso dos efeitos fototérmicos de LASERS para coagular, cortar (ou incindir), vaporizar, extirpar (ou ressecar), dissecar ou reconstituir tecidos.Substância Própria: Tecido conjuntivo, organizado em lamelas, que constitui a camada mais espessa da córnea localizada entre a LÂMINA LIMITANTE ANTERIOR e a LÂMINA LIMITANTE POSTERIOR (membranas de Bowman e de Descemet, respectivamente).Ratos Nus: Linhagem mutante de Rattus norvegicus sem o timo e com função de célula T diminuída ou ausente. Esta linhagem de ratos pode ter pequena quantidade de pelos em alguns momentos, mas que os perde.Laminina: Glicoproteína grande, não colagenosa com propriedades antigênicas. Localiza-se na lamina lucida da membrana basal e atua como ligadora de células epiteliais à membrana basal. Evidências sugerem que a proteína desempenha um papel na invasão tumoral.Microcirculação: Circulação do SANGUE através da rede de MICROVASOS.Células Ependimogliais: Células da macroglia do EPÊNDIMA. São caracterizadas pela forma do corpo celular bipolar e processos que contatam a LÂMINA BASAL ao redor de vasos sanguíneos e/ou PIA MÁTER e os VENTRÍCULOS CEREBRAIS.Tomografia de Coerência Óptica: Método de diagnóstico por imagem que utiliza LASERS empregado para mapear estruturas subsuperficiais. Quando um sítio refletor da amostra está na mesma longitude de trajetoria óptica (coerência) como espelho de referência, o detector observa o perímetro de interferência.Terapia Genética: Técnicas e estratégias que incluem o uso de sequências gênicas codificadoras e outros meios convencionais e radicais para transformar ou modificar as células com o propósito de tratar ou reverter situações de doença.Doenças da Córnea: Doenças da córnea.Expressão Gênica: Manifestação fenotípica de um gene (ou genes) pelos processos de TRANSCRIÇÃO GENÉTICA e TRADUÇÃO GENÉTICA.Angiostatinas: Proteínas circulantes de 38 kDa que são fragmentos peptídicos internos do PLASMINOGÊNIO. A denominação deriva do fato de serem potentes INIBIDORES DA ANGIOGÊNESE. As angiostatinas contêm quatro domínios Kringle (KRINGLES) que estão associados com sua potente atividade angiostática.Ceratite Herpética: Infecção epitelial e superficial da córnea pelo Herpesvirus hominis, caracterizada pela presença de pequenas vesículas que podem se romper e coalescer, formando úlceras dendríticas (CERATITE DENDRÍTICA). (Tradução livre do original: Dictionary of Visual Science, 3d ed)Doenças da Coroide: Transtornos da coroide incluindo doenças coroidais hereditárias, neoplasias e outras anormalidades da camada vascular da úvea.Fluoresceína: Corante indicador ftálico que parece amarelo-esverdeado no filme lacrimal normal, e verde brilhante em meio mais alcalino como no humor aquoso.Microscopia Confocal: Técnica microscópica de luz na qual somente um pequeno ponto é iluminado e observado por um tempo. Dessa forma, uma imagem é construída através de uma varredura ponto-a-ponto do campo. As fontes de luz podem ser convencionais ou por laser, e são possíveis fluorescência ou observações transmitidas.Ratos Sprague-Dawley: Linhagem de ratos albinos amplamente utilizada para propósitos experimentais por sua tranquilidade e facilidade de manipulação. Foi desenvolvida pela Companhia de Animais Sprague-Dawley.Subunidade alfa do Fator 1 Induzível por Hipóxia: Subunidade alfa do fator 1 induzível por hipoxia é um fator de transcrição hélice-alça-hélice alcalino regulado pela disponibilidade de OXIGÊNIO e o alvo de degradação pela PROTEÍNA SUPRESSORA DE TUMOR VON HIPPEL-LINDAU.Macrófagos: Células fagocíticas dos tecidos dos mamíferos, relativamente de vida longa e originadas dos MONÓCITOS. Os principais tipos são os MACRÓFAGOS PERITONEAIS, MACRÓFAGOS ALVEOLARES, HISTIÓCITOS, CÉLULAS DE KUPFFER do fígado e os OSTEOCLASTOS. Os macrófagos, dentro das lesões inflamatórias crônicas, se diferenciam em CÉLULAS EPITELIOIDES ou podem unir-se para formar CÉLULAS GIGANTES DE CORPO ESTRANHO ou CÉLULAS GIGANTES DE LANGHANS. (Tradução livre do original: The Dictionary of Cell Biology, Lackie and Dow, 3rd ed.)Vetores Genéticos: Moléculas de DNA capazes de replicação autônoma dentro de uma célula hospedeira, na qual outras sequências de DNA podem ser inseridas e amplificadas. Muitos são provenientes de PLASMÍDEOS, BACTERIÓFAGOS ou VÍRUS. São usados para transportar genes estranhos às células receptoras. Os vetores genéticos possuem um local de replicação funcional e contêm MARCADORES GENÉTICOS para facilitar seu reconhecimento seletivo.Infecções Oculares Fúngicas: As infecções por uma variedade de fungos que normalmente se dão através de quatro mecanismos possíveis: a infecção superficial que produz conjuntivite, queratite ou obstrução lacrimal; por extensão de uma infecção de estruturas vizinhas - pele, seios paranasais, nasofaringe; introdução direta durante cirurgia ou trauma penetrante acidental e por meio das vias sanguinea ou linfática em pacientes com micoses subjacentes.Metaloproteinase 2 da Matriz: Endopeptidase homóloga secretada com a COLAGENASE INTERSTICIAL, mas que possui um domínio adicional semelhante à fibronectina.Apoptose: Um dos mecanismos pelos quais ocorre a MORTE CELULAR (compare com NECROSE e AUTOFAGOCITOSE). A apoptose é o mecanismo responsável pela remoção fisiológica das células e parece ser intrinsecamente programada. É caracterizada por alterações morfológicas distintas no núcleo e no citoplasma, clivagem da cromatina em locais regularmente espaçados e clivagem endonucleolítica do DNA genômico (FRAGMENTAÇÃO DE DNA) em sítios internucleossômicos. Este modo de morte celular serve como um equilíbrio para a mitose no controle do tamanho dos tecidos animais e mediação nos processos patológicos associados com o crescimento tumoral.Colágeno Tipo XVIII: Colágeno não fribrilar encontrado na MEMBRANA BASAL. A extremidade C-terminal da cadeia alfa1do colágeno tipo XVIII contém o peptídeo ENDOSTATINA, que pode ser liberado por clivagem proteolítica.Iris: A câmara mais anterior da túnica média, separando a câmara anterior da posterior. Consiste de duas camadas - o estroma e o epitélio pigmentado. A cor da íris depende da quantidade de melanina no estroma e da reflexão do epitélio pigmentado.Túnica Conjuntiva: Membrana mucosa que reveste a superfície posterior das pálpebras e a superfície pericorneal anterior do globo ocular.Integrina alfaV: Integrina alfa com peso molecular de 160 KDa encontrada em vários tipos de células. Sofre clivagem pós-traducional gerando uma cadeia pesada e uma leve que serão conectadas por pontes dissulfídicas. A integrina alfaV pode combinar com muitas subunidades beta diferentes para formar heterodímeros que geralmente se ligam às proteínas de matriz extracelular contendo a sequência RGD.Veia Retiniana: Veia central da retina juntamente com suas tributárias. Corre uma pequena extensão junto ao nervo óptico e então deixa a órbita drenando para a veia oftálmica superior ou seio cavernoso.Receptores de Fatores de Crescimento: Receptores de superfície celular que ligam fatores de crescimento ou tróficos com alta afinidade, desencadeando alterações intracelulares que influenciam o crescimento, diferenciação e sobrevivência das células.Efrina-B2: Domínio transmembrana contendo efrina que se liga com alta afinidade com o RECEPTOR EPHB1, RECEPTOR EPHB3 e RECEPTOR EPHB4. A expressão da efrina-B2 ocorre em vários tecidos adultos. Durante a embriogênese, altos níveis de efrina-B2 são observados no PROSENCÉFALO, ROMBOENCÉFALO, SOMITOS em desenvolvimento, BOTÃO DE EXTREMIDADE e arcos bronquiais.Colágeno: Substância polipeptídica composta por aproximadamente um terço da proteína total do organismo de mamíferos. É o principal constituinte da PELE, TECIDO CONJUNTIVO e a substância orgânica de ossos (OSSO e OSSOS) e dentes (DENTE).Óxido Nítrico Sintase Tipo III: Forma de óxido nítrico sintase, expressa constitutivamente e dependente de CÁLCIO, encontrada principalmente em CÉLULAS ENDOTELIAIS.Quimiocina CCL2: Quimiocina quimioatraente para MONÓCITOS e também pode causar ativação celular de funções específicas relacionadas com a defesa do hospedeiro. É produzida por LEUCÓCITOS das linhagens tanto monócitos, como linfócitos e por FIBROBLASTOS durante a lesão de um tecido. Possui especificidade para RECEPTORES CCR2.Receptores Proteína Tirosina Quinases: Classe de receptores celulares que tem uma atividade intrínseca de PROTEÍNA-TIROSINA QUINASE.Relação Dose-Resposta a Droga: Relação entre a quantidade (dose) de uma droga administrada e a resposta do organismo à droga.Olho: Órgão da visão consistindo de um par de órgãos globulares compostos por uma estrutura relativamente esférica de três camadas especializado em receber e responder à informação luminosa.Triancinolona Acetonida: Forma esterificada da TRIANCINOLONA. É um glucocorticoide anti-inflamatório usado topicamente no tratamento de vários transtornos dérmicos. Injeções intralesionais, intramusculares e intra-articulares também são administradas sob certas condições.Marcação In Situ das Extremidades Cortadas: Método in situ para detectar áreas de DNA que são cortadas durante a APOPTOSE. A desoxinucleotidil transferase terminal é utilizada para adicionar a dUTP marcada, em uma maneira independente do molde, para as 3 principais terminações OH de uma fita única ou dupla de DNA. A desoxinucleotidil transferase terminal corta a marcação final, ou TÚNEL, avalia a apoptose marcada em um único nível celular, tornando-a mais sensível que a eletroforese em gel de agarose para análise da FRAGMENTAÇÃO DO DNA.Fluxo Sanguíneo Regional: Fluxo de SANGUE através ou ao redor do órgão ou região do corpo.Regulação da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influenciam o controle diferencial (indução ou repressão) da ação gênica ao nível da transcrição ou da tradução.Dependovirus: Gênero da família PARVOVIRIDAE, subfamília PARVOVIRINAE, que é dependente da co-infecção com adenovírus auxiliares ou vírus de herpes para replicação eficiente. A espécie típica é o vírus adeno-associado 2.Dextranos: Grupo de polímeros de glucose produzido por determinadas bactérias. Têm uso terapêutico como expansores de volume plasmático e anticoagulantes. São comumente utilizados em experimentação biológica e na indústria para uma grande variedade de propostas.Lasers de Gás: Lasers em que um meio gasoso é estimulado e emite luz por meio de uma corrente elétrica ou um oscilador de alta frequência.Lasers Semicondutores: Lasers com um diodo semicondutor como meio ativo. Lasers a diodo transformam energia elétrica em luz usando o mesmo princípio do diodo emissor de luz (LED), mas com capacidade de reflexão interna, formando assim um ressonador onde uma luz estimulada pode refletir para trás e para frente permitindo apenas um certo comprimento de onda para ser emitido. A emissão de um dado dispositivo é determinada pelo composto ativo usado (ex. cristais de arsenieto de gálio dopados com alumínio ou índio). Os comprimentos de ondas típicos são 810, 1.060 e 1.300 nm. (Tradução livre do original: UMDNS, 2005).Circulação Colateral: Manutenção do fluxo de sangue para um órgão apesar da obstrução do vaso principal. O fluxo de sangue é mantido através de pequenos vasos.Proteoglicanas: Glicoproteínas que possuem alto conteúdo polissacarídico.Apirase: Enzima ativada por cálcio que catalisa a hidrólise de ATP, originando AMP e ortofosfato. Também pode agir sobre o ADP e outros trifosfatos e difosfatos de nucleosídeos. EC 3.6.1.5.Receptor EphB4: Receptor da família eph encontrado em vários tecidos adultos e embrionários. Ao contrário da maioria das proteínas desta classe há pouca ou nenhuma expressão do receptor EphB4 no ENCÉFALO. Tem sido encontrado em níveis elevados nas glândulas mamárias em desenvolvimento e nos tumores mamários invasivos.Embrião de Galinha: Entidade que se desenvolve de um ovo de galinha fertilizado (ZIGOTO). O processo de desenvolvimento começa cerca de 24 h antes de o ovo ser disposto no BLASTODISCO, uma mancha esbranquiçada, pequena na superfície da GEMA DO OVO. Após 21 dias de incubação, o embrião está completamente desenvolvido antes da eclosão.Nitrato de Prata: Sal prateado com poderosa atividade germicida. Tem sido utilizado topicamente para prevenir a OFTALMIA NEONATAL.Modelos Animais: Animais não humanos, selecionados por causa de características específicas, para uso em pesquisa experimental, ensino ou prova.Transplante de Neoplasias: Transplante experimental de neoplasias em animais de laboratório para fins de investigação.Drusas Retinianas: Corpos de hialina ou coloidais localizados abaixo do epitélio pigmentar retiniano. Podem ocorrer secundários a alterações na coroide que afetam o epitélio pigmentar ou como um transtorno autossômico dominante do epitélio pigmentar retiniano.Antígenos CD34: Glicoproteínas encontradas em células hematopoiéticas imaturas e em células endoteliais. São as únicas moléculas, até hoje, cuja expressão no sistema sanguíneo está restrita a um número pequeno de células progenitoras na medula óssea.Bovinos: Animais bovinos domesticados (do gênero Bos) geralmente são mantidos em fazendas ou ranchos e utilizados para produção de carne, derivados do leite ou para trabalho pesado.Comunicação Parácrina: Sinalização celular, na qual um fator secretado por uma célula afeta outras células no ambiente local. Esta expressão é frequentemente usada para denotar a ação dos PEPTÍDEOS E PROTEÍNAS DE SINALIZAÇÃO INTERCELULAR sobre as células circundantes.Adenoviridae: Família de vírus sem capa (envelope) que infectam mamíferos (MASTADENOVIRUS), aves (AVIADENOVIRUS) ou ambos (ATADENOVIRUS). As infecções podem ser assintomáticas ou produzir várias doenças.RNA Interferente Pequeno: RNAs pequenos, de cadeia dupla, de codificação não proteica (21-31 nucleotídeos) envolvidos nas funções de INATIVAÇÃO GÊNICA, especialmente o RNA DE INTERFERÊNCIA (RNAi). Os siRNAs são endogenamente gerados a partir de dsRNAs (RNA DE CADEIA DUPLA) pela mesma ribonuclease, Dicer, que gera miRNAs (MICRORNAS). O pareamento perfeito das cadeias de siRNAs' antissenso com seus RNAs alvos medeia a clivagem do RNAi guiado por siRNA. Os siRNAs caem em diferentes classes, inclusive siRNA de atuação trans (tasiRNA), RNA com repetições associadas (rasiRNA), RNA de varredura pequena (scnRNA), e RNA de interação com a proteína Piwi (piRNA) e têm funções diferentes de inativação gênica específica.Diferenciação Celular: Restrição progressiva do potencial para desenvolvimento e especialização crescente da função que leva à formação de células, tecidos e órgãos especializados.Transplante de Medula Óssea: Transferência de medula óssea de um ser humano ou animal a outro para uma variedade de finalidades incluindo TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOIÉTICAS ou TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO.Miosina não Muscular Tipo IIB: Isoforma não muscular de miosina tipo II encontrada predominantemente em tecido neuronal.Endotélio: Camada de epitélio que reveste o coração, vasos sanguíneos (ENDOTÉLIO VASCULAR), vasos linfáticos (ENDOTÉLIO LINFÁTICO) e as cavidades serosas do corpo.Eletrorretinografia: Registro de potenciais elétricos na retina após estimulação luminosa.Metaloproteinase 9 da Matriz: Endopeptidase estruturalmente semelhante a METALOPROTEINASE 2 DA MATRIZ. Degrada a GELATINA tipos I e V, COLÁGENO TIPO IV e COLÁGENO TIPO V.Transplante Heterólogo: Transplante entre animais de espécies diferentes.Efrina-A1: Efrina originalmente identificada como o produto de um gene de resposta inicial induzido por FATORES DE NECROSE TUMORAL. Está ligada à MEMBRANA CELULAR por uma âncora de membrana de GLICOSILFOSFATIDILINOSITÓIS e se liga com alta afinidade ao RECEPTOR EPHA2. Altos níveis de efrina-2 são expressos no PULMÃO, RIM, GLÂNDULAS SALIVARES e INTESTINO durante a embriogênese.Citometria de Fluxo: Técnica que utiliza um sistema instrumental para fabricação, processamento e exibição de uma ou mais medidas em células individuais obtidas de uma suspensão de células. As células são geralmente coradas com um ou mais corantes específicos aos componentes de interesse da célula, por exemplo, DNA, e a fluorescência de cada célula é medida rapidamente pelo feixe de excitação transversa (laser ou lâmpada de arco de mercúrio). A fluorescência provê uma medida quantitativa de várias propriedades bioquímicas e biofísicas das células, bem como uma base para separação das células. Outros parâmetros ópticos incluem absorção e difusão da luz, a última sendo aplicável a medidas de tamanho, forma, densidade, granularidade e coloração da célula.Ácido Poliglicólico: Polímero biocompatível utilizado como material para sutura cirúrgica.Calicreínas Teciduais: Família de SERINA ENDOPEPTIDASES semelhante à tripsina que são expressas em vários tipos celulares, incluindo células epiteliais da próstata humana. São formadas a partir da pró-calicreína tecidual pela ação com TRIPSINA. São muito semelhantes ao ANTÍGENO PROSTÁTICO ESPECÍFICO.Hipóxia Celular: Situação em que o conteúdo de oxigênio no nível celular encontra-se diminuído.Carcinoma Pulmonar de Lewis: Carcinoma descoberto por Dr. Margaret R. Lewis do Instituto Wistar em 1951. Este tumor origina-se espontaneamente como um carcinoma do pulmão de um camundongo C57BL. O tumor não parece ser grosseiramente hemorrágico e a maior parte do tecido tumoral é uma massa homogênea semifirme (tradução livre do original: Cancer Chemother Rep 2 1972 Nov;(3)1:325). Também é conhecido por 3LL e LLC e é usado como um tumor transplantável.Oftalmoscopia: Avaliação do interior do olho com um oftalmoscópio.Ribonuclease Pancreático: Enzima que catalisa a quebra endonucleolítica dos ácidos ribonucleicos pancreáticos a 3'-fosfomono- e oligonucleotídeos que terminam em ácidos citidílico ou uridílico, com intermediários de 2',3'-fosfato cíclico. EC 3.1.27.5.Fluoresceína-5-Isotiocianato: Sonda fluorescente capaz de ser conjugada a tecido e proteínas. É utilizada como marcador em procedimentos de coloração por anticorpo fluorescente, bem como, em técnicas de ligação de proteínas e aminoácidos.Meios de Cultivo Condicionados: Meios contendo componentes biologicamente ativos, obtidos de células ou tecidos previamente cultivados, que liberaram no meio substâncias capazes de afetar certas funções celulares (p.ex., crescimento, lise).

*  Angiogênese
... é o termo usado para descrever o mecanismo de crescimento de novos vasos sanguíneos a partir dos já existentes em suma o crescimento de vasos sanguíneos pode acontecer por via de mecanismos diferentes vasculogênese angiogênese vasculogênese indica o desenvolvimento de novos vasos durante a fase embrionária angiogênese acontece já em adulto sendo que a falta de oxigênio hipoxia representa um sinal para o início dos mecanismos moleculares e celulares que resultarão no crescimento de novos vasos sanguínenos de tamanho pequeno tal como a diminuição de glicose plasmática hipoglicémia e a pressão originária da proliferação celular em neoplasias a angiogênese ocorre em três passos principais degradação da membrana basal com formação de uma botão vascular migração de células endoteliais maturação formação e inibição de crescimento categoria sistema circulatório...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Angiogênese
*  Avaliação da expressão da proteína p53 e do VEGF (Fator de Crescimento do Endotélio Vascular) e
Avaliação da expressão da proteína p53 e do VEGF Fator de Crescimento do Endotélio Vascular em pacientes com adenocarcinoma de esôfago. Avaliação da expressão da proteína p53 e do VEGF Fator de Crescimento do Endotélio Vascular em pacientes com adenocarcinoma de esôfago. Avaliação da expressão da proteína p53 e do VEGF Fator de Crescimento do Endotélio Vascular em pacientes com adenocarcinoma de esôfago. Avaliação da expressão da proteína p53 e do VEGF Fator de Crescimento do Endotélio Vascular em pacientes com adenocarcinoma de esôfago. Evaluation of p53 protein and VEGF vascular Endothelial Growth Factor expresion in patients with esophageal adenocarcinoma. Fator A de crescimento do endotélio vascular. A associação entre as expressões da proteína p53 e do VEGF e o prognóstico tem sido pouco estudada. Foram estudados 46 pacientes com adenocarcinoma de esôfago submetidos à cirurgia de ressecção com intenção curativa. As expressões da proteína p53 e do VEGF coincidiram em 26% dos casos, e não foi encontrada co...
http://lume.ufrgs.br/handle/10183/4575
*  Critical Limb Ischemia (CLI): UC Davis Vascular Center
critical limb ischemia cli uc davis vascular center...
http://ucdmc.ucdavis.edu/vascular/diseases/cli.html
*  Nomi (Ishikawa)
nomi ishikawa nomi ishikawa nomi 輪島市 shi é uma cidade japonesa localizada na província de ishikawa em a cidade tinha uma população estimada em habitantes e uma densidade populacional de h km tem uma área total de km recebeu o estatuto de cidade a de fevereiro de em japonês categoria cidades de ishikawa...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Nomi_(Ishikawa)
*  Efeitos da prematuridade sobre o desenvolvimento de lactentes
Os resultados obtidos apontaram que os lactentes do Grupo 2 apresentaram desempenhos significantemente inferior aos do Grupo 1 em 68% das an lises conduzidas, com destaque para as reas de desenvolvimento motor, cogni o e socializa o. Tais resultados s o condizentes com os obtidos na literatura que apontam a prematuridade como uma das condi es proximais mais prejudiciais ao desenvolvimento de lactentes. Entre os fatores de risco para o desenvolvimento infantil, Resegue et al. Manacero e Nunes 15 avaliaram o desempenho motor de 44 RNs prematuros entre 32 e 34 semanas, aos quatro e oito meses de idade corrigida, pela Escala Motora Infantil Alberta AIMS e compararam com o peso ao nascer. RESULTADOS Os resultados de desenvolvimento infantil da popula o estudada foram analisados a partir do fator de risco prematuridade, comparando-o com o desenvolvimento de crian as sem condi es de risco, m s a m s, no primeiro ano de vida. Tais resultados s o condizentes com os obtidos na literatura que apontam a prematuridade com...
http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S0104-12822011000100011&script=sci_arttext
*  Retinopatia da prematuridade
... a retinopatia da prematuridade é uma condição médica em que se verifica uma alteração no crescimento da retina a condição ocorre em prematuros em que se dá um crescimento dos vasos sanguíneos da retina de maneira anormal o que pode resultar na formação de cicatrizes e descolamento da retina a doença pode ser leve e resolver se espontaneamente mas também pode levar à cegueira nos casos mais graves como tal todos os bebês prematuros correm o risco de adquiri la e o peso muito baixo ao nascer é um fator de risco adicional categoria doenças oculares...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Retinopatia_da_prematuridade
*  nova córnea, vida nova: Ceratoplastia (Transplante): Penetrante x Lamelar
nova córnea, vida nova: Ceratoplastia Transplante : Penetrante x Lamelar. Existem técnicas diferentes para a realização da ceratoplastia, mas a modalidade mais praticada é o transplante penetrante, no qual a porção central da espessura da córnea do doador, com 8 a 8,5 milímetros de diâmetro, é enxertada no olho do receptor. Além do transplante penetrante, as técnicas mais avançadas preconizam o transplante apenas da camada afetada da córnea os transplantes lamelares. Se o paciente apresenta uma patologia que atinge basicamente a porção anterior da córnea, como o ceratocone, pode-se fazer um transplante lamelar anterior, que pode ser superficial ou profundo, mas que não atinge a parte nobre da córnea, que é o endotélio. Como ponto negativo, ressalta que a visão de um paciente que sofreu um transplante lamelar não fica tão boa quanto a do paciente que passou por um transplante penetrante pela presença da interface resultante entre os tecidos do doador e do receptor. As técnicas lamelares vão se difundir e essa ...
http://novacornea.blogspot.com.br/2008/07/ceratoplastia-transplante-penetrante-x.html
*  Queratomicose
'Queratomicose' do grego, 'Kerato', córnea, 'myco', fungo, '-sis', inflamação ou 'queratite fúngica' é uma infecção da córnea queratite causada pela penetração através de uma ferida no olho de algumas espécies de ' Fusarium ', ' Aspergillus ' ou ' Candida '. Essas espécie são encontradas no meio ambiente e também causam doenças em plantas. Podem ser causadas por ' Fusarium 37%, Aspergillus 30%, Curvularia 22%, Candida ' ou ' Lasiodiplodia '. Keratomycosis: clinical and microbiologic experience with dematiaceous fungi. http://www.aaojournal.org/article/S0161-6420 99 00079-2/abstract Os fungos penetram a córnea apenas se houver algum defeito no epitélio superficial. A lesão pode ser resultado de trauma como o uso de lentes de contato, coçar para tirar um material estranho ou uma cirurgia de córnea. Os organismos podem penetrar uma membrana de Descemet intacta e entrar na câmara anterior e posterior do olho. As micotoxina s e enzimas proteolíticas podem aumentar o dano tecidual. Formam colônias brancas, com apar...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Queratomicose
*  Córnea
Com uma espessura média de 0,52 mm na região central e de 0,65 mm ou mais, na região periférica. Sendo assim, tem sua curvatura mais acentuada na região central e mais plana na região periférica. Seu raio de curvatura médio está em torno de 7,8 mm na superfície anterior da região central, e de 6,6 mm na superfície posterior. thumb|250px|left|Representação esquemática da córnea. O epitélio é a camada da córnea superficial e compõe-se de quatro a seis outras camadas de célula s do tipo epitélio escamoso estratificado e não é queratinizado. O epitélio apresenta-se com uma superfície lisa e brilhante, o que lhe assegura o seu poder de refração. Esta membrana é formada de células do epitélio basal, da lâmina basal, e de fibras do Estroma anterior, a sua espessura é de 8mm a 12mm e sua formação é por fibras de colágeno e proteoglicanas, ela não tem o poder de se regenerar uma vez lesada. A Membrana de Descemet é facilmente regenerada, devido a sua formação a partir do Endotélio, ela reveste toda a superfície do Est...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Córnea
*  Cirurgia de Miopia - Saúde no Clique
Saúde no Clique. Bem estar e vida saudável. A cirurgia de miopia a laser é uma forma de correção definitiva da miopia, tendo como objetivo a alteração da curvatura da córnea para que a imagem possa se formar corretamente na retina. PRK: É uma técnica de cirurgia a laser mais indicada para pessoas com um grau mais baixo de miopia. É indolor e tem a duração de aproximadamente 5 minutos. É utilizado um aparelho que fixa as pálpebras para que a pessoa não pisque e então é feita uma raspagem da camada mais externa da córnea epitélio para que o laser seja aplicado e a córnea nivelada. Após a correção, é colocada uma lente de contato gelatinosa que deve permanecer por 3 dias no local até que o epitélio se regenere; Lasik: É indicada para pessoas com 4 a 9 graus de miopia. Aplica-se um colírio anestésico especial e um aparelho chamado microcerato corta a região da pupila com uma lâmina bem fina e levanta a córnea para que o laser seja aplicado, pulverizando as células da córnea e corrigindo o grau com altíssima preci...
http://saudenoclique.com.br/cirurgia-de-miopia/
*  Vasa vasorum
... lat vaso dos vasos são pequenos vasos sanguíneos encontrados ao redor de paredes de grandes vasos na camada adventícia que servem para sua nutrição aparecem com menos intensidade em artériass mas em grande quantidade em veias já que as partes média e íntima mais próxima da luz são nutridas por difusão e por consequência de o sangue arterial ser mais rico em oxigênio página visitada em categoria angiologia...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Vasa_vasorum
*  Lady Gaga nua em vídeo artístico
skip to main | skip to sidebar Famosas de Biquíni Brasileiras CONTATO quinta-feira, 8 de agosto de 2013 Lady Gaga nua em vídeo artístico Postado por Edson Oliveira às 18:56 Marcadores: Lady Gaga, Vídeo Tweet Foi divulgado há pouco um ~vídeo artístico~ que mostra Lady Gaga praticando uma espécie de meditação desenvolvida pela artista sérvia (e amiga da cantora) Marina Abramovic. De acordo com a descrição do vídeo intitulado 'The Abramovic Method', a gravação aconteceu na semana passada durante um retiro que Gaga fez para aumentar a consciência de sua experiência física e mental. No vídeo, a cantora aprece nua fazendo exercícios vocais, meditando a beira de um rio e coberta por cristais. Vídeo e fotos sem tarja logo abaixo: Fotos em HQ : Lady Gaga : 'The Abramovic Method' Vídeo - HD 720 - Agosto de 2013 Foi divulgado há pouco um ~vídeo artístico~ que mostra Lady Gaga praticando uma espécie de meditação desenvolvida pela artista sérvia (e amiga da cantora) Marina Abramovic. De acordo com a descrição do vídeo i...
http://expostas.com/2013/08/fotos-lady-gaga-nua-em-video.html
*  BDBComp - Biblioteca Digital Brasileira de Computação
Veja tamb m em: ACM DL - CiteSeer - DBLP* - Google Scholar *Somente retorna uma resposta se o nome do autor na BDBComp e na DBLP forem exatamente iguais. 19 registros retornados. XXII Simp sio Brasileiro de Inform tica na Educa o. Modelagem de Atividades de Aprendizagem com uso de Jogos e Coopera o. XXI Simp sio Brasileiro de Inform tica na Educa o. VII Simp sio Brasileiro de Sistemas Colaborativos. Representa o Tridimensional de Estere tipos de Aprendiz em Exerc cios de Solu o de Problemas Pouco Estruturados. XX Simp sio Brasileiro de Inform tica na Educa o. Uma Arquitetura para o Gerenciamento de Artefatos de Testes Desenvolvidos por Equipes Distribu das. VI Simp sio Brasileiro de Sistemas Colaborativos. Abordagem Metodol gica para Compreens o e Aplica o de Padr es de Projeto. XVI Workshop sobre Educa o em Inform tica. XVII Simp sio Brasileiro de Inform tica na Educa o. XVII Simp sio Brasileiro de Inform tica na Educa o. Revista Brasileira de Inform tica na Educa o - Volume 14 - N mero 1. AC3As-Web: ambient...
http://lbd.dcc.ufmg.br/bdbcomp/servlet/Autor?id=1568
*  Qual é o tratamento para a degeneração macular?
Qual é o tratamento para a degeneração macular. Quais são os sintomas da degeneração macular. Qual é o tratamento para a degeneração macular. A degeneração macular relacionada com a idade seco. A degeneração macular relacionada à idade seco não é curável. Pacientes com degeneração macular relacionada à idade seco não vai ficar completamente cego e sua visão periférica geralmente não serão afetados. Clínica de baixa visão pessoas no Reino Unido com a degeneração macular relacionada à idade seco são muitas vezes em uma clínica de baixa visão. A degeneração macular relacionada com a idade molhado. Existem tratamentos que podem parar a progressão da degeneração macular úmida relacionada à idade. Se este tipo de tratamento é dado depende de onde os vasos sanguíneos-alvo estão localizados e como eles têm afetado gravemente a mácula. A medicação anti fator de crescimento endotelial vascular Fator de crescimento vascular endotelial, uma substância química, contribui para a formação de novos vasos sanguíneos que se fo...
http://coyimed.com/pt/167.html
*  Degeneração macular
... thumb degeneração macular é uma condição médica geral dos adultos mais velhos que resulta em uma perda de visão no centro do campo visual a mácula devido a danos na retina torna difícil ou impossível de ler ou reconhecer rostos embora permaneça visão periférica suficiente para permitir outras atividades da vida diária ocorre em duas formas tipo seco e tipo úmido a camada interna do olho é a retina que contém nervos que se comunicam à vista e por trás da retina é a coróides que contém o fornecimento de sangue para a retina no tipo seco debris celulares chamados drusa acumulam entre a retina e a coróide e a retina pode soltar se no molhado que é mais grave os vasos sanguíneos crescem a partir do coróides atrás da retina e ela também pode soltar se pode ser tratada com coagulação com laser e com a medicação que às vezes pára e inverte o crescimento dos vasos sanguíneos categoria oftalmologia categoria cegueira...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Degeneração_macular
*  Pesquisa de informação médica (Degeneração Macular • FAQ)
ñ se assuste nao, nada mais é q "ferida" no colo uterino, tambem conhecida como "macula " leve o resultado do seu preventivo ao ginecologista q ele vai te recomendar um tratamento. Nunca fui tocada e esse é meu maior medo, só em pensar na dor que posso sentir chego a chorar de medo, tenho medo que doa pois eu não suporto sentir dores e já me disseram que dói muito quando rompem o elástico. Pesoal é o seguinte: A uns 2 anos atras eu descobri que tinha uma doença chamada DEGENERAÇÃO MACULAR, é uma deficiencia na visão que vai degenerando a retina fazendo com que ocorra a perda progresiva da visão. fis um exame de toxoplasmose e deu o seguinte presença de foco atrofico de coriorretinite na regiao macula toxoplasmose ocular. eu tive toxoplasmose no olho, felizmente não pegou a mácula, pegou a periferia, mas a médica me disse que quando cicatriza parece que é o seu caso não dá para saber o tempo que tinha a minha foi a volta da infecção a partir de uma infecção antiga. A TOXOPLASMOSE é uma doença transmitida por a...
https://lookformedical.com/faq.php?lang=3&q=Degeneração Macular&from=24
*  SUPLEMENTOS ESSENCIAIS À SAÚDE: LUTEÍNA: UM SUPLEMENTO PARA OS OLHOS E A PELE
... SUPLEMENTOS ESSENCIAIS À SAÚDE. LUTEÍNA: UM SUPLEMENTO PARA OS OLHOS E A PELE. Os olhos e a pele são os únicos órgãos do corpo diretamente expostos à ação da luz e do ar. Luz e ar são essenciais à vida, mas também são responsáveis pela geração de radicais livres que aceleram o envelhecimento. Essa proteção é de extrema importância para prevenir uma doença crônica conhecida como degeneração macular, principal causa de deficiência visual na terceira idade. A degeneração macular ou DMRI, degeneração macular relacionada à idade é uma doença que afeta a mácula, parte da retina onde a percepção visual é mais nítida e detalhada. Nos seus estágios iniciais os sintomas são reduzidos e não chamam atenção, o sinal mais claro da progressão da doença é a distorção das imagens ou a formação de um ponto negro central. O desenvolvimento da doença está relacionado a ação deletéria dos radicais livres, seu avanço é crônico e geralmente irreversível, sendo a prevenção o único tratamento conhecido. Mas não é fácil atingir o...
http://suplementosessenciais.blogspot.com/2011/05/luteina-um-suplemento-para-os-olhos-e.html
*  Substância corrosiva
Quando se descreve o efeito das substâncias corrosivas sobre materiais biológicos, incluindo a formação de queimaduras químicas, é frequente utilizar-se o termo 'cáustico' como sinónimo de corrosivo, mas por convenção o termo cáustico deve ser usado exclusivamente quando referido aos efeitos de bases fortes, particularmente álcali s, sendo de evitar quando aplicado ao efeito de ácido s, oxidante s e outros compostos corrosivos não-alcalinos. A corrosão de superfícies não vivas, como os metais, é um conceito distinto. Contudo, há casos em que a substância, mesmo sendo um ácido fraco, quando diluída, é corrosiva para determinados materiais, mas completamente inofensiva para os tecidos vivos. Outro mecanismo de corrosão por ácidos e bases fortes é pela desnaturação das proteína s, as quais também se hidratam facilmente. Embora soluções de cloreto de zinco também sejam regularmente ácidas pela definição de Brønsted, o catião zinco também ataca especificamente os grupos hidroxila como um ácido de Lewis. Existem me...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Substância_corrosiva
*  Armário para produtos inflamáveis e corrosivos - Asecos
Resistência ao fogo em ambos compartimentos. Informação detalhada sobre Armário para produtos inflamáveis e corrosivos. Corpo exterior metálico resistente ao fogo em ambos compartimentos Parede interior separadora dos compartimentos para produtos inflamáveis e corrosivos, resistente ao fogo Compartimento para produtos inflamáveis certificado DIN 12925 parte 1 4/1998, UNE-EN 14470-1 e com certificação Sem custos adicionais de montagem Ventilação do conjunto por meio de um sistema central para os dois compartimentos com ligações NW 75 Condutas interiores de ventilação independentes em cada compartimento. Compartimento resistente ao fogo: Resistência ao fogo de 30 até 90 minutos Porta dobrável tipo PHOENIX de fácil manipulação e protegida contra aprisionamentos Pistão pneumático de amortecimento para fechar a porta sem golpes Sistema de bloqueio da porta incluído de série Fecho automático da porta por meio de mola e bomba de ar Condutas de ventilação do ar NW 75 instaladas no teto com sistema de fecho automático...
https://logismarket.pt/asecos/armario-para-produtos-inflamaveis-e-corrosivos/2475962456-1584130-p.html
*  Lavador/depurador de gases neutraliza gases corrosivos - Veja aqui!
Lavador/depurador de gases neutraliza gases corrosivos - Veja aqui. Tecnopl stico Belfano Ltda São Bernardo do Campo, São Paulo. Login Para acessar a informação desejada, informe seu email:. Complete os dados abaixo para concluirmos seu cadastro:. Disponibilizar as minhas informa es s empresas que consultei. Lavador/depurador de gases neutraliza gases corrosivos. Tecnoplástico Belfano Ltda. Lavador/depurador de gases. Executado em polipropileno, resistente à maioria dos gases corrosivos, o Venturidro funciona pelo princípio de ejetor hidráulico à pressão de 40 a 50 mCA e alta turbulência, podendo trabalhar com gases a temperatura de até 80ºC e maiores com zona de pré-resfriamento. Com capacidade de 3.200 a 120.000 m³/h, reúne cinco modalidades de lavagem para maior eficiência na absorção dos gases: por lavador tipo Venturi, ejetor helicoidal, lavador de espuma, lavador por expansão ou umidificação e lavador tipo spray. Envie sua cota o para a empresa. Detalhes da cota o:. Seus dados ser o enviados s empresas ...
http://nei.com.br/produto/2012-08-lavador-depurador-de-gases-tecnoplastico-belfano-ltda?id=e4e0b738-5ba7-11e4-8697-0e94104de12e
*  2,4,6-Tricloro-1,3,5-triazina
tricloro triazina tricloro triazina tricloro triazina abreviada na literatura como tct também chamada de tricloro s triazina tricloreto de s triazina s triclorotriazina ou cloreto cianúrico é o composto químico com fórmula c cl n e massa molecular é classificado com o número cas webbook nist gov apresenta se como um pó branco de ponto de fusão de c ponto de ebulição de c densidade e ponto de fulgor c reage com água www chemicalbook com aplicações entra na síntese de diversos corante s www dyestuffintermediates com é um intermediário em diversas sínteses orgânicas como a síntese de n benzoiltioureia a partir de ácidos carboxílicos grzegorz blotny tetrahedron volume issue october pages doi j tet somnath gholap navanath gunjal arabian journal of chemistry available online october doi j arabjc segurança não combustível mas pode se decompor após aquecimento produzindo fumos corrosivos e ou tóxicos é uma substância tóxica por inalação ingestão ou contato pele e olhos com vapores poeiras e inclui se entre substância...
https://pt.wikipedia.org/wiki/2,4,6-Tricloro-1,3,5-triazina
*  Glia de Müller
Ficheiro:Adaptive-Müller-cell-responses-to-microglial-activation-mediate-neuroprotection-and-coordinate-1742-2094-8-173-S1.ogv|thumb|Animação em 3D de processos de células de Müller red interconectadas com uma célula de microglia da retina green. Elas são encontradas na retina de vertebrados e tem papel de suporte dos neurônios da retina. A função principal das células de Müller é manter a estabilidade do meio extracelular através da regulação da captação de K*, captação de neurotransmissores, remoção de detritos, armazenamento de glicogênio, isolamento elétrico de neurônios e suporte mecânico da retina neural. Já foi demonstrado que a glia de Müller é fundamental para o desenvolvimento da retina em camundongos, promovendo o crescimento da retina e histogênese através de um mecanismo mediado por esterases não específico. 1 As células de Müller também podem servir como células guias para os axônios em crescimento de neurônios na retina de galinhas. right|thumb|Relação espacial entre células de Müller e microgl...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Glia_de_Müller
*  Retina & Vítreo - Oftamologia
Retina Vítreo - Oftamologia. Rua Francisco Ferrer, 453 cj 602 Bairro Rio Branco / CEP 90420-140 fones 51 32091017 / 32091027 Porto Alegre / RS / Brasil. Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player. A Retina Vítreo Oftalmologia é uma clínica que tem por objetivo atender pacientes com doenças oftalmológicas que envolvam a retina, a cavidade vítrea, corpo ciliar e cristalino do olho humano.. Disponibilizamos consultas oftalmológicas completas para uma avaliação compreensiva das condições visuais de cada paciente, carregando a ética, o bom senso e a interdisciplinaridade em todas as propostas diagnósticas e terapêuticas. Temos nosso ofício pautado em trabalhar em conjunto colaborativo com os colegas oftalmologistas, endocrinologistas e demais especialistas em busca do mais completo tratamento multidisciplinar para as doenças oculares que atingem a retina e o vítreo. Em nossa clínica possuímos o laser de diodo amarelo com opção de micropulso da marca Quantel modelo Supra 577.Y, utilizado pa...
http://retinaevitreo.med.br/
*  ajuda na escolha de um LCD | ZWAME Fórum
Isso é obtido através da scanning backlight. O problema dos LCD é que a partir de um certo número de tempo de resposta, quem impõe o tempo efectivo é a retina dos olhos, que mantém cada pixel do ecrã na memória por cerca de 10ms. A tal Scanning Backlight melhora o tempo de resposta de forma substâncial porque vai apagando o pixel que está no ecrã por forma a que a retina vá perdendo a memória, e assuma logo o pixel novo com muito mais rapidez. Vê aqui bem o super clear panel em acção atenta na profundidade dos negros e na claridade das flores; o efeito esbatido dever-se-á ao tempo de exposição da camera :. A tal Scanning Backlight melhora o tempo de resposta de forma substâncial porque vai apagando o pixel que está no ecrã por forma a que a retina vá perdendo a memória, e assuma logo o pixel novo com muito mais rapidez. Vê aqui bem o super clear panel em acção atenta na profundidade dos negros e na claridade das flores; o efeito esbatido dever-se-á ao tempo de exposição da camera :. A tal Scanning Backlight m...
https://forum.zwame.pt/threads/ajuda-na-escolha-de-um-lcd.148372/
*  Coroide
... ou corioide é uma estrutura do cérebro que está situada entre a camada azul e amarela e é intensamente pigmentada esses pigmentos absorvem a luz que chega à retina evitando sua reflexão acha se intensamente vascularizada e sua função é nutrir células do olho abastece de nutrientes e oxigênio os tecidos oculares categoria olho...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Coroide
*  Melhores Reconstrutores Capilares - Patricinha EspertaMelhores Reconstrutores Capilares - Patricinh
Porém, quando os danos são muito grandes, até mesmo os produtos utilizados para a hidratação podem não dar conta de consertar tudo por isso separamos hoje os melhores. reconstrutores capilares. Para a recuperação dos fios que estão muito danificados a solução são reconstrutores capilares para o processo de reconstrução capital. Com isso, os processos de reconstrução capilar são responsáveis por repor a queratina nos fios e, para isso, é necessário que nos ingredientes dos cremes de reconstrução estejam presentes a queratina, um complexo ativo de aminoácidos e a proteína do trigo. Juntos, os ingredientes são responsáveis por reestruturar os cabelos em toda sua extensão, preencher os espaços danificados de cada fio e formar uma película que fica sobre a fibra capilar que é responsável por reparar a queratina dos fios. O método caseiro para utilizar os reconstrutores capilares é mais simples do que o feito em salões de beleza, e indicado para quem ainda não está com os fios extremamente danificados. Os produtos ...
https://patricinhaesperta.com.br/resenhas-e-publicidade/melhores-reconstrutores-capilares
*  .. Implante Capilar .. 1. Transplante folicular unitário .. 2. Extracção folicular unitária ..
Implante Capilar. Informações sobre o implante capilar, recomendações sobre o procedimento, recuperação, pós operatorio, riscos, complicações, e tudo sobre a cirurgia. Os implantes capilares ou transplantes de cabelo são uma boa opção como tratamento reconstrutivo da calvíce. De uma forma geral, podem distinguir-se três tipos de implantes capilares:. Algumas das ocorrências do pós-operatório são: Implante capilar a laser Mitos, informações, perguntas e respostas Curiosidades – Implantes Capilares em várias zonas do corpo Preço do Implante Capilar Quanto custa. Famosos que fizeram Ler Também: Implante capilar Antes e Depois em Fotos Clínicas que realizam implantes capilares em Portugal Lisboa Porto Coimbra Faro Madeira. Pós-operatório do implante capilar – Recuperação. Durante a primeira semana depois da cirurgia, para enxaguar o cabelo deve deitar alguma água sobre a cabeça com a ajuda de um receptáculo. • Inchaço da testa ocorre normalmente no 3º dia depois da cirurgia e desaparece no 6º dia; ocorre em 20% d...
http://fotosantesedepois.com/implante-capilar/
*  Capilares em aço inoxidável (flexíveis) d.i. 0,2 mm, d.e. 0,5 mm, comprimento 1000 mm | 151236
0,5 mm, comprimento 1000 mm. Todos An lise e prepara o de amostras Fabrica o de produtos biofarmac uticos Microbiologia industrial Kits IVD/OEM, materiais e reagentes Pesquisas em ci ncias da vida Reagentes, produtos qu micos e material de laborat rio Pequenas mol culas farmac uticas Purifica o da gua Pesquisar. Análise e preparação de amostras Cromatografia para análises Preparação de amostras analíticas Reagentes para análise de farmacopeia Materiais de referência Espectroscopia Kits de testes e métodos fotométricos. Biopharma Application Guide Find the products and services for your process. Anticorpos primários e secundários, bloqueadores e serviços personalizados. Reagentes, produtos químicos e material de laboratório Limpeza de equipamentos de laboratório Reagentes inorgânicos Filtração laboratorial Síntese orgânica Peptídeo e reagentes de síntese de DNA Novabiochem Solventes Materiais de laboratório Produtos bioquímicos para pesquisas SupraSolv®. Busque ou navegue pelos nossos produtos Nosso portfó...
http://merckmillipore.com/BR/pt/product/Stainless-steel-capillaries-(flexible)-i.d.-0.2-mm,-e.d.-0.5-mm,-length-1000-mm,MDA_CHEM-151236
*  Tratamentos capilares à escolha para cabelos mais fortes
... Criar uma conta. Criar uma conta Recuperar palavra-passe. Todos os Descontos num só sítio Diariamente pesquisamos na internet todos os descontos em viagens, restaurantes, spa's, marcas de moda, hotéis, entre outros, e reunimo-los em exclusivo num só sítio para os nossos membros. Sobre a oferta. São os tratamentos que lhe propomos para revigorar e fortalecer o cabelo e couro cabeludo. - O Peeling para cuidar do couro e fios de cabelo. Botox para fazer a reconstrução do fio capilar. - A Cauterização consiste na reestruturação capilar devolvendo a elasticidade ao cabelo. - A Blindagem protege os fios de danos externos com queratina e vitaminas. ✖ Esta oferta já terminou, inscreve-te no wOne.pt para não perderes mais nenhum desconto. Copia este link. URL da oferta. Enviar lembrete dias antes de terminar o cupão. wOne.pt - Enviar a um amigo Teu Nome Teu Email Nome do Amigo Email do Amigo Mensagem. 19 h 18 minutes remaining. Copia este link. URL da oferta. Enviar lembrete dias antes de terminar o cupão. wOne.p...
http://wone.pt/descontos/letsbonus-tratamentos-capilares-a-escolha-para-cabelos-mais-fortes/1525260
*  Reconstrução Capilar Caseira Vídeo - Patricinha EspertaReconstrução Capilar Caseira Vídeo - P
Sobre Nanda Chaves É vlogueira e blogueira, apaixonada por assuntos capilares, sobretudo cuidados com os cabelos cacheados. Como hidratar cabelos cacheados - 18 de novembro de 2016. Técnica para cachear cabelos - 5 de setembro de 2016. Tratamento caseiro pré-shampoo para cabelos secos - 2 de junho de 2016. Tudo sobre Produtos para Cacheadas - 8 de abril de 2016. reconstrução capilar caseira e abdicar de muitas loucuras ao usar produtos que geralmente são caros e os resultados nem sempre correspondem ao que realmente gostariam de alcançar. Hoje em dia encontramos com muita facilidade produtos naturais que trazem muitos benefícios para a nossa saúde, pele, corpo, cabelo, enfim para a nossa beleza. Entre eles, hoje vamos ressaltar o vinagre de maçã, que é um dos ingredientes da nossa receitinha da máscara de reconstrução capilar caseira. Senscience para reconstrução. Se você tem problemas no couro cabeludo como seborreia, caspas, ressecamento, ou os fios danificados por processos químicos, o vinagre de maçã auxi...
https://patricinhaesperta.com.br/cabelos/reconstrucao-capilar-caseira
*  Felps Botox Capilar e | Cabelos DEG Cia Cosmeticos | Shopping Online
Rakuten Shopping, compre tudo, de todas as lojas, em um só lugar. Atendimento ao usuário. Abra sua loja. Marcas de Sucesso. Como comprar. Abra a sua loja. + mais opções. Atendimento ao usuário. 0 Super Points Subtotal: R$ 0 Ir para o carrinho. Modelador de Cachos. Cabelos DEG Cia Cosmeticos Felps Botox Capilar em Massa Óleo de Ojon e Macadâmia - 1kg. Saiba mais Felps Botox Capilar em Massa Óleo de Ojon e Macadâmia - 1kg Código do Produto: felpsbotoxcapilarojon Marca: felps profissional. Calcule o frete e o prazo de entrega estimados para sua região Informe o CEP:. Não sei meu CEP Essa loja não entrega no CEP informado. Atenção: O prazo de entrega terá inicio somente após a confirmação do pagamento. Sendo o prazo informado válido para pedidos realizados e aprovados até as 20h, após esse horário acrescentar 1 dia útil ao prazo de entrega. Em certas áreas consideradas de risco pelos Correios, poderá haver aumento do prazo de entrega ou necessidade de retirada pelo cliente em uma das unidades dos Correios. O Felp...
http://cabelosdegciacosmeticos.produto.rakuten.com.br/felps-botox-capilar-em-massa-oleo-de-ojon-e-macadamia-1kg.aspx
*  Botox Capilar Madame Lis | Emporio do Cabeleireiro | Shopping Online
Rakuten Shopping, compre tudo, de todas as lojas, em um só lugar. Atendimento ao usuário. Abra sua loja. Como comprar. Abra a sua loja. + mais opções. Atendimento ao usuário. 0 Super Points Subtotal: R$ 0 Ir para o carrinho. Saiba mais Botox Capilar Madame Lis Mask Control Branca 1kg Código do Produto: botoxcapilarmadamelis Marca: madame lis. Calcule o frete e o prazo de entrega estimados para sua região Informe o CEP:. Atenção: O prazo de entrega terá inicio somente após a confirmação do pagamento. Sendo o prazo informado válido para pedidos realizados e aprovados até as 20h, após esse horário acrescentar 1 dia útil ao prazo de entrega. Em certas áreas consideradas de risco pelos Correios, poderá haver aumento do prazo de entrega ou necessidade de retirada pelo cliente em uma das unidades dos Correios. foi desenvolvidoespecialmente para tratar os cabelos, age na redu o de volume, alisamento ealinhamento capilar eliminando o frizz e proporcionando total hidrata o emaciez nos fios, sendo indicado para todos os...
http://emporiodocabeleireiro.produto.rakuten.com.br/botox-capilar-madame-lis-mask-control-branca-1kg.aspx
*  Diário da Lady : Esfoliação capilar + Receitas caseiras
... Esfoliação capilar + Receitas caseiras. Marcadores: Benefícios, Cabelos, Dicas. Assim como fazemos a esfoliação na pele, nos lábios e nos pés, é importante pelo menos uma vez ao mês fazer a esfoliação capilar. Essa esfoliação desobstrui os poros, tornando os cabelos mais saudáveis, fortes e assim favorecendo o bom crescimento dos fios. É indicado para todos, mas principalmente para quem tem caspa ou seborreia, fios crespos, queda de cabelos, oleosidade excessiva no couro cabeludo. amei o post, já tinha lido sobre esfoliação capilar, mas nunca testei, vou aproveitar nesse final de semana pra testar. Responder Excluir. www.likeparadise.com.br Responder Excluir. 30 abril, 2016 Eu já tinha ouvido falar sobre esfoliação capilar, inclusive vendem produtos próprios para isso, adorei a receitinha natural e saber um pouco mais sobre os benefícios :D http://www.sweetexpected.com.br/ Responder Excluir. Eu já ouvi falar sobre a esfoliação, mas nunca procurei saber um pouco mais sobre o assunto. 30 abril, 2016 Leidia...
http://diariodalady.com/2016/04/esfoliacao-capilar-receitas-caseiras.html
*  Saiba tudo sobre o Cimento Capilar!
saiba tudo sobre o cimento capilar moda decoração unhas cabelo tatuagens maquiagem pele saúde dietas pinterest twitter facebook google plus rss instagram buscar saiba tudo sobre o cimento capilar cabelo por malanny serejo de outubro de às pessoas amaram este post mais um tratamento de beleza para os cabelos chega aos salões e promete resultados surpreendentes nas madeixas o cimento capilar o procedimento é o que existe de mais atual no ramo a novidade que vem direto do japão é sucesso absoluto na terra do sol nascente e vem com tudo para deixar as madeixas brasileiras ainda mais bonitas como funciona o cimento capilar o cimento capilar é um método poderoso de hidratação onde repara intensamente os danos sofridos pelos cabelos ele leva esse nome por colar a cutícula dos fios e promete sumir com as pontas duplas ressecamento opacidade quebra dentre outros problemas que comprometem a beleza dos cabelos deixando os maleáveis soltinhos macios com muito brilho e mais lisos a técnica é ideal para ser usada em cabelo...
http://muitochique.com/cabelo/cimento-capilar.html
*  QUANTO CUSTA IMPLANTE CAPILAR PREÇO MÉDIO
O procedimento de implante capilar pode durar algumas horas e dependendo do método escolhido é algo muito semelhante à uma cirurgia. O cabelo é parte fundamental para o visual de qualquer pessoa, por isso quando os fios começam a cair pode afetar a autoestima e a aparência, prejudicando assim o dia a dia daqueles que são acometidos pelo problema. Esse disfarce pode ser feito com a ajuda de produtos químicos, perucas ou mesmo o implante capilar, uma das maneiras mais eficazes. O procedimento de implante capilar pode durar algumas horas e dependendo do método escolhido é algo muito semelhante à uma cirurgia. O procedimento total pode durar em média duas horas, dependendo do método escolhido. O implante não é permanente e o retoque deve ser feito em média de 5 em 5 anos. Muitas pessoas pesquisam sobre quanto custa o implante capilar, mas esse assunto é um pouco delicado, pois o valor muda dependendo do profissional, do método e muito mais. O implante pode ser feito em diferentes partes do couro cabeludo, mas sem...
http://mundodastribos.com/quanto-custa-implante-capilar-preco-medio.html
*  Miss Kim: Desmineralização Capilar
... 23 de fevereiro de 2013. Desmineralização Capilar. O sistema foi desenvolvido por uma empresa americana depois de anos de pesquisa que concluiu que muitos cabelos não respondiam aos sistemas de tratamentos porque estavam carregados com minerais tais como cálcio e magnésio, afetando o cabelo negativamente. Só uma nota gente, eu nunca vi esse produto por aqui onde eu moro, e também nunca usei nada da marca Summit, vou explicar aqui o que eu entendi do produto e do como ele age. Ontem eu fiz a quinta aplicação da desmineralização capilar da summit, e hoje a titulo de observação já que ainda faltam 5 aplicações fiz um teste de mecha com descolorante, deixei a mecha 30 minutos com descolorante e agua oxigenada de 10 e depois mais 30 minutos com auga oxigenada de 20 e mais 10 minutos com agua oxigenada de 30, com 5 minutos mais na agua ox de 30 o cabelo começou a ficar elastico e eu parei Esse clareamento progressivo eu vi em um site onde o cabeleireiro dizia qu o cabelo não quebrava tanto. a mecha ficou levem...
http://misskimberliblog.blogspot.com/2013/02/desmineralizacao-capilar.html
*  Vilosidade intestinal
... As 'vilosidades intestinais' e as "microvilosidades", encontrada no intestino delgado, têm a função de aumentar a absorção dos nutriente s após a digestão. Elas são as dobras dos intestinos. A superfície das vilosidades tem uma área de 12 cm² e das microvilosidades 240 cm². Different stages|250px|direita|thumb|Esquema das vilosidades de modo resumido. A absorção. A partir do duodeno, o bolo alimentar é conduzido por movimentos peristálticos através de todo o intestino delgado, Nesse percurso o organismo vai absorvendo minerais, vitaminas e produtos da digestão do amido, do açúcar e da cana, das proteínas e dos lipídios.O duodeno além da absorção tem a função de transformação química do quimo através das substâncias de dois ductos que "desembocam" na papila maior:ducto colédoco e ducto pancreático.Estes ductos são provenientes do fígado colédoco e do pâncreas pancreático .Respectivamente,liberam no duodeno as seguintes substâncias:bile responsável pela quebra das grandes moléculas de gorduras em menores, ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Vilosidade_intestinal
*  VIGILÂNCIA SANITÁRIA: Alerta: carbocisteína X alisamento capilar
A missão da VISA é promover e proteger a saúde da população, garantindo os direitos constitucionais do cidadão e defendendo a vida. Alerta: carbocisteína X alisamento capilar. Desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA proibiu o uso do formol como alisante capilar devido ao seu potencial cancerígeno, vira e mexe surgem boatos sobre um substituto saudável à altura. A bola da vez é a carbocisteína, mas, ao contrário do que muita gente pensa, ela não tem a capacidade de esticar o fio. Mas, para dizer que ela alisa, algumas empresas a associam ao gluteraldeído, que é da mesma família do formol. E, apesar de ainda não ter estudos que comprovem que esse ativo é nocivo à saúde, é sempre bom ter cautela", recomenda a farmacêutica Mika Yamaguchi, de São Paulo. Vale lembrar que a carbocisteína é um dos aminoácidos que formam a queratina, o principal componente do cabelo, e responsável pelas pontes cisteínicas que fazem com que os fios tenham a ondulação natural quanto mais pontes cisteínicas uma mulher...
http://visatx.com.br/2012/05/alerta-carbocisteina-x-alisamento.html
*  Kit: Keramax, kit de cauterização capilar ! (Skafe cosmeticos) |
Kit: Keramax, kit de cauterização capilar. Skafe cosmeticos. Kit: Keramax, kit de cauterização capilar. Skafe cosmeticos. Olá meninas, faz uns dias que todas de nós da OG recebemos uma linha diferente para cada integrante dos produtos da SKAFE COSMETICOS. E claro, queria muito agradecer a SKAFE por este presente de boas vindas para o encontro que vamos ter aqui no RJ. Bom, eu ainda não usei todos os produtos, eu usei alguns, mas o que mais me chamou atenção até agora, foi o kit de cauterização capilar. Próximo mês terá vídeo sobre a experiencia e vou dizer sobre todos os itens que recebi, assim como todas as integrantes do blog. Assim, como eu disse, todas as meninas precisam de uma hidratação dessas. Fiquei apaixonada por todos os produtos da Skafe que utilizei, e com certeza os que eu ainda não não experimentei vou gostar, a Skafe faz um trabalho ÓTIMO, a qualidade dos produtos são. muito boas. Bom meninas, espero que vocês também tenham tido a mesma experiencia com os produtos da Skafe, onde podem ser enco...
https://ordinarygiirls.wordpress.com/2012/08/28/kit-keramax-kit-de-cauterizacao-capilar/
*  Botox capilar hidrata os fios - vivomaissaudavel.com.br
... alimentação saudável. Aprenda como armazenar verduras e frutas na geladeira Alimentos são essenciais para quem busca alimentação saudável e equilibrada. Saiba como aderir a uma alimentação vegana No Dia Mundial Vegano conheça mais sobre esse estilo de vida. Como manter uma dieta saudável no verão Nutricionista dá orientações para conquistar a forma desejada. 2 receitas práticas para fazer panqueca de banana sem glúten Prato é recomendado para quem busca uma opção leve, saudável e prática. publicidade. saúde. exercícios. publicidade. Pré-shampoo: Conheça as vantagens do produto para os cabelos A tendência de tratamento promete mais vida para os fios. Faça nosso teste e identifique qual o seu estilo Identifique quais peças são mais presentes no seu dia a dia. Tendências de vestidos de festa para o fim de ano Saiba o que usar para brilhar em uma ocasião especial. Fonoaudiologia estética facial: Técnica para atenuar as rugas Com exercícios funcionais é possível reduzir os sinais do envelhecimento. 5 dicas: C...
http://vivomaissaudavel.com.br/beleza/estetica/botox-capilar-promete-hidratacao-para-os-fios-conheca-a-tecnica/
*  Registro ANVISA nº 214280059 - ATIVADOR CAPILAR COM CERAMIDAS E PRO-VITAMINAS B5 - DESCONHECIDO
registro anvisa n⺠ativador capilar com ceramidas e pro vitaminas b desconhecido smerp anvisa pesquisar relatar um erro termos de uso consultorias perguntas frequentes consulta em lotes contato...
https://smerp.com.br/anvisa/?ac=prodDetail&anvisaId=214280059
*  Registro ANVISA nº 217630003 - FLORA TROPICAL CREME DE TRATAMENTO CAPILAR CERAMIDAS - DESCONHECID
registro anvisa n⺠flora tropical creme de tratamento capilar ceramidas desconhecido smerp anvisa pesquisar relatar um erro termos de uso consultorias perguntas frequentes consulta em lotes contato...
https://smerp.com.br/anvisa/?ac=prodDetail&anvisaId=217630003
*  Ácido 6-aminonaftaleno-1-sulfônico
ácido aminonaftaleno sulfônico ácido aminonaftaleno sulfônico info química imagefile dahl acid svg imagesize px section chembox identifiers casno einecs section chembox related otheranions othercpds ácido de tobias ácido naftiônico ácido de laurent ácido de baden ácido de peri isômeros posição diferente do grupo amina ácido de tobias ácido de baden ácido de cassella f ácido aminonaftaleno sulfônico ácido de brönner isômeros posição diferente do grupo sulfônico ácido beta de cleve isômero posições trocadas entre os grupos funcionais ácido aminonaftaleno sulfônico é o composto químico orgânico de fórmula c h no s massa molecular é um dos ácidos de letras sendo chamado de ácido de dahl é o isômero de posição do ácido de broenner o ácido aminonaftaleno sulfônico é classificado com o número cas einecs mol file mol e número mdl mfcd www chemicalbook com www sigmaaldrich com aplicações é usado como um intermediário para a síntese de corante s e pigmento s entre os corantes que é intermediário encontram se amarelo mo...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_6-aminonaftaleno-1-sulfônico
*  Hidróxido de zinco
... chembox new name hidróxido de zinco imagefile hydroxid zinečnatý png imagesize px othernames section chembox identifiers casno section chembox properties formula quim zn oh molarmass g mol appearance pó branco density g cm quim s solubility ksp x meltingpt c decomposição boilingpt section chembox hazards euclass nfpa h nfpa r nfpa f hidróxido é um composto químico inorgânico de fórmula pode ser encontrado na natureza na forma de três minerais raros wulfingita ortorrômbico ashoverita e sweetita ambos tetragonais como o óxido de zinco apresenta a incomum propriedade de ser anfotérico dessa forma irá se dissolver facilmente em uma solução diluída de um ácido forte como o e também em uma solução de hidróxido de sódio pode ser preparado por adição de solução de hidróxido de sódio mas não em excesso em uma solução qualquer de um sal de zinco resultando no precipitado branco se é adicionado hidróxido de sódio em excesso o precipitado de hidróxido de zinco irá se dissolver formando uma solução incolor de íons zi...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Hidróxido_de_zinco
*  Ácido 3-hidroxinaftaleno-2,7-dissulfônico
Seu sal dissódico, chamado "sal R", de ´formula C 10 H 6 Na 2 O 7 S 2, massa molecular 348,26 e classificado com o número CAS 135-51-3, é um importante intermediário na produção de corantes, é produzido a partir do naftaleno por uma combinação de processos unitários de sulfonação, nitração, redução e hidrólise. O sal R é usado na produção de um grande número de corantes azo e pigmento s. Corantes diazo baseados neste ácido e no seu sal. Vários corantes são formados por acoplamento diazoico com este ácido e seu sal. Os corantes Ponceau 2R, No original, a reação representada é o acoplamento da 'meta-xilidina' na imagem, o 2,4-xilidina com o ácido R, dando como resultado 'Ponceau R'. Bordeaux B e amaranto vermelho para alimentos 9 são resultado do acoplamento diazoico, em meio alcalino, do ácido R com os sais de diazônio de, respectivamente, 3,4-xilidina, alfa-naftilamina e ácido naftiônico. Outros corantes e pigmentos obtidos a partir desse ácido incluem:. Corantes mordentes: preto mordente 50, vermelho mordent...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_3-hidroxinaftaleno-2,7-dissulfônico
*  Ácido dicarboxílico
'Ácidos dicarboxílicos' são compostos orgânicos que apresentam em sua estrutura dois grupos funcionais carboxila. A fórmula molecular dos ácidos dicarboxílicos é bastante escrita como 'HOOC-R-COOH', onde o R é usualmente um grupo alcano, alceno ou alcino. O uso dos ácidos dicarboxílicos está associado ao preparo de copolímero s como o nylon e de Poli Tereftalato de Etila as famosas garrafas PET. Em geral, os ácidos dicarboxílicos mostram os mesmos comportamentos químicos e reatividades dos ácidos monocarboxílicos. A ionização da segunda carboxila ocorre mais vagarosamente do que a primeira. Isto se dá porque mais energia é requerida para separar o íon hidrogênio positivo do ânion duplamente carregado do que de um simplesmente carregado. Quando um dos grupamentos carboxila é substituído por um grupamento aldeído, a estrutura resultante é chamada de "ácido aldeídico". Exemplos. 'Principais ácidos dicarboxílicos' width="15%" Nome usual. width="25%" Fórmula química. width="30%" Fórmula estrutural. ácido etanodiói...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_dicarboxílico
*  Ácido monocarboxílico
... direita px ácido monocarboxílico ou monoácido orgânico é a denominação geral dada aos ácidos carboxílicos que apresentam na sua estrutura um único grupo funcional carboxila ficheiro carboxílico png onde r é um radical orgânico alquila alquenila arila ou hidrogênio nomenclatura oficial ácido óico sendo a lacuna preenchida com o nome da cadeia carbônica do hidrocarboneto que origina o ácido tirando a terminação o do nome do hidrocarboneto usual nome em geral de origem latina ou grega exemplo ch cooh ou px nomenclatura oficial ácido etanóico cadeia derivada do hidrocarboneto etano nomenclatura usual ácido acético do latim acetum azedo principais ácidos monocarboxílicos cadeias normais e saturadas ácido fórmico ou ácido metanóico h cooh ácido acético ou ácido etanóico ch cooh ácido propiônico ou ácido propanóico ch ch cooh ácido butírico ou ácido butanóico ch ch ch cooh o ácido valérico ou ácido pentanóico ch ch ch ch cooh cadeias normais e insaturadas ácido acrílico ou ácido propenóico ch ch cooh ácido crot...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_monocarboxílico
*  Hidróxido de sódio
Solvent1 = etanol Solubility1 = 13.9 g/100 mL carece de fontes Solvent2 = metanol Solubility2 = 23.8 g/100 mL {{carece de fontes}} Solvent3 = glicerol Solubility3 = solúvel carece de fontes RefractIndex = 1.412 carece de fontes }} Section4 = {{Chembox Thermochemistry DeltaHf = -197,76 kJ / mol gás -416,88 kJ / mol líquido -425,93 kJ / mol sólido. Entropy = 228,47 J / mol · K gás, 1 bar 75,91 J / mol · K líquido, 1 bar 64,46 J / mol · K sólido. OtherCpds = Óxido de sódio Hidreto de sódio Peróxido de sódio }} }}. O 'hidróxido de sódio' Na OH, também conhecido como 'soda cáustica', é um hidróxido cáustico usado na indústria, principalmente como base química, na fabricação de papel, tecido s, detergente s, alimento s e biodiesel. É altamente corrosivo e pode produzir queimaduras, cicatrizes e cegueira devido à sua elevada reatividade. Reage de forma exotérmica com a água e é produzido por eletrólise de uma solução aquosa de cloreto de sódio salmoura, sendo produzido juntamente com o cloro. Reações com haletos de ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Hidróxido_de_sódio
*  2-Naftol
Os naftois são homólogos naftalenos do fenol , com o grupo hidroxil mais reativo do que nos fenóis. O grupo ácido sulfônico é então removido por meio de hidróxido de sódio fundido:. O 2-naftol também pode ser produzido por um método análogo ao processo do cumeno. Ambos os naftóis podem ser usados na produção de corante s em síntese orgânica. Os corantes Sudan são corantes populares notáveis por serem solúveis em solventes orgânicos. Diversos dos corantes Sudan são derivados do 2-naftol por acoplamento com sais de diazônio. Outros corantes produzidos com o 2-naftol incluem: - '''www.dyestuffintermediates.com'''. Corantes ácidos: laranja ácido 7 , preto ácido 117 , preto ácido 172 , preto ácido 34, preto ácido 13, vermelho ácido 151, vermelho ácido 184, vermelho ácido 296, vermelho ácido 66, vermelho ácido 89, amarelo ácido 241, azul ácido 328, amarelo ácido 59, violeta ácido 78, violeta ácido 92, castanho ácido 50. Corantes básicos: azul básico 10 , azul básico 6 , azul básico 16. Corantes mordentes: preto mor...
https://pt.wikipedia.org/wiki/2-Naftol
*  Ácido di-hidrocafeico
ácido di hidrocafeico ácido di hidrocafeico info química imagefile dihydrocaffeic acid svg imagesize px iupacname ácido diidroxifenil propanoico othernames ácido diidrocafeico section chembox identifiers casno einecs smiles c c c cc c ccc o o o o section chembox properties c h o meltingpt c sigma aldrich aldrich data de julho de name dihydroxyhydrocinnamic acid section chembox related function catecois otherfunctn ácido cafeico insaturado ácido diidroxifenilacético ácido hidroxifenil láctico mais uma hidroxila no carbono alfa otheranions diidroxifenil propanamida amida ácido hidroxi metoxifenil propiônico ácido diidroferúlico othercpds ácido hidroxifenil propiônico ácido hidroxifenil propiônico ácido diidrocafeico também chamado de ácido diidroxifenil propiônico ou ácido diidroxi benzenepropanoico ou ácido diiydroxi fenil propiônico abreviado na literatura como dhca do inglês d i h ydro c affeic a cid é o composto químico orgânico com fórmula c h o smiles c c c cc c ccc o o o o massa molecular g mol classific...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_di-hidrocafeico
*  Ácido sinapínico
... info química name ácido sinapínico imagefile sinapic acid png imagename ácido sinapínico iupacname ácido hidróxi dimetóxifenil prop enóico othernames ácido sinapínico ácido sinápico ácido dimetóxi hidroxicinâmico ácido hidróxi dimetóxicinâmico section section chembox properties c h o molarmass g mol meltingpt c sigma aldrich aldrich d data februar boilingpt decompõe se carl roth data februar solubility solúvel section chembox hazards rphrases r sphrases s s tlv section chembox related function ácidos carboxílicos otherfunctn ácido ferúlico sem um dos metoxi ácido hidroxiferúlico um dos metoxi substituído por hidroxila ácido dimetoxicinâmico sem a hidroxila ácido trimetoxicinâmico hidroxila substituída por metoxi ácido hidroxi dimetoxifenil propiônico saturado princípio ativo do kimchi othercpds eugenol metóxi propenil fenol sinapaldeído álcool sinapílico sinapato de metila ácido sinapínico ou ácido sinápico é um ácido carboxílico pequeno de ocorrência natural é um membro da família de fenilpropanóide s é...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_sinapínico
*  Ácido acrílico
... info química name ácido acrílico reference merck index th edition imagefilel acrylic acid svg imagesizel px imagenamel acrylic acid imagefiler acrylic acid from xtal d balls png imagesizer px imagenamer ball and stick model of the acrylic acid molecule iupacname propenoic acid othernames ácido acroleico ácido etilenocarboxílico ácido do propeno ácido propenóico ácido vinilfórmico section info química identifiers smiles c cc o o casno casno ref rtecs as section chembox properties c h o appearance líquido incolor e claro density g ml solubility miscível meltingptc boilingptc pka viscosity cp a c section chembox hazards externalmsds mainhazards corrosivo c perigoso para o ambiente n flashpt c rphrases r r r r sphrases s s s s section chembox related othercations acrilato otheranions acrilamida function ácidos carboxílicos otherfunctn ácido acético c ácido propiônico c ácido butírico c ácido crotônico c ácido láctico hidroxipropanóico ácido cinâmico fenil propenóico othercpds acrilato de metila propenol acro...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_acrílico
*  Ácido 4-metoxibenzoico
ácido metoxibenzoico ácido metoxibenzoico info química imagefile methoxybenzoic acid svg imagesize iupacname othernames ácido anísico section chembox identifiers casno pubchem smiles section chembox properties formula c h o molarmass appearance pó branco density meltingpt c boilingpt c c a mm hg solubility muito ligeiramente solúvel em água pka crc handbook of tables for organic compound identification third edition isbn section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function derivados do metoxibenzeno otherfunctn álcool metoxibenzoico ácido duplamente reduzido a álcool anisaldeído ácido reduzido a aldeído ácido metoxibenzoico e ácido metoxibenzoico isômeros ácido isovanílico mais uma hidroxila posição ácido metoxifenilacético homólogo metoxibenzoato de metila éster metílico otheranions metoxibenzamida ácido hidroxibenzoico ácido metilamino benzoico ácido metiltio benzoico ácido metoxibenzoico ácido anísico ácido dracônico ácido p anísico ou ácido para anísico é o composto or...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_4-metoxibenzoico
*  Ácido clorobenzenossulfônico
... nome ácido clorobenzenossulfônico ácido clorobenzenossulfônico ácido clorobenzenossulfônico outros nomes ácido padrões de substituição de arenos o clorobenzenossulfônico ácido padrões de substituição de arenos orto clorobenzenossulfônico ácido padrões de substituição de arenos m clorobenzenossulfônico ácido padrões de substituição de arenos meta clorobenzenossulfônico ácido padrões de substituição de arenos p clorobenzenossulfônico ácido padrões de substituição de arenos para clorobenzenossulfônico fórmula estrutural arquivo chlorobenzenesulfonic acid svg px arquivo chlorobenzenesulfonic acid svg px arquivo chlorobenzenesulfonic acid svg px número cas sal de sódio pubchem fórmula química c h clso massa molar g mol estados físicos da matéria sólido descrição pó bege a cinzento ponto de fusão c www chemblink com sistema harmonizado de classificação e rotulagem de produtos químicos identificação ghs gefahr h und p sätze euh sätze s sätze os ácidos clorobenzenossulfônicos formam em química de um grupo de sub...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_clorobenzenossulfônico
*  Ácido 2-metilbutírico
ácido metilbutírico ácido metilbutírico info química imagefile methyl butyric acid svg imagesize px othernames ácido metiletilacético section chembox identifiers casno smiles ccc c c o o section chembox properties meltingpt c ou c grande enciclopédia soviética a edição валериановые кислоты citado em the free dictionary valeric acids boilingpt c density g ml a c solubility g l a ºc section chembox related function ácidos carboxílicos saturados otherfunctn ácido butírico ácido isobutírico metilpropanoico ácido metilbutírico isovalérico ácido dimetilpropanoico dimetilacético ácido pentanoico isômeros ácido metilpentanoico ácido etilbutírico othercpds metilbutirato de metila ácido angélico e ácido tiglico insaturados metilbutiramida ácido hidroxi metilbutírico ácido metilbutírico é o composto orgânico de fórmula c h o e massa molecular apresenta ponto de fusão de c ponto de ebulição de c densidade de g ml a c ponto de fulgor f e solubilidade em água de g l a ºc é classificado com o número cas e mol file mol www c...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_2-metilbutírico
*  Categoría:Compuestos de sodio - Wikipedia, la enciclopedia libre
... Categoría:Compuestos de sodio De Wikipedia, la enciclopedia libre. Saltar a: navegación , búsqueda. Wikimedia Commons alberga contenido multimedia sobre Compuestos de sodio. Commons. Páginas en la categoría «Compuestos de sodio». Esta categoría incluye las siguientes 75 páginas:. A Acetato de sodio Adipato de sodio Arseniato de sodio Arsenito de sodio Ascorbato de sodio Azul de Coomassie B. Benzoato de sodio Bicarbonato de sodio Bis trimetilsilil amida de sodio Bisulfito sódico Bórax Borohidruro de sodio Bromato de sodio Bromuro de sodio C. Carbonato de sodio Cianoborohidruro de sodio Cianuro de sodio Clorato de sodio Cloruro de sodio Yoduro de sodio Cromato de sodio Croscarmelosa de sodio D. Dicromato de sodio Disulfito de sodio Dodecilsulfato sódico E. Eritorbato sódico Etóxido de sodio F. Fluoruro sódico Formiato de sodio Fosfato sódico Fumarato de sodio G. Gluconato de sodio Glutamato monosódico Guanilato disódico H. Hidruro de sodio Hidróxido de sodio Hipoclorito de sodio Hipofosfito de sodio I. Ino...
https://es.wikipedia.org/wiki/Categoría:Compuestos_de_sodio
*  Ácido de Cassella
... info química imagefile f acid svg imagesize px section chembox identifiers casno einecs section chembox properties meltingpt c cristais g w a milne editor gardner s commercially important chemicals synonyms trade names and properties solubility solúvel solubleother solúvel em etanol insolúvel em benzeno e éter dietílico ácido de cassella ou pela nomenclatura da iupac ácido hidroxinaftaleno sulfônico é o composto orgânico de fórmula química c h o s massa molecular classificado com o número cas einecs www chemindustry com naphthalenesulfonic acid hydroxy www lookchem com é utilizado como intermediário para corantes azoicos ver também ácido de cassella f onde o grupo hidroxilo é substituido por um grupo amino categoria compostos aromáticos categoria ácidos sulfônicos categoria fenóis...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_de_Cassella
*  Óxido de cromo(IV)
óxido de cromo iv óxido de cromo iv chembox verifiedfields changed verifiedrevid name óxido de cromo iv reference imagefile rutile unit cell d balls png imagename chromium iv oxide iupacname óxido de cromo iv dióxido de cromo othernames crolyn magtrieve section chembox identifiers chemspiderid ref chemspiderid inchi cr o rcro c chebi ref ebicite correct ebi chebi smiles o o inchikey aytakqfhwfybma qavxbiobai stdinchi ref stdinchicite correct chemspider stdinchi s cr o stdinchikey ref stdinchicite correct chemspider stdinchikey aytakqfhwfybma uhfffaoysa n casno casno ref cascite correct cas rtecs gb pubchem section chembox properties formula cro molarmass g mol appearance black tetrahedral ferromagnetic crystals density g cm solubility insoluble meltingptc melting notes decomposes section chembox structure crystalstruct rutile tetragonal tp spacegroup p mnm no section chembox hazards externalmsds euindex not listed rphrases sphrases flashpt non flammable section chembox related other cations óxido de vanádio i...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Óxido_de_cromo(IV)
*  Óxido de cromo(II)
óxido de cromo ii óxido de cromo ii chembox watchedfields changed name óxido de cromo ii verifiedrevid imagefile nacl polyhedra png iupacname óxido de cromo ii othernames section chembox identifiers casno ref casno pubchem smiles section chembox properties formula cro molarmass g mol appearance black density meltingptc melting notes decomposes boilingpt solubility section chembox structure crystalstruct cubic cf spacegroup fm m no óxido de cromo ii é um composto inorgânico de fórmula química cro é um pó preto que cristaliza em formação salina egon wiberg arnold frederick holleman inorganic chemistry elsevier isbn ver também óxido de cromo iii óxido de cromo iv óxido de cromo vi referências categoria compostos de crômio categoria esboços sobre compostos inorgânicos categoria óxidos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Óxido_de_cromo(II)
*  Ácido clórico
... info química name chloric acid imagefile chloric acid d png imagename chloric acid imagefile chloric acid d vdw png imagename chloric acid othernames chloric v acid section section chembox properties h cl o molarmass g mol appearance colourless solution density g cm solução a gestis name chlorsäure zvg cas date de janeiro de meltingpt c solução a boilingpt c decomposição da solução a pka literatur autor nils wiberg egon wiberg arnold fr holleman titel lehrbuch der anorganischen chemie verlag de gruyter ort berlin isbn auflage jahr section chembox structure molshape pyramidal dipole section chembox hazards externalmsds mainhazards oxidante nfpa h nfpa f nfpa r nfpa o ox rphrases r r sphrases s s s s section chembox related function oxiácido s otherfunctn ácido brômico ácido iôdico ácido sulfúrico othercations clorato de amônio clorato de sódio clorato de potássio othercpds pentóxido de dicloro ácido clorídrico hcl ácido hipocloroso hclo ácido cloroso hclo ácido perclórico hclo ácido clórico é um oxiácido ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_clórico
*  Ácido metoxibenzoico
... os ácidos metoxibenzoicos formam em química um grupo de substâncias que são tanto derivadas a partir do ácido benzoico como a partir do anisol a estrutura é constituída por um anel de benzeno com grupo carboxila cooh e metoxilo och anexos como substituintes através da sua disposição diferente orto meta ou para existem três isômeros estruturais com a fórmula molecular c h o primariamente eles podem ser chamadas ácidos benzoicos metoxisubstituídos o ácido metoxibenzoico é conhecido principalmente pelo seu nome comum ácido anísico na literatura em inglês o termo anísico é utilizado para os ácidos e metoxibenzoico ácido metoxibenzoico nome ácido metoxibenzoico ácido metoxibenzoico ácido metoxibenzoico outros nomes ácido o metoxibenzoico ácido m metoxibenzoico ácido p metoxibenzoico ácido anísico fórmula estrutural imagem methoxybenzoic acid svg px imagem methoxybenzoic acid svg px imagem methoxybenzoic acid svg px número cas pubchem fórmula química fórmula c h o massa molar g mol estado físico sólido apresen...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_metoxibenzoico
*  Ácido 4-fluorbenzenossulfônico
ácido fluorbenzenossulfônico ácido fluorbenzenossulfônico info química imagefile fluorobenzenesulfonic acid svg imagesize px iupacname othernames ácido para fluorbenzenossulfônico ácido p fluorbenzenossulfônico ácido benzeno fluoro sulfônico section chembox identifiers casno pubchem smiles c cc cc c f s o o o section chembox properties formula c h fo s molarmass appearance sólido density meltingpt www chemicalbook com boilingpt solubility section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function ácidos sulfônicos otherfunctn ácido fluorbenzenossulfônico e ácido fluorbenzenossulfônico isômeros otheranions ácido hidroxibenzenossulfônico ácido clorobenzenossulfônico ácido fluorbenzenossulfônico é o composto orgânico de fórmula c h fo s é classificado com o número cas einecs e mol file mol pubchem é um dos três isômero s ácido fluorbenzenossulfônico ver também ácido hidroxibenzenossulfônico categoria ácidos sulfônicos categoria compostos aromáticos categoria organofluorados...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_4-fluorbenzenossulfônico
*  Ácido antraceno-1-sulfônico
ácido antraceno sulfônico ácido antraceno sulfônico info química imagefile anthracene sulfonic acid svg imagesize px section chembox identifiers casno smiles c cc s o o o c cc ccccc cc c section chembox related function ácidos sulfônicos otherfunctn ácido naftaleno sulfônico ácido antraceno sulfônico e ácido antraceno sulfônico isômeros ácido antraceno dissulfônico ácido antraceno dissulfônico otheranions antraceno tiol ácido antraceno sulfônico ácido antracenossulfônico ou ácido α antracenossulfônico é um composto orgânico de fórmula química c h o s de massa molecular é classificado com o número cas www ebuychem com é o homólogo do ácido naftaleno sulfônico sendo o derivado ácido sulfônico do antraceno é comercializado na forma de seu sal de sódio o antraceno sulfonato de sódio de fórmula c h o s na classificado com o número cas mol file mol e cbnumber cb www chemicalbook com www chemicalbook com categoria compostos aromáticos categoria ácidos sulfônicos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_antraceno-1-sulfônico
*  Ácido mandélico
... info química reference merck index th edition name ácido mandélico imagefile mandelic acid png imagesize px imagename iupacname hidroxi feniletanóico othernames ácido mandélico ácido fenilglicólico section info química identifiers casno chemspiderid smiles oc c o c ccccc o section chembox properties formula c h o molarmass g mol density g cm meltingpt c boilingpt solubility g por ml solubleother clorofórmio m éter dietílico m metanol m solvent clorofórmio éter dietílico metanol pka section chembox related otheranions othercations function ácidos carboxílicos otherfunctn ácido glicólico hidroxiacético ácido fenilacético ácido trópico ácido hidroxi fenil propanoico ácido vanilmandélico ácido hidroxi hidroxi metoxi fenil acético othercpds mandelonitrila o ácido mandélico é um ácido carboxílico cuja fórmula química é c h o é um sólido branco cristalino e é parcialmente solúvel em água e totalmente em solvente s orgânicos como o isopropanol e etanol sua temperatura de fusão é de c se obscurece por efeito da l...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_mandélico
*  Ácido 3-oxopentanoico
ácido oxopentanoico ácido oxopentanoico chembox new verifiedrevid imagefile oxopentanoic acid png imagesize px iupacname oxopentanoic acid othernames beta cetopentanoato oxopentanoato ácido oxovalérico ácido cetovalérico section chembox identifiers chemspiderid ref chemspiderid kegg ref keggcite correct kegg kegg c inchi c h o c h h h h smiles o c cc cc o o inchikey fhsufdyfohsyhi uhfffaoyaq stdinchi ref stdinchicite correct chemspider stdinchi s c h o c h h h h stdinchikey ref stdinchicite correct chemspider stdinchikey fhsufdyfohsyhi uhfffaoysa n casno pubchem chebi ref ebicite correct ebi chebi smiles ccc o cc o o section chembox properties formula c h o molarmass g mol appearance density meltingpt boilingpt solubility section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function corpos cetônicos otherfunctn ácido acetoacético ácido oxobutanoico othercpds ácido levulínico isômero oxopentanoico oxopentanal ácido reduzido a aldeído ácido hidroxipentanoico cetona reduzida a álcool ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_3-oxopentanoico
*  Ácido glicérico
... info química verifiedrevid reference merck index th edition imagefile glyceric acid png imagesize px iupacname dihydroxypropanoic acid othernames glycerate section info química identifiers casno ref casno pubchem smiles c c c o o o o section chembox properties formula c h o molarmass g mol appearance density meltingpt boilingpt solubility section section chembox related function açúcar es otherfunctn ácido glicólico c gliceraldeído carboidrato ácido treonico c othercpds glicerol propano triol ácido láctico hidroxi propanoico ácido hidroxipropanoico ácido hidroximalônico hidroxi propanodioico otheranions serina ácido amino hidroxi propanoico isosserina ácido amino hidroxi propanoico ácido glicérico é um ácido de açúcar natural de três carbonos ele é o ácido aldônico decorrente da oxidação do gliceraldeído sais e ésteres do ácido glicérico são chamados de gliceratos bioquímica vários fosfato s do ácido glicérico são importantes intermediários na glicólise como o ácido fosfoglicérico ácido fosfoglicérico ác...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_glicérico
*  Falando de Cabelo
segunda-feira, 4 de abril de 2011. O ácido glioxílico ou ácido formilfórmico é um ácido orgânico de fórmula OHC-COOH, e é o mais simples dos ácidos-aldeídos. Esta via evita as duas etapas de descarboxilação do ciclo dos ácidos tricarboxílicos mediante a cisão do ácido isocítrico em succínico, o qual se pode utilizar na biossíntese de glucose gluconeogénese, e ácido glioxílico, ao qual se incorpora uma molécula de acetil-CoA para formar malato. Este último oxida-se originando ácido oxalacético, que se volta a condensar com nova molécula da acetil-CoA e inicia outra volta do ciclo. Desta maneira, em cada volta incorporam-se duas moléculas de acetil-CoA e forma-se uma de ácido succínico. Este ciclo possibilita às plantas e aos micro-organismos a utilização da acetil-CoA procedente, por exemplo, da degradação dos ácidos gordos, como única fonte de carbono para a biossíntese de glúcidos. O ácido glioxílico ou ácido formilfórmico é um ácido orgânico. Julho 4. jul 16 1. jul 15 2. jul 13 1. Janeiro 1. jan 06 1. Dezem...
http://paolocabeleireiro.blogspot.com/2011/04/acido-glioxilico-o-que-e-o-acido.html
*  Hidróxido de estrôncio
... Name = Hidróxido de estrôncio. Section2 = {{Chembox Properties. MolarMass = 121.63468 g·mol –1 anidro 139.64996 g·mol –1 monohidrato 265.75692 g·mol –1 octahidrato. Solubility = 1.77 g / 100 mL at 20 °C. MeltingPt = 375°C anidro. BoilingPt =. Section3 = Chembox Structure. Section7 = {{Chembox Hazards. Section8 = Chembox Related. OtherAnions = Óxido de estrôncio Peróxido de estrôncio. OtherCations = Hidróxido de cálcio Hidróxido de bário }} 'Hidróxido de estrôncio' é um composto químico de fórmula Sr O H 2, é um álcali cáustico composto de um íon estrôncio e dois íons hidróxido. É sintetizado por combinar um sal de estrôncio com uma base forte. Sr OH 2 existe na forma de anidro, monohidrato, ou octahidrato. Preparação Aplicações Segurança Ligações externas. Porque o Sr OH 2 é muito levemente solúvel em água. sua preparação pode ser facilmente obtido pela adição de uma base forte tal como o NaOH ou KOH, gota por gota a uma solução de qualquer sal de estrôncio, mais comumente o Sr NO 3 2 nitrato de estrônci...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Hidróxido_de_estrôncio
*  Ácido dicarboxílico – Wikipédia, a enciclopédia livre
... Ácido dicarboxílico Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Ir para: navegação , pesquisa Ácidos dicarboxílicos são compostos orgânicos que apresentam em sua estrutura dois grupos funcionais carboxila. A fórmula molecular dos ácidos dicarboxílicos é bastante escrita como HOOC-R-COOH , onde o R é usualmente um grupo alcano , alceno ou alcino. O uso dos ácidos dicarboxílicos está associado ao preparo de copolímeros como o nylon e de Poli Tereftalato de Etila as famosas garrafas PET. Em geral, os ácidos dicarboxílicos mostram os mesmos comportamentos químicos e reatividades dos ácidos monocarboxílicos. A ionização da segunda carboxila ocorre mais vagarosamente do que a primeira. Isto se dá porque mais energia é requerida para separar o íon hidrogênio positivo do ânion duplamente carregado do que de um simplesmente carregado. Quando um dos grupamentos carboxila é substituído por um grupamento aldeído , a estrutura resultante é chamada de "ácido aldeídico". Principais ácidos dicarboxílicos Nome usual Nome IU...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_dicarboxílico
*  Ácido tríflico
... info química imagefile triflic acid png imagefile tfoh d ball stick png imagefile tfoh d vdw png imagesize iupacname ácido trifluormetanossulfônico othernames ácido tríflico section section chembox properties formula cf so h molarmass g mol appearance líquido incolor density g ml meltingpt c boilingpt c solubility miscível section chembox hazards mainhazards corrosivo irritante aos olhos flashpt autoignition section chembox related othercpds ácido difluormetanossulfônico ácido triclorometanossulfônico ácido trifluoroacético othercations triflato de lítio o ácido trifluormetanossulfônico ou ácido tríflico é um ácido sulfônico de fórmula molecular c f s o h também representado por tfo h é um dos mais fortes ácidos conhecidos sendo classificado como superácido por ser em torno de mil vezes mais forte que o ácido sulfúrico produção uma das várias rotas de síntese deste composto é a oxidação do derivado fluorado do metano tiol com peróxido de hidrogênio usos é usado como catalisador em várias reações da quími...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_tríflico
*  Ácido isoftálico
... info química name ácido isoftálico imagefile isophthalic acid d skeletal png imagename ácido isoftálico iupacname ácido benzeno dicarboxílico ácido m ftálico othernames section section chembox properties formula c h cooh molarmass g mol appearance branco sólido cristalizado density g cm sólido solubility insolúvel na água boilingpt section chembox structure crystalstruct dipole section chembox hazards externalmsds euclass not listed flashpt section chembox related function ácidos carboxílicos otherfunctn ácido benzoico benzocarboxílico ácido ftálico isômero orto ácido tereftálico isômero para ácido trimesico benzeno tricarboxilico othercpds m xileno o ácido isoftálico ou ácido benzeno dicarboxílico ou ainda ácido benzoldicarboxílico é um ácido dicarboxílico aromático de fórmula química c h cooh é um isômero do ácido ftálico e ácido tereftálico pode ser obtido pela oxidação do m xileno com ácido crômico ou pela fusão do m sulfobenzoato com potássio ou m bromobenzoato com potássio categoria ácidos dicarbox...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_isoftálico
*  Ácido 7-hidroxinaftaleno-1,3-dissulfônico
ácido hidroxinaftaleno dissulfônico ácido hidroxinaftaleno dissulfônico chembox new imagefile g acid svg imagesize iupacname othernames ácido naftol dissulfônico section chembox identifiers casno pubchem smiles section chembox properties formula molarmass appearance density g cm meltingpt boilingpt solubility section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function naftalenossulfonatos otherfunctn ácido beta schäffer hidroxinaftaleno sulfônico ácido hidroxinaftaleno dissulfônico ácido hidroxinaftaleno dissulfônico ácido hidroxinaftaleno dissulfônico ácido hidroxinaftaleno dissulfônico ácido hidroxinaftaleno dissulfônico isômeros de posição otheranions ácido aminonaftaleno dissulfônico amido g acid ácido hidroxinaftaleno dissulfônico ou ácido naftol dissulfônico é o composto químico orgânico de fórmula c h o s massa molecular é um dos ácidos de letras sendo chamado de ácido g é classificado com o número cas e einecs www chemblink com apresenta densidade de g cm www chemnet com ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_7-hidroxinaftaleno-1,3-dissulfônico
*  Ácido glutárico
... info química name ácido glutárico imagefile glutaric acid png imagename glutaric acid iupacname ácido pentanodióico othernames ácido propano dicarboxílico acido propanodicarboxílico ácido pentanodióico ácido n pirotartárico section section chembox properties formula c h o molarmass g mol meltingpt c boilingpt c section chembox related function ácidos dicarboxílicos otherfunctn ácido succínico c ácido adípico c ácido alfa cetoglutárico oxidado a cetona no carbono ácido glutâmico alfa aminoácido othercpds glutaraldeído pentano diol ácido valérico pentanoico anidrido glutárico ácido glutárico é um ácido dicarboxílico saturado de cadeia normal que apresenta formula estrutural hooc ch ch ch cooh thumb right formula molecular c h o massa molecular u aplicações e usos utilizado como desencalante solubilizador de cálcio no processamento de couros frequentemente em conjunto com o ácido adípico e ácido succínico categoria ácidos dicarboxílicos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_glutárico
*  Ácido vanílico
... info química imagefile vanillinsäure svg imagesize iupacname hydroxy methoxybenzoic acid othernames ácido hidroxi m anísico section chembox identifiers casno pubchem smiles section chembox properties formula c h o molarmass g mol appearance density meltingpt c boilingpt solubility section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function hidroxianisois otherfunctn ácido isovanílico isômero hidroxi e metoxi ligados ao anel em posição invertida vanilina ácido reduzido a aldeído álcool vanilil ácido duplamente reduzido a álcool ácido homovanílico homólogo othercpds ácido metoxibenzoico vanilato de metila otheranions ácido verátrico ácido dimetoxibenzoico ácido vanílico ácido hidroxi metoxibenzoico é um derivado de ácido diidroxibenzoico usado como um agente flavorizante é uma forma oxidada da vanilina é também um intermediário na produção de vanilina a partir do ácido ferúlico categoria ácidos carboxílicos categoria compostos aromáticos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_vanílico
*  Ácido 3-fluorobenzoico
ácido fluorobenzoico ácido fluorobenzoico info química imagefile fluorobenzoic acid svg imagesize px section chembox identifiers casno smiles c cc cc c f c o o section chembox properties meltingpt c section chembox related otheranions ácido hidroxibenzoico análogo com grupo hidroxila um fenol ácido clorobenzoico ácido bromobenzoico ácido iodobenzoico function fluorbenzeno s otherfunctn ácido fluorobenzoico e ácido fluorobenzoico isômeros fluorobenzaldeído ácido reduzido a aldeído álcool fluorobenzoico ácido duplamente reduzido a álcool ácido fluorofenilacético homólogo ácido fluorobenzoico é o composto orgânico fluorado de fórmula linear fc h co h e massa molecular apresenta ponto de fusão c é classificado com o número cas número de registro beilstein número ec número mdl mfcd e pubchem substance id www sigmaaldrich com categoria ácidos carboxílicos categoria compostos aromáticos categoria organofluorados...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_3-fluorobenzoico
*  Ácido lignocérico
... info química name ácido lignocérico iupacname ácido tetracosanóico imagefile lignocerīnskābe svg section section chembox properties formula c h o molarmass g mol meltingpt c crc handbook of tables for organic compound identification third edition isbn section chembox related function ácidos graxos otherfunctn ácido beénico c ácido cerílico c o ácido lignocérico ou ácido tetracosanóico é o ácido graxo saturado de cadeia linear com carbonos de fórmula química c h cooh o ácido lignocérico é um subproduto da produção de lignina a redução do ácido lignocérico gera o álcool lignocérico categoria ácidos graxos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_lignocérico
*  Ácido fenilacético
... info química name ácido fenilacético imagefile kwas fenylooctowy svg imagename ácido fenilacético iupacname ácido fenilacético ácido fenil etanóico ácido fenil acético othernames ácido feniletanoico section section chembox properties formula c h o molarmass g mol density g cm meltingpt c boilingpt c section chembox hazards externalmsds section chembox related othercpds ácido mandélico hidroxi fenil acético ácido naftalenoacético felbinac ácido bifenilacético ácido fenilacético é o ácido carboxílico derivado do ácido acético substituindo se um hidrogênio do carbono alfa por um radical fenil categoria ácidos carboxílicos acido fenilacetico...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_fenilacético
*  Ácido pirofosfórico
... info química name ácido pirofosfórico imagefile pyrophosphoric acid d png imagename chemical structure of pyrophosphoric acid imagefile pyrophosphoric acid d vdw png imagename d model of pyrophosphoric acid iupacname phosphonooxyphosphonic acid othernames ácido difosfórico section section chembox properties formula h p o molarmass g mol density meltingpt c boilingpt c ácido pirofosfórico também conhecico como ácido difosfórico é um líquido xaroposo ou um sólido em cristalino em forma de agulhas ácido pirofosfórico é incolor inodor higróscópico e é solúvel em água éter dietílico e álcool etílico e é produzido do ácido fosfórico por desidratação ácido pirofosfórico lentamente se hidrolisa na presença de água em ácido fosfórico h po h p o h o ácido pirofosfórico é um ácido inorgânico medianamente forte o ânion os sais e os éster es do ácido pirofosfórico são chamados pirofosfato s pirofosfato de sódio condrocalcinose pirofosfato de dimetilalila atp categoria fosfatos pirofosforico...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_pirofosfórico
*  Ácido fenil-láctico
ácido fenil láctico ácido fenil láctico info química imagefile phenyllactic acid svg imagesize px section chembox identifiers casno pubchem smiles c ccccc cc o c o o section chembox properties section chembox related function derivados do ácido láctico otherfunctn ácido hidroxifenil láctico othercpds ácido mandélico ácido hidroxi fenilacético ácido hidroxi fenilbutanoico hpba homólogo otheranions fenilalanina amina no lugar da hidroxila ácido fenil láctico ácido fenil láctico ou ácido dl fenil láctico o composto orgânico de fórmula molecular c h o fórmula linear c h ch ch oh cooh de massa molecular é classificado com o número cas número de registro beilstein número ec número mdl mfcd e pubchem www sigmaaldrich com o ácido é um produto do catabolismo da fenilalanina e aparece na urina de indivíduos com fenilcetonúria www hmdb ca categoria compostos aromáticos categoria ácidos carboxílicos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_fenil-láctico
*  Ácido de Cassella F
... info química imagefile casellas f acid svg imagesize px section chembox identifiers casno casother section chembox properties solubility g l c g l c samuel h yalkowsky handbook of aqueous solubility data ácido de cassella f ou ácido aminonaftaleno sulfônico é o composto orgânico de fórmula química c h no s massa molecular classificado com o número cas apresenta se comercialmente na forma de cristais monoidratados é solúvel em partes de água fria partes de água fervente e solúvel em ácido acético gracial www drugfuture com é produzido pela sulfonação de beta naftilamina e posterior separação do isômero amino green j chem soc from hydroxy naphthalenesulfonic acid and ammonia green loc cit wait us ver também ácido de cassella onde o grupo amina é substituido por um grupo hidroxilo categoria compostos aromáticos categoria ácidos sulfônicos categoria aminas...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_de_Cassella_F
*  ASFALTOS Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos Agregados para a Misturas a
... sfálticas: Caracterização Brasileira Bloco ppt carregar. ASFALTOS Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos Agregados para a Misturas asfálticas: Caracterização Brasileira Bloco 3. 55 ASFALTOS Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos Produção e Controle. 56 ASFALTOS Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos Produção e Controle. 57 ASFALTOS Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos Fracionamento. 58 ASFALTOS Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos Estocagem. Carregar ppt "ASFALTOS Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos Agregados para a Misturas asfálticas: Caracterização Brasileira Bloco 3.". SEDIMENTAÇÃO Laboratório de solos 2012 Prof. : João Guilherme Rassi Almeida Disciplina: Laboratório de Solos Pontifícia Universidade. ASFALTOS Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Asfaltos Asfaltos: Noções Gerais Bloco 2 Asfaltos: Noções Gerais. Capítulo 1 - Introdução Departame...
http://slideplayer.com.br/slide/42507/
*  Dietanolamida de ácido graxo
frame|right|Uma dietanolamida de ácido graxo. Possuem relativamente baixa solubilidade em água, mas são facilmente solubilizáveis pela presença de tensoativos mais hidrofílico s, como os álcoois graxos sulfatados e os etoxilados sulfatados. No caso das dietanolamidas de ácido graxos de coco, obtem-se a partir na reação de ácidos graxos e outros derivados de óleos de cocos com dietanolamina s. É observado que quando a síntese é realizada a partir do próprio óleo de coco ou babaçu, obtém-se uma amida de melhor solubilidade do que com a feita com o ácido graxo puro ou o éster metílico. As dietanolamidas de ácido graxo são empregadas nas formulações de diversos detergente s e shampoo s de quase todos os tipos tanto para higiene humana quanto veterinária , como shampoos transparentes e perolados, shampoos condicionadores, géis para banho, produtos para banho de espuma, sabonete s liquidos entre outros. Proporcionam maior espuma cidade produção de espuma quanto estabilização desta. Nas formulações onde são adiciona...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dietanolamida_de_ácido_graxo
*  Lista de óxidos
... esta é uma lista de óxido s óxido de ferro óxido de cálcio óxido de carbono óxido de cromio óxido de nitrogênio óxido de enxofre óxido de zinco óxido de mercúrio óxido de selênio óxido de bromo óxido de prata óxido de lítio óxido de fósforo óxido de sódio óxido de chumbo óxido de césio óxido de bário óxido de potássio óxido de rubídio óxido de berílio óxido de escândio óxido de ítrio óxido de urânio oxidos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_óxidos
*  Prevalência da hepatite B em doadores de sangue do Núcleo de Hemoterapia de Apucarana (Hemepar), E
Prevalência da hepatite B em doadores de sangue do Núcleo de Hemoterapia de Apucarana Hemepar, Estado do Paraná, Brasil. Colli. Acta Scientiarum. Health Sciences. Open Journal Systems. Ajuda do sistema. Usuário. Login. Senha. Lembrar usuário. Idioma. English Español Français Português Brasil. Conteúdo da revista Pesquisa. . Todos Autor Título Resumo Termos indexados Texto Completo. Procurar. Por Edição. Por Autor. Por título. por Seção. por Tipos de identificação. Outras revistas. Tamanho de fonte. Informações. Para leitores. Para Autores. Para Bibliotecários. links. puncak resort sewa villa puncak masakan nusantara bali villas kue kering masakan indonesia kreasi masakan burung kenari villa di puncak pass villa coolibah villa ciloto kreasi masakan indonesia travel blog psp iso resep kue catering puncak resep kue kering. Capa. Sobre. Acesso. Cadastro. Pesquisa. Atual. Anteriores. Notícias. EDUEM. portal acta. Tutorial. normas/Enviar Artigo. Capa. v. 21 1999. Colli. Prevalência da hepatite B em doadores de sang...
http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciHealthSci/article/view/4458
*  Vagas de emprego Auxiliar de mecânico de autos | Jooble
Vagas de emprego Auxiliar de mecânico de autos. Jooble em outros países Minha lista de empregos Versão móvel Busca avançada das vagas. Vagas de emprego Auxiliar de mecânico de autos 1-20 de 118669 resultados. auxiliar de mec nico de autos. manager.com.br - há 13 dias atrás -. manager.com.br - há 3 dias atrás -. manager.com.br - há 6 dias atrás -. Atividades Profissionais Irá montar e trocar peças lubrificar motor regular mecanismos alinhar direção e organização do ambiente e demais atividades típicas na função. manager.com.br - há 6 dias atrás -. Regime de contratação... manager.com.br - há 5 dias atrás -. Atividades Profissionais Realizar manutenção mecânica preventiva e corretiva de veículos montar e trocar peças lubrificar motor regular mecanismos e organização em geral. manager.com.br - há 5 dias atrás -. Atividades Profissionais Realizar manutenção mecânica preventiva e corretiva de veículos troca de pastilhas montar e troca peças lubrificar motor regular mecanismos e alinhar direção. manager.com.br - há...
http://br.jooble.org/vagas-de-emprego-auxiliar-de-mecânico-de-autos
*  Associação cloreto de benzalcônio/óxido de zinco/cânfora
associação cloreto de benzalcônio óxido de zinco cânfora associação cloreto de benzalcônio óxido de zinco cânfora a associação cloreto de benzalcônio óxido de zinco cânfora é um produto farmacêutico tradicional no mercado brasil eiro a sua fórmula foi desenvolvida no brasil no início do século xx pelo farmacêutico português eduardo augusto gonçalves que a registrou em o produto é uma pomada à base de cloreto de benzalcônio óxido de zinco e cânfora indicada para o tratamento de doenças de pele como espinhas frieiras escara s é utilizada ainda como auxiliar no tratamento de picadas de mosquito s urticária s e pequenos ferimentos superficiais previne os odores desagradáveis das axila s e dos pé s o ressecamento da pele ocasionado pelo sol frio ou poeira e as lesões do barbear categoria associações medicamentosas categoria antiacneicos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Associação_cloreto_de_benzalcônio/óxido_de_zinco/cânfora
*  Óxido de cobalto(II)
óxido de cobalto ii óxido de cobalto ii info química name óxido de cobalto ii imagefile imagename óxido de cobalto ii iupacname óxido de cobalto ii othernames óxido cobaltoso monóxido de cobalto section info química identifiers casno casno ref rtecs gg unnumber einecs section chembox properties formula coo molarmass g mol appearance black powder density g cm solubility g ml meltingpt c k boilingpt section chembox structure crystalstruct cubic section nfpa h nfpa f nfpa r flashpt non flammable section óxido de cobalto ii ou óxido cobaltoso apresenta se como cristais verde oliva a vermelhos ou pó acinzentado ou preto safety msds data for cobalt oxide the physical and theoretical chemistry laboratory oxford university ele é usado extensivamente na indústria de cerâmica como um aditivo para criar esmaltes na cor azul como na indústria química para produzir sais de cobalto ii coo cristais adotam estrutura da magnésia halita com uma constante de retículo de å o óxido de cobalto ii iii decompõe se em óxido de cobalt...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Óxido_de_cobalto(II)
*  Hidróxido de bário
... O hidróxido de bário pode ser preparado pela dissolução do óxido de bário BaO em água. Ele cristaliza-se como o octahidrato, o qual converte-se ao monohidrato por aquecimento ao ar. O sulfeto de bário reage com água H2O dando hidróxido de bário e sulfeto de hidrogênio :. Hidróxido de bário é usado em química analítica para a titulação de ácidos fracos, particularmente ácidos orgânicos. Sua solução aquosa clara é garantia de ausência de carbonato, diferentemente das soluções de hidróxido de sódio e hidróxido de potássio, visto que o carbonato de bário é insolúvel em água. É usado também na forma de 'água de barita' de maneira idêntica a ' água de cal ' para a detecção de dióxido de carbono pela reação característica:. É utilizado em solução para a determinação de nitrogênio titulável pelo formol pelo método de Sorensen pela liberação de aminoácido s durante a hidrólise das proteína s por enzima s proteolíticas. Hidróxido de bário é usado em síntese orgânica como uma base forte, por exemplo para a hidrólis...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Hidróxido_de_bário
*  Ácido de açúcar
... ácidos de açúcar são monossacarídeo s que possuem um grupo carboxila joyce j diwan carbohydrates sugars and polysaccharides principais classes de ácidos de açúcar incluem ácido aldônico em que o grupo aldeído de uma aldose é oxidado victor gold iupac gold book aldonic acids ácido ulosônico em que o primeiro grupo hidroxila de uma cetose é oxidado criando um α cetoácido victor gold iupac gold book ketoaldonic acids ácido urônico em que o grupo hidroxil terminal de uma aldose ou cetose é oxidado victor gold iupac gold book uronic acids ácido aldárico em que ambas as extremidades de uma aldose são oxidadas victor gold iupac gold book aldaric acids exemplos exemplos de ácidos de açúcar incluem ácidos aldônicos ácido glicérico c ácido xilônico c ácido glucônico c ácido ascórbico c lactona insaturada ácidos ulosônicos ácido neuramínico ácido amino didesoxi d glícero d galacto non ulosônico ácido cetodesoxioctulosônico cdo ou ácido desoxi d mano oct ulosônico ácidos urônicos ácido glucurônico c ácido galacturôn...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_de_açúcar
*  Ácido 2-metilacetoacético
ácido metilacetoacético ácido metilacetoacético info química imagefile methyl oxobutanoic acid svg imagesize px section chembox identifiers casno section chembox related function cetoácido s otherfunctn ácido acetoacético sem o metil ácido acetoláctico mais uma hidroxila no carbono ácido metilacetoacético ácido metil oxobutanóico ou ácido metil oxo butírico é o composto orgânico com a fórmula c h o com massa molecular pubchem pode ser definido como um ácido oxo monocarboxílico que é o ácido acetoacético substituído na posição por um grupo metilo www ebi ac uk é classificado com o número cas mol file mol cbnumber cb www chemicalbook com é um metabólito das reações da oxotiolase william leo nyhan crc press o ácido metilacetoacético é um metabólito que apresenta excreção aumentada em casos de pacientes com deficiência de acetoacetil coa tiolase ec e na urina de pacientes com uma deficiência herdada de propionil coa carboxilase pmid e após carga de isoleucina no diagnóstico de deficiência de metilacetoacetil coa ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_2-metilacetoacético
*  Ácido fosfônico
... ficheiro phosphorous acid tautomerism d png thumb direita px tautômeros de h po ácido fosfônico direita ácido fosforoso esquerda thumb direita px a estrutura geral de um ácido fosfônico orgânico em química inorgânica ácido fosfônico é um composto químico é um oxiácido de fósforo com fórmula h p o mais comumente conhecido como ácido fosforoso ele existe em solução como dois tautômeros o predominante sendo hp o oh e o em menor quantidade p oh o primeiro é algumas vezes chamado especificamente de ácido fosfônico com o segundo sendo chamado de ácido fosforoso algumas vezes de maneira confusa mas ambos estes nomes são usados para referir se a h po em geral i e ambos os tautômeros em química orgânica um ácido fosfônico é um composto com a fórmula geral rp o oh os ácidos fosfônicos são similares aos ácidos sulfônicos um exemplo de um ácido fosfônico orgânico é o foscarnet ácido fosfórico ácido fosforoso ácido hipofosforoso também chamado de ácido fosfínico acidos fosfonicos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_fosfônico
*  Ácido isovanílico
... info química imagefile isovanillinsäure svg imagesize iupacname othernames ácido hidroxi metoxibenzoico section chembox identifiers casno pubchem smiles section chembox properties formula c h o molarmass g mol appearance density meltingpt c sigma aldrich aldrich datum april name isovanillic acid boilingpt solubility section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function hidroxianisois otherfunctn ácido vanílico isômero hidroxi e metoxi ligados ao anel em posição invertida isovanilina ácido reduzido a aldeído álcool isovanilil ácido duplamente reduzido a álcool ácido homoisovanílico homólogo othercpds ácido metoxibenzoico otheranions ácido verátrico ácido dimetoxibenzoico ácido isovanílico ou ácido hidroxi metoxibenzoico é um composto químico orgânico pertencente ao grupo dos ácidos fenólicos a substância é derivada estruturalmente tanto do ácido benzóico como a partir do guaiacol o metoxifenol é um isômero da vanilina a partir do qual difere apenas pelas posições do gru...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_isovanílico
*  Ácido 3,4-di-hidroximandélico
ácido di hidroximandélico ácido di hidroximandélico info química verifiedrevid imagefile dihydroxymandelic acid svg imagesize iupacname dihydroxyphenyl hydroxyacetic acid othernames section chembox identifiers chemspiderid ref chemspiderid kegg ref keggcite correct kegg kegg c inchi c h o c h h h inchikey rghmisiykihajw uhfffaoyab stdinchi ref stdinchicite correct chemspider stdinchi s c h o c h h h stdinchikey ref stdinchicite correct chemspider stdinchikey rghmisiykihajw uhfffaoysa n casno pubchem chebi ref ebicite correct ebi chebi smiles o c o c o c cc o c o cc meshname dihydroxymandelic acid section chembox properties formula c h o molarmass appearance density meltingpt boilingpt solubility section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function derivados do ácido glicólico otherfunctn ácido hidroxifenilglicólico ácido hidroxifenilglicólico othercpds ácido diidroxifenilacético dopac alfa hidroxila reduzida a h diidroxifeniletilenoglicol dopeg ácido duplamente reduzido a ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_3,4-di-hidroximandélico
*  Ácido 3-fenilpropanoico
ácido fenilpropanoico ácido fenilpropanoico chembox new imagefile hydrocinnamic acid png imagesize imagealt iupacname phenylpropanoic acid othernames ácido benzenopropanoico ácido β fenilpropiônico ácido benzilacético ácido diidrocinâmico ácido β fenilpropanoico section section ácido fenilpropanoico ou ácido hidrocinâmico é um ácido carboxílico aromático com a fórmula c h o pertencendo a classe dos fenilpropanoide s é um sólido branco cristalino com um aroma floral doce à temperatura ambiente ácido fenilpropanóico tem uma ampla variedade de usos incluindo cosméticos aditivos alimentares e produtos farmacêuticos preparação ácido fenilpropanoico pode ser preparado do ácido cinâmico por hidrogenação ou por eletrólise embora este precursor seja um tanto escasso usos categoria ácidos carboxílicos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_3-fenilpropanoico
*  Ácido cerótico
... info química imagefile cerotinsäure svg imagesize iupacname ácido hexacosanoico systematicname othernames ácido cerótico section section chembox properties formula c h cooh molarmass g mol appearance pó cristalino branco density meltingpt c fluka katalog s melting notes boilingpt boiling notes solubility solubleother solvent logp vaporpressure henryconstant atmosphericohrateconstant pka pkb section chembox structure crystalstruct coordination molshape section chembox thermochemistry deltahf deltahc entropy heatcapacity section chembox pharmacology adminroutes bioavail metabolism halflife proteinbound excretion legal status legal us legal uk legal au legal ca pregcat pregcat au pregcat us section chembox explosive shocksens frictionsens explosivev refactor section section o ácido cerótico ou ácido hexacosanoico é o ácido graxo saturado com carbonos j beare rogers a dieffenbacher e j v holm lexicon of lipid nutrion iupac technical report também é chamado de ácido cerílico ácido cérico ácido cerínico ácido ...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_cerótico
*  Ácido caproico
... info química imagefile caproic acid acsv svg imagesize iupacname ácido n hexanóico othernames ácido capróico ácido caprônico section section chembox properties formula c h o molarmass appearance density g cm meltingpt c boilingpt c solubility pka section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related otheranions othercations function ácidos graxos otherfunctn ácido butírico c ácido valérico c ácido enântico c ácido caprílico c othercpds ácido sórbico c ácido adípico hexanodioico hexanal hexanol ácido aminocaproico norleucina ácido amino caproico caproato de etila o ácido hexanóico também conhecido como ácido capróico do latim caper cabra é um ácido carboxílico derivado do hexano cuja fórmula molecular é c h cooh e formula estrutural ch ch ch ch ch cooh consiste num ácido graxo de forma líquida oleosa e incolor que produz o cheiro característico nos caprino s e outros animais de fazenda forma sais chamados hexanoatos ou caproatos é um ácido graxo encontrado naturalmente nas gordu...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_caproico
*  Ácido 2-aminobenzenossulfônico
ácido aminobenzenossulfônico ácido aminobenzenossulfônico ácido aminobenzenossulfônico ou ácido orto aminobenzenossulfônico ácido orto sulfanílico ou ácido anilina sulfônico ou ácido ortanílico é um composto químico de fórmula c h n o s h nc h so h massa molecular ua número cas ponto de fusão c é um ácido sulfônico similar ao ácido sulfanílico contendo uma grupo amina em posição orto a um grupo sulfônico é utilizado como reagente em química analítica como na análise de zinco ligações externas ver também ácido aminobenzenossulfônico aminobenzenossulfônico acido aminobenzenossulfônico acido aminobenzenossulfônico...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_2-aminobenzenossulfônico
*  Ácido melíssico
... info química imagefile melissinsäure skelett svg imagesize iupacname ácido hentriacontanoico ácido triacontanoico othernames section section chembox properties c h o formula molarmass appearance density meltingpt c fluka katalog s boilingpt solubility insolúvel section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function ácidos graxos otherfunctn ácido montânico c ácido laceroico c ácido melíssico é o ácido graxo saturado linear com átomos de carbono representado por c categoria ácidos graxos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_melíssico
*  Ácido mucônico
... info química reference merck index th edition at sigma aldrich name ácido trans trans mucônico imagefile muconic acid ee png imagesize px iupacname e e hexa dienedioic acid othernames ácido e e mucônico section section chembox properties formula c h o molarmass g mol appearance prismas cristalinos density meltingpt c forma cis cis prismas do etanol c forma trans trans prismas da água c forma cis trans agulhas de água quente merck index th edition p boilingpt c solubility g l at c section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related othercpds ácido sórbico ácido e e hexa dienoico ácido mucônico é um ácido dicarboxílico existem três formas isomáricas designadas ácido trans trans mucônico ácido cis trans mucônico e ácido cis cis mucônico os quais diferem pela geometria em torno das ligações duplas categoria ácidos dicarboxílicos...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_mucônico
*  Ácido clorofórmico
... info química imagefile chloroformic acid png imagesize px iupacname carbonochloridic acid othernames chlorocarbonic acid section section chembox properties formula chclo molarmass g mol appearance density meltingpt boilingpt solubility section chembox hazards mainhazards flashpt autoignition section chembox related function éster es otherfunctn cloroformato de metila cloroformato de etila othercpds ácido carbônico fosgênio ácido clorofórmico é o composto instável de fórmula química e um cloreto de ácido com uma substituição do ácido carbônico o outro com duas substituições é o fosgênio o ácido clorofórmico é também estruturalmente relacionado com o ácido fórmico que possui um átomo de hidrogênio ao invés de clorina apesar do nome similiar é muito diferente do clorofórmio o ácido clorofórmico por si só é muito instável para ser manipulado para reações químicas entetanto vários éster es do ácido carboxílico são estáveis e estes cloroformatos são reagentes importantes na química orgânica são usados para pre...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_clorofórmico

IsquemiaFulminato: Fulminatos são compostos químicos os quais incluem o ânion fulminato. O ânion fulminato é um pseudohaleto, atuando como um halogênio quanto a sua carga e reatividade.Hialócito: Os hialócitos, também chamados células vítreas, são células do corpo vítreo do olho, o qual se caracteriza pela cavidade cheia de gel transparente (humor vítreo) no espaço entre o cristalino e a retina do olho. Os hialócitos ocorrem na parte periférica do corpo vítreo, e podem produzir ácido hialurónico e colagénio,Sommer F, Brandl F, Weiser B, Tesmar J, Blunk T, Göpferich A.Substância corrosiva: Uma substância corrosiva (do latim corrodere, 'roer', indicando a capacidade destas substâncias para desgastar ou destruir a pele) é aquela que por acção química (reacção de corrosão) é capaz de destruir ou irreversivelmente danificar substâncias ou superfícies com as quais esteja em contacto, incluindo os tecido vivos. Quando o efeito corrosivo atinge tecidos vivos, é em geral designado por queimadura química.Capilar sanguíneo: Os capilares sanguíneos, ou vasos capilares, são vasos sanguíneos do sistema circulatório com forma de tubos de pequeníssimo calibre. Constituem a rede de distribuição e recolhimento do sangue nas células.Cal sodadaLaser de Krypton: Laser de Krypton é um laser utilizado na dermatologia em lesões pigmentadas e vascularizadas. Emite luz nas faixas amarela (568nM) e verde (520-530nM).Pericito: Um pericito é uma célula tipo mesenquimal, associada com as paredes de vasos sanguíneos pequenos. Como é uma célula relativamente indiferenciada, serve como suporte para estes vasos, mas pode se diferenciar em um fibroblasto, célula de músculo liso ou macrófago conforme a necessidade.Retinopatia diabética: ( )Ferida: Uma ferida é uma [na continuidade] de um [[tecido corpóreo. Tal interrupção pode ser provocada por algum trauma, ou ainda ser desencadeada por uma [que acione as defesas do [[organismo].Oxigénio dissolvido: Oxigénio dissolvido (OD ou DO), ou por vezes saturação em oxigénio, é uma medida relativa da quantidade de oxigénio que está dissolvido num determinado fluido ou é por ele transportado. A unidade padrão é em geral miligramas por litro (mg/l) ou partes por milhão (ppm).Ceratite superficial crônica: A ceratite superficial crônica, também conhecida como "ceratite do pastor alemão", "pannus oftálmico" e "síndrome de uberreiter", é uma enfermidade ocular que acomete algumas raças de cães, mas principalmente pastores alemães puros e mestiçados.Lágrima artificial: Lágrimas artificiais são colírios lubrificantes utilizados para tratar secura e irritação dos olhos associadas com um produção deficiente de lágrimas na ceratoconjuntivite sicca (olhos secos). Também são usadas para umedecer lentes de contato.Hemorragia retinalPorfirinaMácula lútea: A mácula ou macula lútea (do latim macula, "ponto" + lútea, "amarelo") é um ponto ovalado de cor amarela junto ao centro da retina do olho humano. Tem um diâmetro de cerca 1,5 mm.

Qual a descrição patólogica dessas doenças?


Gente por favor, tow fazendo um trabalho pra amanha , por favor me ajudem!

(com fontes)

Descrição patologica dessas doenças:
*Arritmia
*enfisema
*bronquite
*asma
*hipertensão
*angina!


OBRIGADA DESDE JÁ
----------

procure aqui,ha  resumos bons pro teu trabalho
http://www.abcdasaude.com.br/lista-b.php